Via Iphone
Post de título dúbio, mas vamos lá!
Aqui no Canadá, talvez pela multiculturalidade e sermos cada um de uma nacionalidade, de uma cor, de uma cultura diferente, as pessoas não se ligam muito no visual dos outros. Você se veste do jeito que gosta, com as roupas que gosta, sem ser obrigado a seguir moda. Você usa maquiagem se quiser, mas se não gostar tudo bem, a cara lavada não vira impecilho para nada. E esta falta de pressão por parte de terceiros é uma influência positiva na sua vida, visto que não existe cobrança para você ser ou parecer de um jeito ou de outro. Particularmente, é um alívio viver em lugar assim, onde não cobranca para com o seu corpo.
Toda esta introdução para chegar ao ponto, que é a maneira como nos vemos e como lidamos com a nossa auto-estima.
Eu acredito que estou dentro da normalidade no quesito gostar de mim, da maneira como eu sou, mas isso é um exercício diário e vou dividir aqui com vocês uma coisa que me incomodou muito no passado, mas que hoje sacudi a poeira e concluí que as coisas são como são, e não cabe mais nada a fazer a não ser dar valor ao que você tem e se cuidar.
Há mil anos o meu cabelo começou a cair e caiu loucamente por um ou dois anos. Visitei todos, todos mesmo ($$$), dermatologistas renomados de Porto Alegre e eles nunca conseguiram diagnosticar um problema específico, e depois de anos a fio de exames com dermatos e endocrinos, tratamentos caros que duraram anos, eu infelizmente não tive o meu cabelo de volta. Como mulher, e vocês podem facilmente se identificar comigo aqui, é um trauma e tanto. Eu que tinha um cabelo lindíssimo de propaganda de Pantene, perdi provavelmente 4/5 do cabelão que eu tinha, e ele nunca mais voltou.
Snif … colocando no “papel” assim, ainda dói, mas mais de 10 anos depois, eu me recuperei do trauma e comecei a me dar conta que o que temos já é o bastante, cabe a nós aceitarmos que a vida (e o cabelo) é como ele é e deu, bola para frente.
Você pode ser magrinha, mais cheinha, pode ter pele boa ou nem tanto, pode ter cabelo ondulado, liso ou crespo e você têm o que você tem, a diferença aqui não é afundar a auto-estima e desejar o que não tem. A solução é cuidar do que você tem, para que o seu corpitcho e a sua cabeça sejam tão lindos o quanto você desejar que eles sejam. Meu cabelo é liso e fininho como o de um bebê e não adianta eu sonhar com mil e um penteados, eles não darão certo, mas eu posso caprichar em um bom corte, comprar bons produtos para que meu cabelo seja saudável e brilhante….do jeito que ele é.
E quem falou que ser mulher é fácil?
Entre traumas e tormentas, salvam-se todas….é só querer!

8 Comments on Beleza: Cuidando do que é seu….do jeito que ele é!

  1. Clarice
    13/08/2012 at 2:21 am (8 years ago)

    Perfeito!
    Estou indo para o lugar certo – onde cada um é o que é!
    Gostei do post-desabafo!

    Reply
  2. Gabrielle de Almeida Ramos
    13/08/2012 at 11:11 am (8 years ago)

    Por esse e outros motivos que às vezes tenho vontade de morar em outro país. Somos um pouco que "condenadas" aqui no Brasil pelos excessos de gostosura no corpo. A mídia ainda insiste na mesma tecla: as mulheres brasileiras tem/devem ter o corpo perfeito!

    Já me conformei com minha barriguinha, me exercito para ter qualidade de vida, entretanto, não me afundo nos aparelhos de ginástica e como o que tenho vontade – com moderação.

    Seu cabelo é lindo!

    Beijos, Gabi.
    http://www.eueumesmagabrielle.com

    Reply
  3. Wera Corrêa
    13/08/2012 at 12:28 pm (8 years ago)

    Realmente teu cabelo ela lindíssimo e só eu sei o quanto pesou no bolso correr atrás do prejuízo, sem sucesso, mas hoje lidas bem com isso e sabes cuidar bem do cabelo atual. bjinho. mommy

    Reply
  4. Bere
    13/08/2012 at 1:07 pm (8 years ago)

    adorei o post!!!!!
    e vou mais longe…acho que isto também se chama maturidade e equilíbrio….que também acontece aqui, independente da cultura e cobrança dos outros….

    e é muito bom qdo se chega lá..valorizar e curtir o que gostamos em nós…e dar uma escondidinha básica sem muito stress no que não gostamos!!!!

    e isto não tem a ver com idade!!!!qto mais cedo te garanto que é melhor!!!!
    e viva a autoestima!!!!

    estás linda!!!!!!!!bjinhos

    Reply
  5. Mercia
    13/08/2012 at 2:57 pm (8 years ago)

    Concordo Amiga!! Temos que gostar da gente como somos, ter vaidade é bom, mas sem exageros!!!
    Teu cabelo é lindo demais!!!
    Beijos

    Reply
  6. Sandra Nogueira
    13/08/2012 at 5:00 pm (8 years ago)

    Pois é Rita…se não soubéssemos que seu cabelo já foi mais bonito antes continuaríamos achando que é lindo agora…hehe, concordo com a Bere, isto é maturidade e quanto mais cedo chegarmos lá melhor…!!!

    Reply
  7. Anonymous
    13/08/2012 at 8:28 pm (8 years ago)

    Oi Rita,

    Isso mesmo, menina! Seu cabelo continua lindo, por sinal!! Mas aprendi aqui neste ano morando nos EUA que há muito mais liberdade para as mulheres se cuidarem da forma como bem entendem. O que eu acho lindo – e vejo muito – são as mulheres mais velhas sem pintar o cabelo com aquele corte lindo no cabelo grisalho…isso no Brasil é visto como desleixo e rola pressão até da família para a mulherada pintar o cabelo. Sinto isso na pele, ou melhor, no cabelo rs!, pois tenho já alguns fios grisalhos e não me incomodo com eles. O meu cabelo pintado fica com a textura que eu não curto muito e decidi deixar assim, pelo menos por enquanto. Mas já tive que escutar de pessoas próximas que deveria pintar. Ridículo, mas é assim. Acho que as mulheres no Brasil deveriam conseguir ter mais consciência para conseguir diferenciar o que elas fazem por elas e dos padrões (impossíveis) que elas tentam atingir de beleza que são impostos pelos outros. Você, como mãe de menina, já está ensinando isso para ela através dos seus atos. Parabéns.

    Beijos!!

    Julia

    Reply
  8. Michelle Carvalho
    17/08/2012 at 1:45 pm (8 years ago)

    Realmente é muito difícil e por mais que a gente tente aceitar, isso nem sempre conseguimos, mas vc está certa com certeza!
    beijos

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *