Cruzei com uma citação muito interessante de Banksy, um controverso artista plástico inglês, e ela me fez pensar.

“Parents will do anything for their kids, except let them be themselves.”

“Pais fazem qualquer coisa por seus filhos, exceto deixar eles serem quem são.”

Gulp…sentiram a saliva passando pela minha garganta?

Uma das minhas metas para hoje e para o futuro é ser uma mãe mais light, tarefa difícil para mim, mas estou buscando este objetivo diariamente. Estava conversando com minha amiga no trabalho exatamente sobre isso, sobre como o comportamento dos pais afeta as crianças, seja para o bem ou seja para o mal. Eu sou uma mãe durona e minhas intenções são sempre as melhores, mas eu poderia ser mais light, e estou trabalhando nisso, por isso resolvi escrever sobre a citação de Banksy, pois embora ela não esteja diretamente ligada à isso, ela acaba remetendo as atitudes dos pais com relação a seus filhos.

Fico encantada em ver a personalidade da Bella se desenvolver diariamente, e muitas vezes me pergunto: ” Como mesmo ela saiu deste jeito?”

Graffiti de Banksy

Bella é despachada, independente, engraçada, social, não tem medo de nada, dança, canta, rebola, faz pirueta, caras e bocas e embora ela me tenha como mãe, ela saiu assim. O mais interessante é que Bella sempre foi assim, desde bebezinha. Nunca fez mânha, nunca chorou pelo colo da mãe, nunca deixou de ir com ninguém, pelo contrário, estendia os bracinhos até para desconhecidos. Desde que nasceu enfrentou o mundo e seus desafios de frente, parece que já nasceu com asas para voar. Eu, pelo contrário, sempre fui uma pessoa tímida, de poucos (mas bons) amigos, quieta e medrosa, mas ver a personalidade “free spirit”, como chamamos em inglês, da Bella, me faz pensar na minha responsabilidade em preservá-la como ela é, e não deixar que a minha própria personalidade, frustrações e neuroses influenciem a minha filha.

Difícil, muito difícil.

 Isso também se estende aos gostos dos nossos filhos, não necessariamente a sua personalidade apenas. Menino tem que brincar de carrinho e menina de boneca, pronto, só aí já influenciamos nossas crianças a mudarem os seus gostos. Bella nunca gostou de boneca, nunca quis brincar, e prefere muito mais carrinhos e “tchu-tchu-trens” e eu deixo, comprei uns carrinhos para ela e ela ama brincar com os meninos na escola. Embora goste dos filmes da Disney, as princesas são as últimas da lista de preferências, os bichinhos sempre vêm antes. Se fantasiar? Só se for de bailarina, e embora moleque como ela seja, ela A-M-A vestir rosa e já está iniciando a fase de escolher suas próprias roupinhas.

Minha menina é uma bailarina que gosta de brincar de carrinhos!
Quem sou eu para forçar uma Barbie!
Se ela um dia demonstrar interesse em bonecas terei o maior prazer em comprá-las, por hora elas não estão fazendo falta. Conclusão, estou seguindo os comandos que ela me dá com relação as seus gostos e preferências, tentando deixá-la ser quem ela é, como diz Banksy.

Eu desejo como mãe, que minha filha cresça exatamente do jeito que ela é, com a personalidade que ela tem intacta, e que ela tenha a presenca de espírito e espontaneidade que ela tem hoje, que pare no meio da rua e que dance como se ninguém estivesse assistindo, que suba no escorregador mais alto da pracinha sem medo de cair, que pegue minhocas com a mão sem ter nojo e que enfrente os coleguinhas mais velhos de frente, sem medo.

A minha parte?
Auto-controle em todos os sentidos: filtrando um pouco as minhas críticas sobre o que é certo e errado, podando os meus medos de mãe, segurando o meu coração para deixar ela criar asas e voar para onde ela quiser.

5 Comments on Deixe serem quem são

  1. Michelle Formaggio
    02/05/2012 at 1:55 pm (8 years ago)

    lindo post adorei!!!!

    Reply
  2. Rose
    02/05/2012 at 2:56 pm (8 years ago)

    E isso ai Rita!!!
    Voce esta no caminho certo!!

    Reply
  3. Zizisantos
    02/05/2012 at 4:02 pm (8 years ago)

    Rita, minha filha talvez, tenha a mesma idade que você.
    Tal como a Bella, não gostava de bonecas, gostava de brincar com outros brinquedos que interagiam, que tinham som e que podia montar e desmontar. Era despachada, independente, social…. tal como a Bella.
    Adoro minha filha. Adulta, é segura, bem resolvida. Quando quero um conselho, recorro a ela. Ela dirige a vida.
    ok?
    bjo
    Zizi

    Reply
  4. Gustavo Correa
    04/05/2012 at 8:14 pm (8 years ago)

    Esqueci de comentar antes, mas adorei este post.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *