Li um artigo bem interessante sobre a “guerra” entre as mães que trabalham fora e as mães que ficam em casa e me deu vontade de dar a minha opinião por aqui.
Este é um daqueles temas bem polêmicos que atormenta a vida de T-O-D-A-S as mãe: trabalhar fora ou ficar em casa com as crianças? Aqui no Canadá não se usa o termo dona de casa, se diz stay-at-home mom, mães que ficam em casa, o que eu acho mais apropriado, visto que mesmo significando a mesma coisa, o termo mãe que ficam em casa, expressa melhor a vontade de uma mãe em ficar em casa com seu filhos ao invés de entregar a sua educação na mão de terceiros.
Eu posso opinar pois eu fui “stay at home mom” por 2 anos. A licença maternidade no Canadá é de 1 ano (amém!) e depois Bella ainda era muito pequenininha e novinha para encarar os germes de uma escolinha depois de ter nascido tão prematura, portanto eu e o Bryan sentamos, pensamos e decidimos que seria melhor que eu não voltasse ao mercado de trabalho naquele momento para ficar em casa com a Bella.
Eu gostei de ficar em casa por 2 anos inteiros com a minha filha?
Amei!
Amei!
Amei!
Eu curti demais ficar em casa cuidando da Bella eu mesma, curtindo cada novidade na vida dela, deixando que ela dormisse quando quisesse, acordasse quando quisesse, podendo tirar sonecas com ela a tarde, poder tirar o dia para pegar uma receita e cozinhar para o jantar, ver seriadinhos e novela com o meu cachorro durante o dia, era realmente o máximo, não posso me queixar daquela “mordomia”, mas nem tudo eram flores e vou contar por quê:
  • Do ponto de vista da relação marido e mulher:
Ficar em casa SUCKS!
Não faz bem ao relacionamento, tenho que confessar. Primeiro pois passava o dia ocupada com a minha filha e quando o marido chegava em casa às 5 horas eu literalmente dizia: “Pega que a filha é tua!”, pois depois de um mega plantão com a Bella, eu queria uns minutos para mim, para eu fazer algo não relacionado a criança, e o pobre do marido que tinha acabado de chegar de um dia de trabalho, tinha que fazer um plantão noturno de tarefas como dar jantinha, banho e botar para dormir. Não sempre, é claro, mas a sensação que ele tinha era esta, o que às vezes gerava um leve mal estar entre o casal.
Ser mãe que fica em casa dificulta o papo adulto com qualquer pessoa, já que os assuntos giram entre o filho, o banho do filho, a alimentação do filho, a escola do filho, o que o filho fez hoje, o que ele fará amanhã e depois de amanhã. Ave…..se eu fosse casada comigo mesma não iria aguentar! E olha que eu sou bem antenada e tenho bom papo, leio muito, vejo filmes, me informo do que acontece no mundo, mas a vidinha de mãe me sugava o papo mesmo.
  • Do ponto de vista financeiro:
Ninguém merece ter que prestar contas para o marido!
Arg….péssimo, detesto.
Eu detestava tanto que quando eu comprava algo para mim ou para a Bella, eu usava as minhas economias, pois achava extremamente desagradavel ter que dar satisfação do creme para o rosto que comprei ou do por quê a Bella precisava de X roupinhas a cada estação. Nem pensar!
Bryan pagava as contas da casa e tudo o mais, mas em 2 anos ele jamais pagou nada pessoal para mim, e acho que so usei o cartão de crédito de 1 x em 2 anos para fazer uma compra de inverno para a Bella, esta história de pedir permissão para o marido não é comigo, não!
  • Do ponto de vista da mãe como pessoa, e não somente como mãe:
O primeiro ano da Bella foi intenso e me entreguei 100% ao prazer de ser mãe. Depois de tudo o que passamos eu não tinha cabeça para mais nada, não li um livro sobre crianças, quis ser mãe em tempo integral sem a ajuda de ninguém (afora a minha mãe), e os meus dias eram dando colinho e mimando a minha pequena, mas o segundo ano começou e eu comecei a ficar entediada comigo mesma.
Poxa Rita, tu não faz MAIS nada!
Cuidar de filho, limpar a casa, cozinhar, tudo isso faz parte do meu papel de M-Ã-E, não faz parte da Rita pessoa, por dizer assim. A cabeça da gente precisa de desafios, precisa de tempo para pensar, planejar, ter idéias e planos para o futuro, e para mim isso não está necessariamente dentro do papel da maternidade, que este é um capítulo que já toma 80% dos pensamentos de uma mãe. Os outros 20% deveriam ser destinados a si mesma e não mais 20% destinado aos filhos.
Minha opinião, sei que cada um pensa diferente.
Por isso eu tive a idéia de usar meus conhecimentos de scrapbooking digital para criar um projeto novo para mim, que eu pudesse fazer em casa para me ocupar com algo que eu gostasse e que me desse uma graninha extra (para não passar pelo mico de ter que pedir pro marido). Foi assim que nasceu a Bella Balloon.
Mas não pensem que eu condeno as mães que optam por ficar em casa ou as mães que ficam em casa por quê não tem outra opção, pois este é um jogo em que ninguém ganha por inteiro.
Mães que trabalham fora amariam poder ficar em casa com os filhos.
Mães que ficam em casa se queixam de tédio, de não terem mais nada a fazer do que cuidar das crianças em tempo integral.
Quem está certa? Quem está errada?
Ninguém! 
Vejam bem, não estou julgando ninguém, cada mãe e cada família sabe o que funciona para si, mas como eu já passei pelas duas situações eu tenho uma diquinha leve para as mamis que ficam em casa: tenham um hobby ou um projeto, alguma coisa que a permita focar em algo mais que não a maternidade. Tenho amigas que fazem projetos freelancer, outras que estão estudando enquanto estão em licença maternidade, enfim, “cuidando” da vida de adulto enquanto passam o dia cuidando das crianças. Ter um projeto faz toda a diferença, pois o tempo passa, os filhos crescem e daí? Como ficará a vida da mãe? É sempre bom dar uma mexida nos planos de vida da gente.
No meu caso, a minha escolha foi feita por duas razões: por quê com a Bella completando 2 aninhos, eu via que já não a estimulava como ela merecia, a escola e a companhia de outras crianças fazem muita falta na vida de uma criança, ficar em casa com a mãe não é a mesma coisa, e segundo por quê morando na cidade mais cara do Canadá, não teríamos um bom nível de vida com apenas um salário. Na realidade seria impossível morar em Vancouver, principalmente em North Vancouver, se não tivéssemos duas rendas. 
E o saldo disso é que além de Bella ter sua vida própria na escola, com seus amigos e professoras favoritas, eu também tenho a minha vidinha, meus planos e desafios. Não pensem que eu não sinto saudade dos tempos em que ficava em casa com a minha filhota, sinto sim, e por isso eu digo….
Nós mães nunca vencemos, sentimos falta de uma coisa e da outra, e depois ainda perguntam por quê mães sentem tanta culpa?
E vocês mamis que trabalham fora…que ficam em casa….como se sentem?
A idéia é discutirmos o que fazer para minimizar a culpa, já que eu sentia ficando em casa e hoje indo trabalhar.

30 Comments on Mães que trabalham fora x Mães que ficam em casa

  1. Ellen Caliseo
    18/10/2012 at 4:22 am (8 years ago)

    Realmente não ´fácil trabalhar fora e chegar em ksa cuidar de filhos,casa e maridú..qdo era somente do lar reclamava a beça..pq meu mundo era somente aquele..o exterior não existia, e agora que trbalho (maridú está desempregado) pq tenho que trabalhar..me corta o coração ter que deixa-los pra ir ao batente ( esse serviço realmente sulga fds,feriado e férias) qse não sobra tempo, estou mto cansada..se eu pudesse mudar esse jogo voltaria com gosto, em ser mãe e dona de casa..sei que perco mta coisa e que são coisas que não voltam..gosto de trabalhar fora..mas adoraria poder ganhar dinheiro ficando em casa..quem sabe esse jogo não vira.
    Obrigada pude desabafar!
    Bjãooo!

    Reply
    • Emilia Sandei
      04/06/2015 at 5:32 pm (5 years ago)

      Hoje em dia existem muitas maneiras rentáveis de se ganhar um bom dinheiro trabalhando em casa. Como a internet por exemplo.
      Cada dia aumenta o numero de pessoas que estão trabalhando em casa pela internet, que hoje já é uma tendência mundial.
      Eu mesma trabalho nas minhas horas livres divulgando os serviços e o sistema de renda extra da FR Promotora. Uma empresa do Rio de Janeiro que trabalha em parceria com vários bancos e nos possibilita ganhar dinheiro sem precisar vender nada, apenas divulgar sua imagem na internet e também fora dela.
      Qualquer um pode participar, basta se cadastrar no site.
      Com mais de 15 anos no mercado, hoje é considerada uma das melhores e mais seguras empresas que trabalha com marketing online.
      Vou deixar o link da empresa caso alguém tenha interesse
      http://www.frpromotora.com/emiliasandei5000271

      meu e-mail: emisandei@bol.com.br

      Reply
  2. Isabela
    18/10/2012 at 4:26 am (8 years ago)

    Rita,
    Quando engravidei, eu decidi ficar com Nina até ela ter idade de ir para a escolinha. Eu queria curtir esta fase dela, a fase mais importante. E não me arrependo…
    Mas desde o começo do ano, comecei a sentir esta necessidade, de um tempo para mim, "senão eu piro" sabe ?! rs
    Mas como estávamos para mudar, Nina foi para a escola só no início de Setembro. Ela não tinha contato com crianças, nem nada…o que acho mega importante.
    Mas como Nina teve uma crise de rinite logo no início das aulas, ficou 1 semana e 1/2 em casa, então eu ainda não consegui me programar para fazer nada.
    Até comprei coisinhas de scrap para montar dois álbuns, mas ainda não consegui separar as fotos para imprimir…rs
    Em relação ao casal é exatamente isso…rs
    Adorei este post, e fico feliz de ter tido condições de ficar em casa com Nina nesta fase tão importante.
    Agora é que veremos como vai ser a MINHA vida…rs
    beijão pra vcs

    Reply
  3. Karina Rezende
    18/10/2012 at 4:28 am (8 years ago)

    Por coincidência comecei a escrever ontem um post mais ou menos sobre esse assunto.
    Eu concordo e discordo de você em vários pontos!
    🙂

    Eu parei de trabalhar e fiquei com a Duda por 2 anos e nunca tive que dar satisfação pro meu marido do que gastei ou porque gastei! Ele trabalhava fora e eu trabalhava em casa, o dinheiro sempre foi NOSSO! Assim como as contas, salários, cartão de crédito! Aqui em casa nada é separado!

    Meu relacionamento com o Robson também não foi afetado pelo fato de eu ficar em casa, mas eu sempre me preocupei muito em não virar a mãe chata que fica em casa e só fala de filho! Aliás, quando eu estou trabalhando muito, daí sim nos afeta! Eu sinto prazer em ser dona de casa! E ser mãe e esposa, vêem na frente de qualquer coisa pra mim! São meus melhores papéis!

    Me choca ver as mães deixando seus filhos com 4 meses na creche! E o pior…muitas delas sem necessidade!

    Eu tenho traumas enormes porque minha mãe sempre priorizou o trabalho…no post eu estou explicando melhor!

    Eu acho que tudo na vida tem o seu tempo!
    O que é certo pra um, não é para o outro…mas, se formos comparar as crianças de antigamente, criadas pelas mães e as de hoje em dia…uau, quanta diferença!

    E, eu não acredito na história do "passar pouco tempo, mas com qualidade"…acho que essa é a desculpa das mães sem tempo para os filhos se sentirem um pouco melhor!

    Mas, cada uma com a sua história! Acima de tudo respeito! Somos todos diferentes e cada um sempre terá suas próprias verdades!

    Beijos enorme,

    Ka

    Reply
  4. rita
    18/10/2012 at 4:32 am (8 years ago)

    Ellen!

    Tô contigo, vamos jogar na mega sena para poder ganhar dinheiro ficando em casa e fazendo o que nos da na telha.

    Queria muitoooooo esta solucao.

    Amei seu comentario!
    Beijinhos

    Reply
  5. rita
    18/10/2012 at 4:33 am (8 years ago)

    Isaaaa

    Puxa amiga, eu sei bem o que estas falando, eh so a gente se programar que as gripes e alergias chegam, os filhotes ficam doentinhos, e ficamos em casa com gosto, eu tambem sou assim.

    Mas agora o verao chegara e a Nina vai estar cheia de saude para a mamae espairecer a cabeca,

    Beijinhos

    Reply
  6. rita
    18/10/2012 at 4:38 am (8 years ago)

    Káaa

    Amei seu comentario, é discordando que a gente concorda ne?

    Eu to contigo em tudo o que dissestes, mas aqui em casa temos 2 salarios desde sempre, desde que me mudei para o Canada, e sendo assim 2 contas separadas.

    Aqui em casa as contas separadas dao mais certo, cada um com sua grana e nunca brigamos por causa de dinheiro, de contas. É o que funciona pra gente há 8 anos e seguiremos assim, por isso naquela epoca ficava constrangida de pedir, achava esquisito, enfim, a nóia de cada um , né?

    Ser mães é a melhor coisa da minha vida, mas eu sinto falta de fazer as minhas coisas, ter os meus planos, a minha culpa vai até ali em pensar assim, pois sei que se eu tiver me sentindo bem comigo mesma a Bella se sentirá melhor ainda.

    Uma vez vi uma entrevista com o cantor Seal e ele dizia FAMÍLIA FELIZ É A FAMÍLIA COM A MAE FELIZ

    No final das contas o cara ate se separou, mas eu entendo o que ele quis dizer, se a mae nao esta 100% os filhos e marido tambem nao estarao, entao por isso acho importante separar um pouco as coisas, senão parece sufocante aos olhos dos filhos tanta dedicação.

    Vai saber!
    Coisas de mae que pensa demais eu acho.

    Beijos e esperando o post entao!

    Reply
  7. Anonymous
    18/10/2012 at 6:36 am (8 years ago)

    Nossa, concordo com a Karina em 300% !
    Tambem penso que o dinheiro que entra em casa tem que ser dos dois, sem essa de ter que dar satisfacao pra ninguem. E acho que numa situacao assim, o marido tem que se mancar que a mulher tambem precisa daquela dinheiro e nao deixar que ela se sinta constrangida.
    Concordo que a mae que fica em casa deve ter seus hobbies e atividades que saiam do assunto familia, mas tambem nao entendo as que "terceirizam" os filhos pequenos na maos de escolinhas ou de baba com as desculpas mais esfarrapadas. Crianca pequena nao precisa de "estimulo" que nao possa ter em casa e nao precisa ser pre-alfabetizada (nao sei no Canada, mas no Brasil se uma crianca de 3 anos nao souber o alfabeto e contar ate 30, eh vista como "boba".
    Como a Karina disse, tudo tem seu tempo !
    bj
    Andrea

    Reply
  8. Miriam
    18/10/2012 at 8:10 am (8 years ago)

    Oi Rita, tudo bem? É a primeira vez que comento no seu blog. Adorei seu post, acho que nunca vi uma descrição de prós e contras tão perfeita!! Tenho visto por aí, mulheres que expressam suas opiniões, empunhando a bandeira de que mãe tem que ficar com o filho a qualquer custo e condenando quem quer ou precisa deixá-lo para ir trabalhar. Eu tive o privilégio de estar com minha filha até quando ela completou 3 anos, não por opção, mas porque quando engravidei, precisei mudar de cidade e largar o emprego que tinha e depois que tive a Maria, não conseguia arrumar emprego, numa cidade que não conhecia ninguém e que o maior empecilho era justamente ter uma criança pequena, mesmo tendo um bom currículo. Foi bem difícil! Mas me deu a plena consciência de que existem dois lados sim e estou dos dois.. rsrs.. Acho que se a mulher tem e pode ter a opção de ficar em casa nos primeiros anos do filho, acho super válido, mas se não pode, não deve se culpar e nem ser condenada por isso! Cada uma sabe de suas necessidades!!
    Bjs

    Reply
  9. Anonymous
    18/10/2012 at 8:21 am (8 years ago)

    Rita, esse tema eh muito delicado, e como vc falou nao tem vencedor. mas por outro lado sempre tem as donas da razao. Sou a favor de mae feliz faz a familia feliz, quanto a isto nao tenho duvida. E acho q tempo de qualiodade eh importante, pois vejo maes q passam o dia com os filhos e ao mesmo tempo nao estao com os filhos, pois estao limpando, no FB, cozinhando, etc e o tempo eh longo mas a qualidade baixa.
    Depois de 1 ano e meio voltei a trabalhar, por opcao, como vc gosto da minha indepencia, e pedir dinheiro pro marido eh brabo. Quanto a $$$ cada casal funciona diferente, e isto eh outra coisa q nao tem certo ou erroad. Mas vc sabe que o melhor eh ter opcao, pois quando nao se tem isso complica.
    Mas escuto de maes q nao trabalham, que nao vejo meu filho crescer e outras asnerias. E quando vejo estas mulheres, tenho pena dela, pois eu nao queria a vida delas para mim, lava passa esfrega cozinha, …… e de novo o tempo com as criancas no final nao eh tao mais de qualidade quanto o meu. As que vivem em playdates, eh brabo viu hehehe. Adoro playdates, mas as vezes o papo eh so aquele de filhos e como vc falou o assunto fica escasso. Enfim cada um sabe da sua vida, mas acho q algumas mulheres nao sabem eh respeitar a opiniao alheia, por viverem em uma bola.
    A vida muda qundo nos tornamos mae, e quem define as prioridades somos nos, e o resto tem q respeitar u se calar.
    Carol
    http://www.motherlovedatabase.com

    Reply
  10. Alessandra Vieira
    18/10/2012 at 10:24 am (8 years ago)

    Estou sendo mãe em período integral, como costumo dizer, há quase três anos. Passo, por altos e baixo, várias vezes.Tudo tem seu valor. O estar com os meninos é simplesmente maravilhoso, mas por outro lado sinto falta de trabalhar, interagir com outras pessoas ter assunto e novidades para contar ao marido. Mas a vida segue, acredito que assim que possível mudo minha rotina novamente.

    Reply
  11. Nina
    18/10/2012 at 11:05 am (8 years ago)

    Olá !
    AMEI o post,achei super interessante,é um assunto polêmico como parto normal x parto cesárea,rsrs

    Bem,concordo com vc,a única coisa sobre o assunto que eu não acho certo,são mães que decidem ter filhos,pq já tá ficando velha e tem que ser mãe…aí é somente pra satisfazer a sua necessidade,cumprir esta missão.Sendo que ela não está disposta nenhum pouco a se privar de nada pelo filho,trabalha 12 por dia,joga a criança numa creche e depois ainda fica com a babá em casa esperando ela chegar da social.A criança é totalmente terceirizada,uma mulher que escolhe uma belíssima carreira imponente,não pode se dar ao luxo de colocar uma criança,que é um ser absolutamente dependente dela,pra sofrer com a sua extrema ausência.Acho isso um covardia,não há outra palavra.
    Fora isso,admiro muito mães que se desdobram,podem ao chefe uma carga horária menor,mesmo que ganhe um pouco menos,fazem tudo o que podem pra curtir um tempinho com o filhote…isso é muito válido.A criança não é abandonada e criada pelos outros (creche,babá,avó)
    Mil bjos gata !!!

    Reply
  12. Ediene Sousa
    18/10/2012 at 11:51 am (8 years ago)

    Oi Rita…..amei sue post e concordo com vc!
    Eu fiquei com a Cecília 1 ano e 4 meses e gostaria de ficar mais tempos com ela sim!!! Minha história é um pouco longa, mas vou resumir bem…20 dias antes da Cecilia nascer perdi um irmão de 24 anos em 1 acidente de moto…foi muito difícil para mim e minha família..o luto demorou para passar…foi qdo decidi ficar em ksa…pois vi q a vida é curta de mais e queria estar mais tempos com a família…depois descobrimos a demência em minha mãe…então neste tempo eu pus minha cabeça em ordem…era tudo muito novo e difícil…mas tive a sorte deencontrar uma pessoa maravilhosa q me ajudou muito com a Cecília, a Jô..esta foi e é meu anjo da guarda..me ajudou em tudo com a Cecília e devo muito a ela, depois de todo este turbilhão outros problemas foram surgindo
    refleti sobre tudo o que vc mencionou..minhas economias me "seguraram" e me seguraria por mais um tempinho… Mas senti que era hora de voltar ao mercado de trabalho…meus planos era trabalhar por conta, mas surgiu uma oportunidade muito boa e não podia negar…. a Cecília fica com a Jô e tenho opção de home office em dias de consulta ou outros imprevistos….Voltei ao mercado mais madura e a Ediene "Workaholic" não existe mais…a maternidade e o sofrimento me deu equilibrio…acho q estou conseguindo conciliar a Ediene mãe, mulher, profissional, filha, amiga, tia, etc…é claro que não consigo ser boa em tudo…mas tenho certeza que estou sendo a melhor q posso… e a culpa…haha esta sempre vai existir,,,bjão para vc e a Bella

    Reply
  13. Mamãe Nádia
    18/10/2012 at 12:19 pm (8 years ago)

    Esse assunto é bem polêmico mesmo, eu sinto bem essa "guerra" aqui na blogosfera materna brasileira. No ano passado percebi que não estava valendo a pena trabalhar fora e decidi largar tudo pra ficar em casa com meu pequeno e me senti "apedrejada" pela minha decisão. Neste ano voltei a trabalhar porque uma ótima oportunidade apareceu, mas no ano que vem no Canadá vou ficar em casa novamente por um tempo. O importante é cada mãe ver o que ela quer, o que se encaixa na vida dela, sem seguir modismos, e não ficar palpitando na vida das outras. Cada uma decide o que é melhor pra sua família e deu…ninguém precisa ficar se "agredindo" por causa de um assunto tão pessoal. Se uma mãe decide ficar em casa é sinal que é o melhor pra ela, mas não quer dizer que você tem que seguir ou que isso é um insulto pra você. Eu sou a favor das duas coisas, dependendo da situação. O negócio é ter paz com a sua decisão e a gente parar de ficar se cobrando por nossa escola. Beijos!!

    Reply
  14. Fernanda
    18/10/2012 at 1:41 pm (8 years ago)

    Esse assunto é polêmico mesmo, concordo que cada mãe tem que ver o que é melhor para si e para sua família, não tem como ficar julgando, mas infelizmente muita gente gosta de apedrejar a decisão alheia sem qualquer conhecimento da vida alheia…
    Eu, por exemplo, tenho uma empresa, ou seja, nada de licença maternidade para mim, com meus filhos com 15 dias de vida eu já estava trabalhando, fiz um esquema de trabalhar meio período e como trabalho perto de casa de 3 em 3 horas ia em casa para amamentar quando eram pequenos, apesar de trabalhar fora meus filhos tiveram amamentação materna exclusiva até os 6 meses, me desdobrei e tenho certeza que não deixei nada a desejar em relação a mães que se dedicam exclusivamente para os pequenos… Queria muito poder, mas não posso, minha realidade não permite, preciso da minha renda e não posso abrir mão dela, afinal de contas, as coisas custam dinheiro… No Brasil, uma boa escola é cara, um plano de saúde também, roupas, farmácia… É muito lindo criticar as mães que trabalham fora quem não vive a realidade de ter que trabalhar pelo sustento…
    Sinceramente, não me culpo, é a minha realidade! Me dedico tudo que eu posso aos meus pequenos, me desdobro em mil, trabalho, vou na natação deles, busco na escola, levo sempre que posso e algumas vezes eles precisam ficar sim com a minha mãe, mas quem não merece um chamego de vó de vez em quando!? Sou feliz assim e meus pequenos também e quando estou com eles, estou com eles, nada de computador, novela, sou toda deles!
    Enfim, viva a mãe feliz da maneira que melhor for para ela e para sua família!

    Reply
  15. Pâmela
    18/10/2012 at 3:07 pm (8 years ago)

    Ótimo post Rita!

    Adorei o que a Karina disse também!

    Com certeza cada família tem um arranjo que lhe faz bem, mas vejo por aqui um modismo enorme de bebês de 4 meses em creche vindo de famílias que poderiam muito bem viver de 1 salário e dar a criança o atendimento e atenção que são NECESSÁRIOS nesta fase.

    Aqui optamos por isso, nossas finanças sofreram uma mudança brusca. Mas valeu a pena, estar em casa, dar a atenção necessária, acompanhar o desenvolvimento é algo tão precioso que não vejo como pode ser diferente. Mas nunca me senti mal em usar o dinheiro que o marido ganhava. Nunca pedi, simplesmente usava quando achava necessário. Sempre encaramos como NOSSO, já que se ele trabalha fora, eu trabalho em casa, e um trabalho de 24hs, que muitos veem como tranquilo e fácil, mas quem é mãe e está em casa sabe que não é isso, é um trabalho sem fim. Por isso sinto e pensamos que estamos quites rrsrsrs

    Ano passado quando trabalhei fora ano passado foi um verdadeiro inferno. Não focava no trabalho, não focava na Lara, nem no marido, uma loucura mesmo. Assim fico completamente infeliz. Eu preciso de estrutura para conseguir realizar umas coisas e com uma criança pequena, querendo minha atenção o tempo todo, e que vivia com alguma coisa (doencinhas)… não funcionou. Sem contar que além de trabalhar fora, cuidava da Lara, da casa e tudo o mais. Ele cooperava com algumas coisas, mas no fim era eu que tinha funções acumuladas. Chegamos a conclusão que se ele não tinha como me ajudar mais ou eu não trabalharia fora ou teríamos que ter uma ajudante em casa 2 vezes por semana pelo menos.

    Decidimos por eu ficar em casa. E tem funcionado muito melhor rsrs

    Por nós dois eu não voltaria mais a trabalhar fora, faria algo de casa. Mas não é a nossa realidade.

    Hoje já sinto a necessidade de fazer algo, acho que faz parte da vida. Quando um filho nasce tudo se volta para eles, conforme vão crescendo eles precisam cada vez menos da gente e a gente vai sentindo de novo a sensação de precisar a voltar a fazer algo por nós mesmas…

    Com certeza cada família tem um esquema que melhor funciona, e contanto que a família esteja bem atendida e feliz é o que importa!

    Beijos
    Pam.

    Reply
  16. Mae da Luna
    18/10/2012 at 3:32 pm (8 years ago)

    Estou como "stay-at-home mom" ha 1 ano e 4 meses mas logo logo voltarei a trabalhar e a minha filha ira para o day care. Sinto muita falta de trabalhar, de interagir com pessoas, ter desafios, etc. Mas qdo vem esse desespero eu penso…"vc 'e uma privilegiada, muitas maes dariam tudo para estar em casa com os filhos…" e agradeco a Deus e ao meu marido que nos proporciona isso, sao tantos momentos especiais qua passo junto dela, testemunhei os primeiros gritinhos, primeiros dentinhos, primeiros passinhos, todos os dias tem uma novidade que me enche de orgulho.
    Sobre o dinheiro, o meu marido sempre me incentiva a sair nos fins de semana comprar algo para mim, ir ao salao (devo estar com a aparencia acabada rs…), … Eu, no inicio, achava super desconfortavel pegar o cartao de credito e sair gastando sem ao menos estar ajudando na renda. Mas um dia ele me disse: " Vc trabalha tanto quanto eu, cuidando da nossa filha, da nossa casa e de mim. Nao tem mais essa de meu dinheiro ou seu, 'e nosso e pronto." E temos um pacto que 'e usar o bom senso, por ex. eu compro varias coisinhas sem comentar com ele antes de comprar. Mas tb nao vou chegar em casa com uma TV LED nova sem antes termos sentado, conversado e acordado comprar. Bom 'e isso.

    Reply
  17. rita
    19/10/2012 at 2:40 am (8 years ago)

    Oi Andrea!

    Tu sabes que tambem nao concordo com o estimulo demais que se da as criancas atualmente, aqui no Canada acho que nao é tão assim ainda, nao se espera que uma criança de 3 anos saibam todo o alfabeto e contar ate x numero, mas ha sim uma preocupacao em que a crianca seja bem encaminhada cedo. Eu, como educadora infantil, sei os estimulos que a minha filha precisa, mas nada supera o convivio com outras criancas, e isso uma mae que fica em casa, com a crianca em casa, nao consegue proporcionar. Por mais que se leve a crianca para a pracinha x vezes por semana, visitar os primos no final de semana, nao eh o mesmo tipo de convivio que se tem na escola.

    Na escolinha as criancas aprendem a nao so socializar, mas sim entender as regrinhas de cada um tem a sua hora, tem que dividir,brincam juntos, e principalmente….ao meu ver….aprendem a ter problemas e a solucionar estes problemas elas mesmas entre si, sem a mae tentando ajudar. Se olharmos para as criancas mais velhas e adolescentes que temos hoje em dia, em que ha um desrespeito com os pais, com os professoras, pode-se ver que foi exatamente nisso que se pecou com a crianca. A impor limites (dentro de casa e fora de casa, na escola) e a deixar a crianca solucionar os seus problemas, aprender a entender o que esta acontecendo e a tentar resolve-los, e isso so existe com um estimulo maior no quesito socialização, isso infelizmente nao se aprende em casa.

    Concordo que tudo tem seu tempo, mas exatamente por isso, os tempos sao outros e a sociedade ja eh tao mais pra frentex do que era, as criancas acabam tendo que acompanhar.

    Beijocas
    Rita

    Reply
  18. Sandra Nogueira
    19/10/2012 at 2:47 am (8 years ago)

    Enfim…fiz um post com o título " Ser mãe é padecer na Paraíba!!!" e o assunto é esse, polêmico e muitíssimo pessoal, cada qual na sua situação peculiar e particular, mas gosto muito de ler o que vc escreve Rita porque é pessoal sem atacar e nem defender, imparcial mesmo. A minha opinião é a seguinte a Helena vai crescer e nem vai querer ficar tanto tempo comigo então literalmente "morro de dó" de trabalhar, mas como sou concursada também não posso me dar ao luxo de me exonerar para ficar em casa.

    Acho que conseguimos um certo equilíbrio, eu e meu marido nos revezamos com ela e isto só foi possível porque ela é especial e a legislação nos permite uma carga horária e um regime de trabalho diferenciados para acompanhá-la em terapias e em casa mesmo…mas se não fosse assim não sei como seria…já vou trabalhar com o coração do tamanho de uma ervilha com ela ficando com o pai!!! Aff, acho que também tenho que começar a praticar o desapego senão não vou querer que a menina case!!! Hehe

    bjos e como sempre ótimo post!

    Reply
  19. rita
    19/10/2012 at 3:24 am (8 years ago)

    Oi Miriam

    É verdade, eu não gosto desta pressão tanto para um lado como para o outro, é tão injusta com a mãe que está tentando fazer o melhor para a sua família e na maioria das vezes nem tem escolha.

    Eu tive condições de ficar em casa por 2 anos, e sei que tive muita sorte. Nossas finanças ficaram balançadas, pois tinhamos o financiamento da casa que é pesado, carro, supermercado, um bebe novinho com todas as despesas de leite especial por 1 ano, tudo super caro, foi maravilhoso para mim, mas sei que foi pesado do ponto de vista financeiro.

    Cada familia com suas necessidades, como tu dissestes.

    Beijocas
    Rita

    Reply
  20. Dea Mattos
    21/10/2012 at 3:31 pm (8 years ago)

    Oi Rita!

    Fiquei curiosa com o tema pois pretendo chegar no Canadá, começar a trabalhar e engravidar depois de uns anos. Isso me preocupa muito, pois quero dar atenção ao meu pequeno(a) ao menos no primeiro ano, mas não quero demorar muito pra voltar ao mercado para não me desatualizar muito.

    Queria saber quanto tempo eles passam na creche aí no Canadá? Dá tempo de trabalhar num emprego "normal"? rsrs

    Beijinhos
    Dea

    Reply
  21. Monica Lima
    24/10/2012 at 3:54 pm (8 years ago)

    Nossa, Rita, vc virou minha ídola! Hahahaha!
    Sério, você falou tudo o que eu penso, e acho que pensarei quando tenha filhos. Parabéns pelo post.
    Beijos!

    Reply
  22. Anonymous
    08/11/2012 at 8:32 pm (8 years ago)

    Oi Rita, sempre acesso o blog, mas acho que nunca deixei comentário. Neste post, você descreveu a minha vida durante os 6 meses e meio que fiquei em casa de licença maternidade. As sensações deprês de isolamento, mesmice, sobrecarga com o bebê e a casa, falta de tempo pra mim, pouca participação do marido, etc… se misturavam com a alegria de ver meu filhote crescendo e descobrindo o mundo. Trabalho somente à tarde e por isso arranjei uma babá para esse período. Ela é ótima com ele. Voltei a trabalhar super contente, consciente de ter retomado uma parte essencial na minha vida. Amo demais meu filho, somos muito apegados (inclusive gostaria de pedir um post sobre filhos que são muito apegados às mães), fico com ele a manhã toda e a noite (quando o pai também está em casa) e sou extremamente feliz de poder ter essa rotina. Abração. Viviane Zanol Maran.

    Reply
  23. Iza
    24/01/2013 at 5:03 pm (8 years ago)

    Nossa! Eu amei seu texto! Li tim tim por tim tim. Rs!
    Adorei mesmo!
    Estou passando por um dilema no momento.
    Meu filho já está completando 2 aninhos também. Quando ele fez 6 meses, minha licença maternidade terminou, voltei trabalhar, no dia anterior ao primeiro dia da volta ao trabalho foi um pesadelo, não dormi, chorei como nunca havia chorado em toda minha vida! Fui trabalhar mal, fiquei só 1 mes na empresa e pedi pra sair. Fiz acordo e saí.
    Por dois motivos, um porque eu já não aguentava a empresa, estava infeliz lá, e eles estavam planejando mudar meu horário para o noturno, trabalhar a noite inteira e cuidar do filho o dia inteiro seria no mínimo uma loucura. E segundo pq me separei do pai dele, senti que ele precisaria de mais atenção que Nunca!
    Ele está completando 2 aninhos, depois que saí de lá só tive um trabalho numa escola, da qual era temporário e logo saí também, hj estudo para concursos públicos, foi onde encontro um futuro melhor pra nos, pois estabilidade, bom salário, horários bons.. é tudo que preciso agora! Só que o único horário que consigo estudar e de madrugada, fico das 22 horas às 4 ou 5 da manhã estudando para as provas de concursos, o que eu for convocada primeiro eu vou! Claro! No momento estou estudando para um muito importante, será em abril, comprei curso on line, comprei livros, me entreguei mesmo aos estudos, mas só me restou a madrugada pra estudar, meu menino não me deixa estudar nada durante o dia. O dia todo ficamos juntos, saímos passear, brinco, vejo desenhos com ele, tiro uma soneca abraçada a ele. To sendo mãe em tempo integral mesmo! Só que estudar só durante a madrugada se tornou cansativo, parece que não absorvo tudo que preciso, sei lá.. pensei em coloca-lo na escolinha por meio período, mas fico morrendo de dó, fico me sentindo mal, poxa, uma mãe em casa colocar filho na escola? Me sinto péssima com isso! Ao mesmo tempo algumas amigas próximas dizem que não vou ficar em casa vendo novelas, ficarei estudando, e muito, fazendo curso on line, me preparando para a prova e para um futuro melhor para nos! Fora que ele fica muito sozinho, só eu e os avós maternos… o pai fica com ele só aos sábado a tarde! Ele não tem contato nenhum com outras crianças, percebo que ele brinca comigo, mas às vezes parece ficar entediado, quando vê uma criança na rua fica olhando que até para pra ver crianças brincando… Aí penso, poxa! Ele vai ter novos amiguinhos, e eu terei tempo pra mim e para os meus estudos. Pensei nem que fosse para deixa-lo por meio período mesmo! Já está ótimo. Que dilema.. ao mesmo tempo me sinto mal por deixar meu menino aos cuidados de outras pessoas sendo que ainda nem estou trabalhando.. Dilema terrível.. 🙁
    Desculpa o desabafo!

    Reply
  24. Filipe Borges
    13/06/2013 at 3:50 pm (7 years ago)

    Rita, parabéns pelo excelente artigo.
    Eu senti bem na pele essa experiência. Tanto eu, vomo a minha mulher somos freelancers e a excelente solução que arranjamos foi a de irmos alternando os dias.
    Assim ela aproveitava o espaço que tinhamos alugado na Regus em Lisboa, para trabalhar e aliviar um pouco o stress e no dia seguinte ia eu. A nossa relação melhorou bastante e conseguimos equilibrar melhor as nossas finanças os 2 do que fosse só um a trabalhar.
    Continuação de bons artigos

    Reply
  25. Anonymous
    19/08/2013 at 3:17 pm (7 years ago)

    Afinal, eh melhor ficar em casa ou trabalhar fora? Estou passando esse dilema agora! :/

    Reply
  26. Bruna Nunes
    27/11/2013 at 3:57 am (7 years ago)

    gostei muito deste poste estou em casa e realmente depender de marido não é fácil não, mas a minha maior recompensa disto tudo é o sorriso da minha princesa, vê-la crescer para mim não tem felicidade maior….. o dificio são os dias passarem e ter que ver dia a pós dia paredes…… mas amo muito minha filha…

    Reply
  27. Anonymous
    11/01/2014 at 6:27 am (7 years ago)

    Ser mãe é uma das profissões mais compensadora que alguém possa imaginar e tudo que é feito com amor e dedicação em qualquer área tem resultados bons. Decidir me dedicar ao lar e a maternidade e sou muito grata efeliz por ter a oportunidade de acompanhar a cada fase e evolução das minhas princesas, hoje com 5 e 3 anos. E quando o marido apóia o resultado é ainda melhor, pois quando o meu marido chega fica com as crianças para eu ter uma horinha de folga e nessa hora eu me dedico ao esporte , recarrego as baterias para o próximo dia.
    Também não critico quem trabalha fora e deixa a criança na escala, aliás tiro o chapéu, pois não deve ser nada fácil, mas se faz com amor e dedicação tudo funciona perfeitamente.

    Reply
  28. Anonymous
    27/03/2014 at 2:31 pm (7 years ago)

    Amo ser mãe em tempo integral, e olha que minha filha já tem 6 anos, mas como não tive muita convivência com minha mãe, fui morar com ela já estava com 9 anos, senti a necessidade que minha filha tivesse o carinho e a atenção que eu NUNCA tive, e como estamos no projeto do segundo filho, acho que nem tão cedo volto a trabalhar. Sim, já trabalhei fora, mas perdi momentos da vida da minha filha, que não gostaria de ter perdido, como por exemplo, os primeiros passos, o desfralde, as primeiras palavras… Quando vi, que eu e ela estávamos perdendo mais do que o meu salário podia pagar, resolvemos que era melhor eu ficar em casa.

    Reply
  29. Anonymous
    30/04/2015 at 1:49 am (5 years ago)

    O hoem tem que trabalhar e a mulher ficar em casa cuidando da casa e filhos
    Não tem essa d vidinha pq essa e a vida Familia
    Por isso muitos estão virando bandidos pq o pai já trabalha e a mãe tbem, não tem presença , fora que ter filho e jogar nas costas dos outros pra educar
    Se mulher quer independência no tenha filhos marido familia
    Pq não tem preço que pague uma mae por perto totalmente eu sei do que falo, pois minha mae sabia ate a cor dos meus lápis . Hoje o filho chega em casa a mae não sabe onde tava com quem tava onde pego o celular novo se usa droga, tudo pq trabalha fora não tem como da conta
    Eu valorizo minha mae ela sim e uma grande mae e teve um homem de verdade em cassa meu pai

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *