Um dos maiores dilemas de nós mães é primeiro optar em colocar ou não seu filho na escola. Se você têm a opção de ficar em casa será uma escolha, se você têm que trabalhar para contribuir na renda familiar, a escolha se faz por si só e você tem então que optar pela melhor escola que o seu bolso pode pagar. Vejam bem, eu não me canso de dizer, escola cara não significa necessariamente escola boa. Claro que o espaço físico de uma escola cara é sempre melhor do que uma mais humilde, mas ao meu ver o que interessa não é o espaço somente e sim com quem o seu filho passará a maior parte do seu dia.

  • A professora é boa?
  • A professora tem jeito com criança? (algumas não tem, é fato)
  • A professora é entusiasmada?
  • A professora se comunica bem com os pais?

A(s) professora(s) do seu filho é no que você deveria focar quando escolhe uma escola, prestar atenção na maneira como ela trata as criança, na maneira como ela se comunica com os pais, na maneira que ela se veste, na forma em que ela expressa a sua criatividade com as crianças, tudo isso conta e conta muito mais do que um espaço físico top de uma escola cara e badalada.

Lembrei de comentar sobre este assunto pois cruzei com um questionário de uma faculdade aqui do Canadá, com algumas perguntas direcionadas a uma professora de berçário-jardim-pré escola.

Responderei sob o meu ponto de vista só para vocês terem uma idéia do que uma professora desta faixa-etária de alunos pensa. Como mãe, é o tipo de coisa que eu mesma estaria interessada em saber:

  • A coisa mais importante para as crianças sob os meus cuidados:

Nesta ordem (como professora e como mãe):
1- Segurança
2- Higiene
3- A construção da auto-estima da criança.
4- Aprender a respeitar o próximo.
5- O desenvolvimento cognitivo, físico, emocional e social da criança.

  • Crianças pequenas devem aprender:

1- A socializar com outras crianças e adultos.
2- A se comunicar como um todo (seja verbalmente, seja sob suas ações em geral).
3- Aprender através da brincadeira.

  • Como uma professora de crianças pequenas, eu espero que eu…

1- Esteja sempre disponível para OUVIR o que eles tem a dizer.
2- Possa guiá-los para que eles encontrem as suas próprias respostas.
3- Permita que eles possam brincar e explorar o máximo possível.
4- Seja sua amiga.

  • Quando meu aluno estiver prestes a entrar na pré-escola eu gostaria que ele…

1- Estivesse preparado emocionalmente para a pré-escola.
2- Esteja preparado cognitivamente para os desafios que a pré-escola traz.
3- Tenha construído uma base forte de confiança e auto estima para enfrentar um novo ambiente e novos desafios sem medo e sem duvidar das suas capacidades.

  • A coisa que eu mais quero para meus aluninhos:

Que eles gostem de ir para a escola, que fiquem anciosos no domingo para acordar na segunda e rever seus amiguinhos, que se sintam amados e valorizados pelas professoras.

  • O ambiente que eu gostaria para meus alunos:

1- Um ambiente alegre em que as professoras os recebem com sorrisos e abraços.
2- Um ambiente que propicie o desenvolvimento da criança, bom brinquedos e material pedagógico apropriado para cada idade.
3- Um ambiente em que os materiais acima estejam em boas condições e que as crianças sejam ensinadas a conservar os bens da escola, para que elas mesmas possam aproveitá-los.

  •  A melhor coisa que nós podemos fazer pelas crianças é:

1- Ouvi-las (importantíssimo, mesmo quando estamos ocupados).
2- Estimular sua auto-estima.
3- Permitir muito tempo para brincar (ver televisão nãoooooooo conta).

  • Como deve ser a relação entre professoras e pais:

Esta é a parte mais delicada mas vamos lá: Pais e professores tem que ser amigos, se respeitar e ouvir um ao outro. Parece óbvio, mas as vezes não é. Eu como mãe aprecio (e muito) quando as professoras da minha filha me contam tudo de bom e lindo que ela fez no dia, mas também os episódios em que ela não se comportou. Os pais precisam saber o que acontece na escola e não devem interpretar os comentários das professoras como uma afronta a seu filho, pois não é. Contar as malcriações é muito importante para que você possa endereçar estes problemas em casa, senão você acha que está tudo às mil maravilhas quando há probleminhas que precisam ser conversados entre mãe e filho. Não se sinta ofendida quando a professora conversar sobre os pontos negativos, esteja aberta para ouvir e opinar sobre o ocorrido.

A melhor maneira para estreitar esta ponte professora-mãe é ser simpática com a professora e se mostrar aberta para ouvir a realidade do dia do seu filho. Quando chegar na escola, se mostre interessada em saber da sua rotina, não somente a pergunta básica que fazemos antes de tudo :”Ele comeu direitinho?”, mas também “Como ele se comportou hoje?”, “Brigou com alguém?”, “Foi educado?”.

Eu pergunto tudo isso para a profe da Bella e às vezes eu não gosto da resposta, quando ela me conta que ela não comeu o almoço, não se comportou, arranhou um coleguinha e/ou foi rude com a professora. Engulo a seco, converso com ela, bolamos um plano de como vamos proceder e quando chegamos em casa eu faço a minha parte de mãe…dou aquele discurso básico sobre o acontecido, explico os porquês das coisas, enfim, tento fazê-la entender o que ela fez de errado.

Bella nem sempre é 100% comportada ou 100% arteira e encrenqueira, as notícias da professora são na maioria das vezes mistas, ou seja, como qualquer criança da idade dela, ela é TUDO de linda, simpática, engraçada e querida, mas também é arteira e geniosa de vez em quando. É assim com a maioria das crianças e a boa relação entre pais e professores é imprescindível para que seu filho possa tirar proveito deste canal importantíssimo que é o relatório diário da professora.

Mas lembrem-se sempre…..professora não é mãe, embora nós façamos a nossa parte educando e direcionando o seu filho para o bom caminho, este trabalho é essencialmente dos pais. Lembre-se que o adulto de amanhã é o seu filho fofinho de hoje, aquele que deita e rola e tem que ser educado por você.

Espero que este post de “utilidade pública” tenha aberto os seus olhos um pouquinho sobre a relação da professora com o seu filho, e a dela com você.

E vocês, meninas?
Se dão bem com as profes dos seus filhos?
Como anda este “departamento” no Brasil atualmente?

6 Comments on O lado da professora

  1. Dani Dani
    13/06/2012 at 12:00 pm (8 years ago)

    Quando chego na escola do Biel entrego ele na secretaria, só cruzo com a professora se ela estiver passando… Para pegar a mesma coisa. Quando abro a agenda em casa é outra frustração, quando não vem escrito BOA NOITE, ou BOM FINAL DE SEMANA (somente), vem uma reclamação, GABRIEL BATEU NOS AMIGUINHOS FAVOR CONVERSAR COM ELE.
    Já é a segunda escola que o BiBi freqüenta, e só decepção.
    Só preciso de um peteleco para tirar o Bibi da escola, no mes de maio a única mensagem importante que recebi da escola foi ESTAMOS APRENDENDO A COR AZUL.
    Você como professora tem alguma observação? Alguma ajuda?

    Reply
  2. Dani Dani
    13/06/2012 at 12:03 pm (8 years ago)

    As escolas alegam que a professora não tem tempo de ficar detalhando o que aconteceu no dia pq elas tem mais o que fazer, logo chego a conclusão que é política da escola e não culpa da professora.

    Reply
  3. Lindsey Vieira
    13/06/2012 at 12:35 pm (8 years ago)

    Adorei o post. Meu filho de 1 ano e 8 meses frenquenta a escola desde muito novo (6 meses – berçário), pois eu trabalho e essa foi a melhor opção. Não me arrependo em tê-lo colocado tão cedo em uma escolinha, porém gostaria de ter ficado mais ele.
    Fiquei feliz ao ler que devemos escolher a escola baseada nos professores, pois foi o que eu fiz. Ele está na escola que eu ficava qdo tinha a idade dele, uma escola com mais de 25 anos de existência, mas a certeza na escolha da escolinha veio apenas depois que eu pude conversar com a professora dele (que o acompanhará até os 3/4 anos). Acho de extrema importância a comunicação entre pais e professores! E eu sempre quero saber de td sejam as informações boas ou as vezes ruins. Acho uma pena os pais que se cegam diante de fatos ao invés de trabalha-los em seus filhos. A madrinha do meu filho é pedagoga e trabalha a 15 anos como coordenadora de uma escola particular cara em minha cidade e as coisas que ela me contam sobre os pais é pior do que algumas traquinagens dos pequenos. Comunicação é tudo!
    Fiz do meu comentário um "semi-post" rsrs.
    Parabéns, adorei o seu post/relato!

    Reply
  4. rita
    14/06/2012 at 4:51 am (8 years ago)

    Oi Dani!

    Que diferente, entregar e pegar a criança na secretaria, vejo que as coisas andam mudando por aí, ou quem sabe as escolinhas daqui são mais "caseiras" ainda.

    Sabe que aqui não temos agenda das criancas, tudo é conversado verbalmente mesmo, olho no olho, por isso as vezes o clima fica mais tenso se a mae fica ofendida com algum comentario negativo, mas na maioria das vezes sao super receptivas e criamos uma relação bem legal de amizade com os pais.

    E concordo contigo, nao gosto so de reclamacao nao, quando eu comento algo sempre ressalto o que a crianca fez de bom tambem, as tiradas engracadas que falaram, se comeram toda a comidinhas, enfim, para nao deixar a mae chateada so com comentarios chatos no final do dia.

    Aguenta firme!!!!
    Ja ja ele cresce um pouquinho e as reclamacoes vao diminuir.

    Adorei o APRENDEU AZUL…hahaha

    Beijocas grandes
    Rita

    Reply
  5. rita
    14/06/2012 at 4:53 am (8 years ago)

    Oi Lindsey!

    Menina, eu sei desta nova fase de pais cegos que culpam os professores por tudo, ao inves de direcionar o comportamento dos filhos.

    Uma pena, so as criancas saem perdendo!!

    Que bom que tu conhecestes a profe do filhote e fizeste tua escolha baseada nela, a professora no final das contas é quem educara o filho e nao somente a politica e filosofia da escola.

    beijinhos
    Rita

    Reply
  6. Andrea
    14/06/2012 at 8:21 pm (8 years ago)

    Bem legais as suas respostas… parabéns!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *