Qual a definição de uma família?
Um filho?
Dois?
Só o casal?
Li uma matéria bem interessante esta semana sobre a família atual, o artigo se chamava a família “incompleta” e questionava o que seria uma família completa atualmente: Um filho? Dois filhos? Sem filhos? Depois de lê-la, me deu vontade de escrever sobre o assunto.
Vamos combinar, já não existe mais fórmula para isso. Antigamente presumia-se que quem casava tinha que engravidar logo, depois do primeiro filho já convinha encomendar o segundo, e Deus o livre, depois de 2 meninos ou 2 meninas, estava na hora de tentar o sexo que não tinha sido conquistado ainda. Olhe para os lados, para sua própria familia, para seus amigos, e veja se as coisas não mudaram barbaramente.
Já moro fora do Brasil há quase 10 anos , então não sou expert sobre o que anda rolando por aí, mas posso falar o que se passa por aqui, e mesmo aqui, de uma província para outra as coisas mudam. Em Calgary, onde eu morei por 7 anos, você vê famílias grandes, com 2 filhos no mínimo. A cidade tem um clima mais família, os programas são destinados a elas e mesmo pegando-se a parte financeira da coisa, por ser uma cidade com um custo de vida mais baixo se comparado a Toronto e Vancouver, um casal tem mais condições de ter mais filhos. Já em Vancouver eu arriscaria dizer que 70% dos casais tem apenas 1 filho. Outra curiosidade é que os pais são mais velhos se comparados aos pais de Calgary, que são muito mais jovens, na faixa de 20-30 anos, aqui a maioria dos pais tem de 35 para cima.
Conversando com outras mães por aqui, algumas dizem que até pensam em dar um irmãozinho ao filho, mas que a questão financeira conta na decisão: alimentar, vestir, pagar escolinha-faculdade, aulinhas como natação, dança, arte e afins. A preocupação se dá pois o mercado imobiliário de Vancouver criou a expressão “house broke”, a maioria das famílias tem que suar para pagar o financiamento de uma casa de preço altíssimo.
Vou dar a minha opinião, o que eu penso a respeito para mim, para a nossa decisão de ter ou não outro filho. Bella já tem 3 anos e eu tendo 33, já comecamos a pensar sobre ter um outro bebê ou não, e quando. Do ponto de vista da Bella, pensando na Bella, no futuro dela, nela vivendo aqui no Canadá onde não temos família morando perto de nós, eu adoraria dar um irmão para ela, para ela não crescer sozinha. Eu tenho um irmão e embora ele more longe, eu adoro saber que ele existe e está a apenas um teclar de letras, e se depender de mim eu gostaria de dar um companheiro para ela. Há os que dizem que você não precisa de um irmão de sangue, que não é garantia de se dar bem no futuro (o que eu concordo), que amigos também são a nossa família, o que também concordo, mas em um país de cultura tão nômade, onde você faz um amigo hoje e amanhã ele se muda para outra cidade, eu não comparo a proximidade de um irmão a de um amigo, pelo menos não aqui.
Esta é a minha opinião no que diz respeito a Bella, a todo o amor que eu sinto por ela e ao desejo de não deixá-la crescendo sozinha, mas não pensem que eu não penso no outro lado da moeda.
Quando eu vejo a minha rotina atribulada de trabalho-casa-marido-filho-cachorro-blog-hobbies e afins, eu falo para mim mesma: Rita, tu é muito pretenciosa em achar que poderá dar conta de um outro filho! Acorda as 5 da manhã, trabalha o dia inteiro, volta para casa para fazer janta, botar sua filha para tomar banho, dormir, faz faxina, lava roupa, trabalha de casa nas coisas da escola até altas horas da noite, e não tem absolutamente ninguém para te ajudar…como mesmo dará conta de outro filho?
As mães que moram fora me entendem, cuidar de tudo e todos absolutamente sozinha é difícil demais, e esta dificuldade toda resulta em tempo zero para você. Como mãe e esposa você dá conta de tudo e é realizada na sua função, mas do ponto de vista de você, ser humano e mulher, é difícil ter cada vez menos tempo para cuidar de você.
Então eu entendo as famílias com filho, com mais de um filho, pois eu entendo na pele este desejo de ser mãe, mas também entendo totalmente o desejo de algumas famílias de não terem filhos ou de terem apenas 1 filho, para poderem desfrutar do tempo para si, para poder ter mais condições de viajar, de aproveitar a vida mais intensamente sem o trabalho de criar filhos.
Somente você é quem sabe o que constitui uma família, o que você precisa para ser feliz, com ou sem filhos, com 1 ou 6 filhos a lá Angelina Jolie, quem são os outros para julgar, não é mesmo?

9 Comments on Família incompleta?

  1. Pâmela
    03/10/2012 at 3:10 am (8 years ago)

    Nossa Rita concordo plenamente!

    Antes de chegar esta época de escola e afins eu sempre achei que dava para ter até 3 filhos… que sempre havia um jeito! Mudei completamente minha cabeça ao fazer contas e ver a realidade que pagar escola particular (aqui no Brasil não temos muitas opções na rede pública né), aulinhas e etc é muito dinheiro. Fora isso tem o lado pessoal que você falou. Se com 1 filho é complicado achar tempo para nós mesmas quanto mais com 2, 3 ou mais.

    O que nos levou a tomar uma decisão foi o fato da Lara já existir. Ela já está aqui, e merece ter um irmão(ã), um companheiro(a), dividir, estar junto. Assim como você adoro meus irmãos! Cresci brigando com todos rsrs, mas os amo mesmo assim. Já meu marido é filho único e sabe como é isso, ele carrega até hoje umas coisinhas que eu chamo de "síndrome do filho único" (para rir dele rsrs). Tanto ele como eu entendemos os benefícios que um irmão traz.

    Por mim, se não fosse os outros detalhes, e o dinheiro não fosse um fator a considerar, teria 3 filhos ou mais rsrsr. Como não é o caso, o que está nos planos é mais 1 rsr.

    A tarefa não será fácil, bem sei, mas acho que no fundo nos fará muito mais completos. Este é o esquema que pensamos que funcionará com a gente.

    Espero em breve contar novidades!

    Grande beijo!

    Reply
  2. Lury
    03/10/2012 at 12:28 pm (8 years ago)

    Concordo, cada um sabe o que é melhor. Algumas famílias planejam os filhos, outras recebem os filhos que vieram, outras preferem não ter filhos. Cada caso é um caso.
    Eu tenho 3 e não imagino minha vida sem eles.
    Dificuldades enormes, tempo pouquíssimo, dinheiro falta… Mas a felicidade e a realização de tê-los não tem preço.
    Crescem unidos, amigos um do outro, aprendem a dividir. Brigam muito, mas se amam demais.
    E a gente vai aprendendo, vai organizando o tempo, vai mudando e crescendo junto com eles.
    Aprendi que nem sempre temos o que queremos, mas devemos fazer o melhor com o que temos, e para quem temos ao lado.

    Beijos

    Reply
  3. AS PAULINAS
    03/10/2012 at 1:52 pm (8 years ago)

    Eu tenho 2. Queria 3, 4… Tenho 6 irmãos.
    Concordo com td sob todos os pontos mas acho que qdo vc já faz td isso pra um, fazer pra 2 é mole!
    Falo por mim!
    Eu estou tentando diminuir um pouquinho a carga de trabalho, organizar bem a rotina, mas nem sempre é fácil.

    Agora, falando sobre o tema: a sua fam´lia completa é a que vc escolhe pra vc!
    Aqui Maria pedia irmão pra ser completa!
    rsrsrsrs
    Tivemos a Marina e agora não temos o Ralph.
    Se fosse uma escolha, se não estivesse dentro de casa mas estivesse aqui, ainda seríamos completo.
    Acho que a família hj não é completa qdo vc não tem a configuração que desejava por impossibilidade… qdo essa escolha sai das suas mãos.
    A minha é inclompleta…
    = O (

    Reply
    • Pâmela
      10/10/2012 at 5:08 am (8 years ago)

      Beijo pra você Mariliz!!!!

      To apostando nisso: "qdo vc já faz td isso pra um, fazer pra 2 é mole!"

      Reply
  4. Ju Denzler
    03/10/2012 at 1:53 pm (8 years ago)

    Antes eu dizia que teria mais um filho.. Mas hoje, na situação que eu estou não vejo a menor possibilidade.
    Acho que a família perfeita vai de cada um mesmo.

    Reply
  5. Anonymous
    03/10/2012 at 2:54 pm (8 years ago)

    Oi, estou pensando em aumentar a minha família por enquanto somos eu e marido, mas com planos de imigração fico com um certo receio,mas daí lembro q levará uns 4 anos para imigração,então logo n aguentaremos esperar tanto tempo.
    Vc comentou sobre imóveis em Vancouver, estou pensando em North Vancouver e Burnaby, tem muita diferença sobre valores de imóveis entre as duas, pq tenho a impressão q North Vancouver é mais cara, estou certa? Gostaria de saber sua opinião sobre essas duas cidades pq uma delas será meu destino e nda melhor saber de alguem q já vive aí. Até mais

    Reply
  6. Ela
    03/10/2012 at 6:21 pm (8 years ago)

    Eu tenho gêmeos de 1 ano e 4 meses, não aguento mais de tanto trabalho.. mas gostaria tanto de ter mais filhos.. sou a sétima filha e só consigo ver família como aquela loucura de gente convivendo na mesma casa.. veja como são as coisas… cada um com suas ideias e maluquices.. 🙂

    Reply
  7. Ana Paula Daleffe
    03/10/2012 at 6:25 pm (8 years ago)

    O meu ponto é: se vc pensar em você, então não tem mais filhos e fica em apenas um. Mas se você pensar na criança, daí vc resolve ter mais!

    Reply
  8. Sandra Portugal
    03/10/2012 at 9:20 pm (8 years ago)

    Excelente abordagem a da sua matéria e dos comentários recebidos. Realmente é tema para tese de pós-doutorado, e fundamentalmente depende das escolhas do casal e da personalidade da mãe, que de verdade é quem assume as maiores responsabilidades pela criação dos filhos. Eu assumi 3 enteados, sem ter tido filhos, e depois tive duas filhas, somando uma grande família de 5 em iaddes bem diferentes e em contextos de ser mãe(me sentir maternal) sem o ser de verdade, no caso dos enteados. A questão do que se espera ofertar em termos de investimentos educacionais x condições financeiras, pode ser motivo de muita frustração no futuro e deve ser bem conversado, se isso for relevante ao casal.
    bj Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *