Cruzei com esta citação esta semana e adorei. Ela vem bem ao que eu disse neste post.

Cada vez mais eu penso que para ser uma boa mãe você precisa cuidar de si:

  • Cuidar da sua mente
  • Cuidar do seu corpo
  • Cuidar da sua alimentação
  • Achar tempo para as atividades que você gosta
  • Escolher um hobby que não envolva marido e filhos
  • Não sentir culpa por querer sair de casa sozinha de vez em quando
  • Não sentir culpa em deixar o filho com o marido para dormir até mais tarde
  • Ir ao cinema sozinha para ver “aquele” filme água com açúcar
  • Marcar uma massagem, cabelo, pedicure e manicure
  • Ouvir música de adulto no rádio do carro de vez em quando
  • Trabalhar fora sem culpa
  • Ficar em casa cuidando das crianças sem culpa
  • Não se sentir culpada por não conseguir fazer absolutamente tudo, o tempo todo
  • Eliminar a palavra culpa do seu dicionário
Enfim, não é fácil ser mãe, mas eu vejo que eu sou uma mãe melhor quando eu tiro um tempo para mim….sem culpa. Pois não adianta você tirar uma horinha para si e morrer de culpa, fazer tudo correndo para voltar para casa em tempo recorde.
Eu estou aprendendo a pensar e a agir assim, é um exercício diário.
Eu e Bella somos muito grudadas, pois na maior parte do ano o nosso núcleo familiar é Bryan, Bella e eu….só nós 3, ninguém mais. Temos amigos e colegas de trabalho, mas não temos família aqui em Vancouver. Não temos almoço de domingo com avós, tios e primos, não temos aniversários de criança para ir, nem encontros de ex amigos da faculdade, nem girls (boys) night out, pois acabamos de nos mudar e não temos muitos amigos ainda, então a nossa vida se resume a nós 3 (4 com o Butters). 
Eu e Bella fazemos tudo juntas durante o ano, não nos desgrudamos nunca, pois na verdade quando você mora fora você simplesmente não tem a opção de deixar os filhos com os avós, eles estão lá longe e não podem fazer baby sitter para você. Então este exercício de me desapegar dela por algumas horas é difícil, até talvez difícil não seja a palavra correta, mas estranho. Pegar a chave do carro e sair sozinha é muito esquisito, sair de casa é tão rápido sem ela, parece que está faltando uma parte de mim. Sento no carro e olho a bolsa 5 x, para ter certeza que não esqueci de nada, quando na verdade é a Bella quem está faltando.
Mas hoje isso é muito mais fácil, Bella já tem 3 aninhos e não se importa de ficar sozinha com o pai, na verdade ela até gosta, já já ouvirei um sonoro ” Vaza, mãe”.
Por isso hoje eu tento esquematizar uns programas para mim, nem que a única opção em um dia de chuva seja ir até a livraria, tomar um chocolate quente e ler revista na Starbucks.
Acho que, na verdade, a expressão deveria ser:
“Ser mãe é padecer no Starbucks, na manicure, no cinema e no barzinho com as amigas.”
Ué?
Por que não?
E viva a liberdade das mamis atuais!!

13 Comments on Ser uma boa mãe

  1. Mamãe Nádia
    05/12/2012 at 2:59 am (8 years ago)

    Amei! Combinou com a minha forma de encarar a maternidade.
    Sempre digo que ser mãe é apenas um dos meus papéis.
    E não necessariamente que o nosso outro papel tenha que ser como profissional, mas tem os papéis como esposa, mulher, filha, amiga, enfim…
    Eu também criei meus filhos muito apegados a mim, no início era estranho fazer coisas sem eles, mas hoje já tenho isso bem internalizado dentro de mim que não sinto culpa nenhuma em fazer algo sozinha, assumo que preciso disso e até sinto prazer em fazer o marido de babá nos finais de semana pra eu fazer algo só pra mim, nem que isso seja uma simples caminhada.

    Reply
  2. Pâmela
    05/12/2012 at 3:53 am (8 years ago)

    Verdade!

    Sinto que chegou o meu tempo em relação a Lara. Antes não sentia vontade ou necessidade nenhuma de sair sem ela, de fazer coisas sem ela, por mais complicada que fossem rsrs

    Hoje não, hoje preciso disso, preciso de um cuidado de um momento só meu!

    Fico feliz de ter percebido isso, de ter sido natural, sem pressões externas, sem ser um cumprimento a "obrigações" ou "jeito certo" segundo a sociedade…

    Simplesmente chegou!

    É engraçado que com isso veio junto uma vontade de outro bebê, uma sensação de pode ser agora… Será coincidência? rsrs

    Bjs
    Pam

    Reply
  3. rita
    05/12/2012 at 4:13 am (8 years ago)

    Eu te entendo Pam

    Comigo tambem, a pressao foi mais minha pois eu sentia que estava me ressentindo de nao ter tempo para mim. Nos dois primeiros anos dela eu nao sentia nenhuma vontade de fazer as coisas sozinhas, mas agora com ela grandinha nao tem por que ter mae grude.

    Melhor para ela, e mais tranquilo para mim, sem cuidados exagerados.

    Pois eu…..me too!
    Mais 1 ano ou 2 e queremos tentar o baby numero 2 e dai babau tempo para mim!

    melhor aproveitar AGORA, HOJE!

    Reply
  4. rita
    05/12/2012 at 4:14 am (8 years ago)

    Nadia

    Exatamente, nao somos SO maes, somos muito mais e so focar 100% nos filhos complica os outros papeis.

    Beijinhos

    Reply
  5. Ana
    05/12/2012 at 6:36 am (8 years ago)

    Rita, a gente tem que combinar um café pra gente bater papo então! 🙂 Sem filhas! 🙂

    Ouvir música de adulto no carro, eu SEMPRE ouço! hahahahhaha elas que curtem o que eu ouço e acabam conhecendo todas as músicas pop do momento.

    E dá a mão aqui, que essa coisa de viver longe de família é complicado demais! Tem horas que eu fico perdida, sem ter com quem contar pra ficar com as meninas. Ainda bem que temos amigos bem próximos que, no momento do sufoco, acabam ajudando. Mas sempre fica aquele sentimento de culpa (opa, olha ela aí de novo!) e o pensamento que se a família estivesse perto seria tudo tão mais fácil… mas, fazer o quê, né… Nós escolhemos essa vida, temos que nos virar mesmo.

    Beijo!

    Reply
  6. **Lih**
    05/12/2012 at 10:54 am (8 years ago)

    Olá,

    Ser mãe é uma benção! Não devemos nunca nos culpar por nada!

    Beijos!

    Reply
  7. Anonymous
    05/12/2012 at 1:26 pm (8 years ago)

    Rita
    Nunca mais nos falamos, apesar de ler seu blog diariamente… Hoje lembrei de você sem que o assunto fosse o Botõezinhos quando vi a lista das 10 melhores cidades para se viver: Vancouver ocupa o 4° lugar do ranking!!! A primeira não européia da lista (1. Viena, 2. Zurique, 3. Genebra).
    Adorei o post de como SER UMA BOA MÃE. Concordo com tudo o que escreveu. Não adianta estar 100% ao lado do filho se a culpa por não ser mulher, esposa, profissional não sai da sua cabeça. Minha caçula está com quase 2 anos e a cada dia me sinto mais mãe, mais mulher, mais esposa e mais arquiteta justamente porque as culpas estão indo embora junto com o crescimento das duas… Sinto saudades do tempo de bebê, mas estou adorando essa fase nova, SEM CULPAS!!!
    Beijos, Patrícia Cardoso.

    Reply
  8. Sandra Nogueira
    05/12/2012 at 3:34 pm (8 years ago)

    Por aqui reina o pensamento "a boa mãe é aquela que vai se tornando cada vez mais desnecessária…" aff, vários blogs e amigas reproduzem experiências pautadas nessa frase e eu…as vezes me sinto sufocada pela necessidade de fazer algo por mim e para mim, mas na maior parte do tempo não quero me ficar ausente nem um minuto, desnecessária então, nem pensar!!! Daí a dificuldade de ser uma boa mãe…mas "tamo tentando"!!!!

    bjos

    Reply
  9. rita
    06/12/2012 at 1:50 am (8 years ago)

    Oi Ana!
    Vamos combinar um cafe sim uma hora destas!
    Eu sei, eh a vida que escolhemos, nao da para ficar reclamando de ter familia longe, mas parece que a gente lembra mais disso quando precisa de ajuda e nao tem, dai complica 🙁

    Beijinhos

    Reply
  10. Larissa Banister
    06/12/2012 at 12:30 pm (8 years ago)

    Rita:
    Primeiro – Adorei as fotos do lado direito e esquerdo, vc e a Bella estao lindas
    Segundo – Estava com saudades de passar por aqui
    Terceiro – Assim como vc, vivemos praticamente so marido e eu, pq minha familia e amigos estao no Brasil e os dele do outro lado da Inglaterra. Alem do mais, trabalhamos na mesma empresa, quase um do lado do outro. Assim, sinto necessidade de ter algo so meu, e o blog me ajuda nisso e na minha carencia de amizades, mas nao vou negar que as vezes sinto culpa, vejo ele como um filho que eu deveria estar dando atencao rs rs Paranoia, nao eh? Adorei o que vc escreveu, me senti mais aliviada.

    Ah! Estou de casa nova, me visita no http://www.vidatododia.com

    Bjs

    Larissa do antigo (e nao mais usado) larissatododia.com

    Reply
  11. Isabela
    07/12/2012 at 8:33 am (8 years ago)

    Rita, eu também nunca tinha sentido essa "necessidade", mas desde o começo do ano, percebi que sim, nos mães precisamos desse tempo…rs
    Mas é engraçado né, pois quando saio sem a Nina eu fico super atrapalhada, ja cheguei até a esquecer celular em banheiro de Shopping, "perder" chave do carro no estacionamento…
    Com a Nina na escola eu estava cuidando mais de mim.
    Mas como ela ficou muito doente, espero que ela se fortaleça bastante nas ferias para começar o ano bem…e eu ja vou me programando…
    Bjs

    Reply
  12. Pati_SB_Carvalho
    07/12/2012 at 7:14 pm (8 years ago)

    Minha filha tem 3 meses, e, como não poderia ser diferente, amo estar com ela a todo instante. Mas, sim!, sinto falta de ir ao salão para ficar com menos cara de mãe e mais cara de uma mulher de 27 anos como sou, de ir com o marido a um restaurante, de coisas simples assim.
    Tenho minha mãe que, quando preciso de qualquer coisa, vem ficar comigo e com minha filha. Ela é a única pessoa em quem confio para deixar a pequena, pois é enfermeira e só trabalha com bebês e crianças.
    Às vezes peço para o marido para darmos um pulinho em um barzinho aqui na frente (aqui na frente mesmo!) e ele diz que a consciência pesa e que agora somos três.
    Me despindo de qualquer culpa, converso muito com ele. E mostro que não é abandono deixar a pequena 2 horinhas para nos curtirmos. Ainda mais quando é só atravessar a rua. Ele, como trabalha o dia inteiro, não tem noção do quão cansativo, apesar de maravilhoso, é o dia a dia. E mostrei que, na verdade, por mais participativo que o pai seja, no início, a mulher se transforma em duas e o pai continua sendo um só. E que nós precisamos respirar e ter prazer em coisas que vão além da maternidade para que sejamos plenamente felizes e nossos filhos sintam isso. Isso passa longe de qualquer negligência e faz bem a todos! =)

    Patricia
    http://confissoesdarecemcasada.blogspot.com.br/

    Reply
  13. Amantikir
    01/02/2013 at 9:44 am (8 years ago)

    Rita,passei por aqui por acaso…comecei a ler seus posts e…não consigo parar,mesmo tendo n coisas programadas para hoje!!!Ai meus deuses! E agora? Agora é tomar coragem e ir para meus afazeres sem culpa e deixá-la aqui me esperando!Tenha um bom dia e um lindo findi!Inté!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *