Eu sou coruja com o meu novo país, fazer o quê?
Nem tudo é perfeito, mas diria que o Canadá está no caminho certo.
Minha amiga Pâmela publicou este link e eu tive que vir aqui dividir com vocês, pois é muito interessante ver como um país “desenvolvido” como o Canadá se posiciona com relação a alguns assuntos.
Assuntinho polêmico, mas estes são os meus favoritos.
Bom, aqui vai o parágrafo resumindo a notícia:
“Mais uma noticia espetacular.
Países
desenvolvidos e democráticos, como a Canadá e a Inglaterra, nos ensinam
mais uma vez como funciona o respeito com as evidências científicas e
como é importante se curvar diante das provas realizadas sobre segurança
na assistência ao parto.

O Ministro da Saúde do Canadá, mais do que
permitir ou aceitar os partos domiciliares, RECOMENDA-OS para as
pacientes de baixo risco, exatamente
porque existem provas contundentes de que são tão seguros quanto os
realizados em hospital, mas com maior satisfação por parte das mulheres
que assim optam como forma de dar à luz a seus filhos. Comparem esta atitude
serena, embasada, coerente e respeitosa com as atitudes do Cremerj
(assim como a do pseudo-jornalista Alexandre ‘por qué no te callas’
Garcia) e veremos que a diferença entre o Brasil e estes paises não está
nas riquezas ou nas glórias do passado, mas na postura democrática e no
respeito que as autoridades tem com relação à autonomia e liberdade dos
seus cidadãos.

Parabéns às mulheres e homens do Canadá por terem
dirigentes afinados com a ciência e com os direitos humanos.”
A ministra da saúde do Canadá anunciou publicamente seu apoio ao parto domiciliar quando se tratando de gestação de baixo risco, e liberou 500 mil dólares para cobrir a taxa de $ 350 dólares para o pagamento de um segundo especialista médico (midwife, enfermeira ou paramédico), que é necessário para o parto em casa. O parto em casa é feito por uma profissional chamada midwife mas o governo exige que haja um segundo especialista presente no momento do nascimento da criança. A notícia não foi bombástica no Canadá, onde as famosas midwives, ou parteiras, são comuns por aqui, mas ela fez notícia no Brasil, onde se inicia um debate sobre a humanização do parto.
Todas nós sabemos que atualmente só existe um tipo de parto no Brasil, a cesárea, que é a escolhida entre médicos e a grande maioria das pacientes, quando se trata do sistema de saúde privado, e o parto normal parece ser “usado” somente no SUS. Nada demais até aí, é isso o que a nossa geração ouve como normal desde os anos 80-90. Na época de nossas mães a cesárea era exceção, hoje é o normal, e atualmente ouve-se mais frequentemente questionamentos sobre a volta do parto humanizado
Não entrarei no mérito do parto normal aqui, visto que já me posicionei sobre este assunto neste post, mas acho interessante abordar o assunto do ponto de vista da opção pessoal de cada um. Aqui no Canadá há sim um respeito muito grande quanto ao modo como a mulher deseja dar à luz a seu filho. Médicos inclusive encorajam o Birth Plan, o plano de parto, onde a mãe escreverá o seu plano e os médicos tentarão segui-lo dentro do possível.
Há as que querem parto normal em casa, no hospital, na água, com anestesia, sem, com gás, com epidural, e é positivo para a gestante ter o poder de escolher como gostaria que seu parto fosse. Se ele ocorrerá conforme o escolhido daí são outros quinhentos, mas ela pode planejar sim.
Eu particularmente jamais optaria pelo parto domiciliar, eu prefiro e confio mais em um hospital, onde se houver qualquer problema você e seu bebê
 
 terão todo um aparato médico ali do lado para salvá-los, mas esta é a minha opinião, e tendo o histórico que tenho (Bella prematura), esta opção jamais seria viável no meu caso, há que se ser considerada baixo risco para este plano ser executado.
Ponto para o Canadá, que dá esta opção para suas mães.
Mas também ponto para o Brasil que está iniciando o debate sobre a volta do parto humanizado.

3 Comments on O Canadá fazendo notícia

  1. Ela
    07/11/2012 at 4:13 pm (8 years ago)

    Rita, uma amiga minha teve sua bebê semana passada. Ela estava com 38 semanas. Chegou ao consultório para um exame de rotina e o médico disse: "sua bebê não engordou nada do último ultrassom pra cá. de agora em diante ela não ganha nada ficando na sua barriga. vamos tirá-la."
    Nem sei o que comentar. Fiquei pasma…

    Reply
  2. Turquezza
    08/11/2012 at 1:23 am (8 years ago)

    Oi Rita, na Austrália todas devem fazer parto normal. Se tiver algum problema é resolvido ali na hora, se precisa de cesárea ou não. Tem as parteiras também e um médico que fica de plantão. Não é nada pago e o hospital público é muito melhor que muitos "ditos chics" aqui do Brasil. E ainda dão assistência em casa depois que os bebês nascem.
    E isso é 1º mundo! Respeito pelas pessoas e educação para cuidar de tudo no maior carinho.
    Beijos.

    Reply
  3. rita
    08/11/2012 at 1:42 am (8 years ago)

    Ela

    Que susto ne?
    Tadinha da sua amiga, nao eh facil ouvir este tipo de noticia, eu sei bem.
    Da um abraco meu para ela, de coracao.
    Beijinhos

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *