Pinterest

Li uma entrevista muito interessante com o sociólogo e jornalista Sérgio Sinay e me senti obrigada a falar no assunto.

Sinay lançou um livro chamado Sociedade dos Filhos Órfãos, que acaba de ser lançado em português e eu já pedi para a Vovó Wera ou Dindo Sabe Tudo comprarem para mim. Este assunto me causa mal estar, vejam por quê.
Sérgio critica os pais atuais por tomarem o caminho mais curto na educação do seus filhos, ou seja, simplesmente tercerizando-a para as babás, escolas e o pior…..o maldito Ipad, Iphone e computadores em geral. A realidade de quem mora no exterior não tem nas babás o inimigo, e sim na tecnologia….que convenhamos, usamos “como babá eletrônica” de vez em quando (sempre).
Eu tenho uma relação de amor e ódio com a tecnologia na criação da minha filha. Se eu tiver outro filho tentarei fazer diferente do que fiz com a Bella. Com um próximo filho, jamais permitirei a apresentação precoce da Galinha Pintadinha na vida de um bebê, muito menos permitir que ele coma na frente da Galinha. Foi neste exato momento da vida da Bella que ela se tornou viciada em Ipad. Mas vejam bem, Bella não tem acesso ilimitado ao Ipad, durante o dia ela não assiste e a noite ela assiste por 30 minutos, mas até isso me incomoda, pois ela não pode ver o maldito que já quer parar tudo para ver desenho no Netflix.
Solução?
Esconder os eletrônicos quando estamos em casa.
Como professora, eu acho o F-I-M ver uma criança agarrada em Ipad e Iphone vendo desenho animado como um zumbi sem piscar, acho terrível.
Eu sei que existem muitas escolinhas pelo mundo afora que tem televisão e passam desenho animado durante o dia para os aluninhos….mas não na minha. Não temos e nunca teremos televisão na escola. Televisão não substitui em nada atividades como brincar, jogar e desenhar. O Ipad não é pai, mãe, nem professor, Ipad não é bloco de papel nem lápis, Ipad não ensinará seu filho a segurar um lápis na mão, tarefa essencial parta quando ele for para a escola. Ipad faz o quê então? Pois é….não caia na ladainha que Ipad é educativo. Tenho sérias dúvidas sobre isso.

Pinterest
Ser mãe e pai não é fácil, na verdade fácil mesmo seria dizer sim o tempo todo para o seu filho, seria esperar que a professora da escola o ensinasse boas maneiras e caráter, seria tapar o sol com a peneira e achar que as birras do seu filho só são coisa de criança, e não reflexo da educação que ele está recebendo.
Eu não sou perfeita em NADA e enxergo direitinho as minhas faltas com a Bella, mas de uma coisa não posso ser chamada: de mãe relapsa e ausente. Eu prefico ser chamada 100 x a ver minha filha em silêncio por uma hora vendo Ipad. Eu prefiro desenhar por 1 hora para não ver minha filha tendo problemas para segurar um lápis na escola. Eu prefiro deixar de fazer algumas coisas para mim, ou fazê-las mais tarde da noite, do que ouvir a minha falar que a “mamãe não quer fazer nada, não quer brincar comigo”.
Criança só é criança uma vez e depois que ela se tornar adolescente, daí não adianta chorar sob o leite derramado.
Por isso eu prego….e tento cumprir o que estou pregando: menos televisão, menos computador, menos joguinhos eletrônicos. Mais rua, mais parques, mais brinquedos, mais joguinhos, mais materiais de arte, mais colo e carinho dos pais. O verão chegou no Canadá e nossos planos são: parque, praia, piscina, pracinha, tudo menos ficar em casa com a tentação “rodeando”, ou seja, eletrônicos.
Você não precisa de dinheiro algum para ensinar o seu filho a jogar bola, pular corda, brincar de pega-pega e de esconder. Você não gasta quase nada comprando um bloco de papel e uma caixa de láis colorido ou canetinha. Muito menos para colocar uma música e dançar com o seu filho.

Pinterest
Eu acredito que os nossos filhos são reflexo dos pais. Quando vejo minha filha ser elogiada porquê é comportada, querida, simpática e por comer de tudo, eu me sinto vitoriosa como mãe. E quando estamos em casa e ela dá piti, chuta a minha canela ou pede chorando bem dramárica pelo Ipad, eu penso : “Onde foi que errei”
Ser mãe (e pai) é prestar atenção constantemente nos comportamentos dos nossos filhos para ver onde é que estamos acertando ou errando.

E quando Sérgio Sinay prega que a sociedade atual é uma sociedade de filhos órfãos de pais vivos, vamos colocar a mão na consciência e observar se estes órfãos não são nossos filhos na corrida rotina de hoje em dia.

6 Comments on Terceirizando os filhos

  1. Anonymous
    08/07/2013 at 2:30 pm (7 years ago)

    Oi Rita, não sou mãe ainda, mas concordo com tudo o que vc disse. Os pais estão se passando no uso do Ipad e similares com os seus filhos e quando chega na adolescência só tende a ficar pior, pois as crianças perdem a ideia de socialização real (a que ocorre entre pessoas, no dia a dia). Quando era criança e adolescente sempre me lembro de estar com os meus pais nos eventos sociais, fazer aquela "social" com os adultos e depois ir brincar com as outras crianças. Hoje, com amigos que têm filhos, o que vejo são crianças que ficam grudadas full time com os seus brinquedos, não sabem estabelecer o mínimo de conversa com os outros e os pais naquela reclamação de que o filho só quer saber daquilo. Mas só querem saber pq alguém incentivou, né? E acho ainda que no Canadá e nos EUA as coisas parecem ser mais contidas, pois aqui ainda é "status" exibir todos os ipads da família. Beijos!! Julia

    Reply
  2. Mãe da Loly
    08/07/2013 at 8:33 pm (7 years ago)

    Penso exatamente como vc Rita!!!
    E nem sou professora,na verdade acabei abrindo mão da minha carreira justamente para me dedicar a criação e educação da minha filha… não acho que todos tem que fazer isso, cada caso é um caso… mas que a grande maioria dos pais estão terceirizando a educação dos filhos eu tenho ctz!!!
    Adorei a indicação do livro, vou ler tb!!
    Um beijão

    http://www.maedaloly.blogspot.com.br

    Reply
  3. Wagner
    08/07/2013 at 10:30 pm (7 years ago)

    Olá Rita, não sou pai ainda e apesar de seu blog ser mais voltado ao universo das mães de vez em quando paro para dar uma olhada nele, pois sempre tem algo do cotidiano que nos acrescenta, além de você contar sobre a vida no Canadá, país que talvez um dia eu vá morar.
    Bom, resolvi comentar o post de hoje pelo simples fato de ter ouvido de uma professora universitária a pouco tempo quando estava apresentando um trabalho e foi algo que ficou gravado e faz todo sentido.
    Ela disse algo mais ou menos assim: "As pessoas/crianças não vão a escola para ter educação, vão a escola para obter aprendizado, ensino, educação quem dá é pai e mãe, o papel do professor é o de ensinar."
    Acho que entra bem no ponto da televisão em escolas, ou em casa, pois se é na escola você evita o aprendizado e se é em casa você evita o aprendizado e a educação. Sei que é difícil fugir da tecnologia, eu por vez e outra estou num restaurante com amigos e dou uma olhada no celular, mas é algo que tento me policiar o máximo, pois hoje em dia somos reféns da tecnologia e não podemos deixar com que as crianças também sejam. Espero como pai conseguir fazer um terço do que você demonstra aqui no blog fazer pela Bella, pois lendo o que você escreve parece a educação mais adequada e mais difícil também com tanta modernidade e facilidades dos dias de hoje.

    Reply
  4. Pri
    09/07/2013 at 8:21 am (7 years ago)

    Que super post, Rita.
    Esses posts de Comportamento são meus preferidos do seu blog pra ler. Aqui no exterior percebi isso também. Que DVD super barato,iPhone, XBox 'facilita' tudo.
    Diminuí consideravelmente o tempo da TV e computador proibi.
    Investi em brinquedos de jardim, como uma casa de madeira e cama elástica. Tem dado certo.
    Os meus têm sido mais 'crianças'.
    Por mais que não tenhamos babás, o mundo eletrônico está aí. Há anos me pedem o Nintendo 3GS. Não compro.
    Nada como ver meu jardim cheio de crianças.
    Os vizinhos sempre vêm brincar aqui e vice-versa.
    Adoro isso.

    Reply
  5. Sandra Nogueira
    10/07/2013 at 3:15 am (7 years ago)

    Pois é…missão mesmo bastante complexa nos dias de hoje…e no Brasil Terapeutas Ocupacionais e fonoaudiólogas ainda utilizam o Ipad para tratamentos, como já fizeram e as vezes fazem com a Helena…a Helena ADORA o "tabet" mas estou evitando porque já a deixamos ver tv quando está tomando dieta via sonda…ela não tem babá, mas admito que as vezes abusamos da "babá eletrônica" para cuidarmos dos nossos afazeres. Como moramos em aparatamento montamos uma sala de atividades para ela e vira e mexe a levamos para o campus da universidade para andar de velotrol…mas nos dias de hoje é cada vez mais difícil mesmo, uma luta diária…bjos…amei as ilustrações, bem "vamos brincar como antigamente"…

    Reply
  6. Pâmela
    12/07/2013 at 6:40 pm (7 years ago)

    Oi Rita! Li com pressa (depois volto para ler com calma rsr), mas era só pra dizer que tem um pediatra brasileiro, boníssimo, que escreveu um livro que se chama "Criança Terceirizada". Excelente, segundo me disseram pessoas que já leram. Estou procurando para comprar.

    Mas já outras coisas que esse pediatra diz e fico sempre maravilhada com a clareza dele. Sabe aquelas coisas que muitos querem dizer, mas acabam engolindo? Ele fala, diretamente, sem rodeios, mas ao mesmo tempo com sensibilidade.

    Bjão!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *