Fonte: Google

A maternidade é muito mais difícil do que pensamos. Quando se está grávida você só pensa no choro do bebê e nas noites mal dormidas, estes são os maiores motivos de ansiedade de uma mãe quando pensa nas dificuldades da maternidade. Foi isso o que senti no início e acredito que todas nós mães tenhamos os mesmos sentimentos ao pensar na primeira infância do seu filho. Hoje, porém, as dificuldades que vislumbro se extendem mais adiante, não necessariamente no hoje, mas daqui 1 ano, 5 anos, 10 anos.

Como criar um filho é difícil!
Gente do céu, o que é isso?
Nunca pensei! De verdade.
Hoje vejo que subestimei o que ser mae significa na teoria e na pratica.

Desde sempre eu tive em mente que seria uma mãe disciplinadora, não no mau sentido, não no sentido duro da palavra, mas sim na dura missão de educar um filho, não importando o quão cansativo e difícil fosse. Pensava assim antes de engravidar, no plano filosófico da coisa, e sigo pensando o mesmo, mas agora as nuances da maternidade estão mostrando as suas garras.

É difícil ser disciplinadora? Sim, muito.
É difícil dizer não e tirar o biscoito de chocolate da boca do seu filho antes do jantar, sabendo do chilique que ele vai dar? Sim, demais.
Vale a pena seguir nesta linha dura todos os dias, o dia todo? Não sei.

A minha missão como mãe é educar a minha filha. Não quero uma filha mal educada que não respeita ninguém. Quero que minha filha seja uma pessoa do bem em todos os sentidos e venho percebendo que ela só se tornará esta pessoa com a minha ajuda.  Bella tem apenas 2 anos e vejo que mesmo na sua tenra idade, ela já está aprendendo pequenos (grandes) maus comportamentos na escola: grita como o fulaninho, empurra como o sicraninho, e por aí vai. De santinha ela não tem nada, é uma tinhosa com T maiúsculo, mas quando ela entrou na escola ela não fazia absolutamente NADA disso. Era um anjo. Agora não, estou tendo que lidar com a fase dos terríveis dois ao cubo, com todos os comportamentos dignos de mandar uma mãe para uma clínica de repouso. Mas como lidar com isso?

Eu sou professora e na teoria sei que é fase, que passa, que basta conversar e ajudar a criança a diferenciar o certo do errado para moldar seu bom comportamento no futuro. Mas como ser mãe é difícil e frustrante, chegar em casa e lidar com este tipo de comportamento. Confesso, às vezes até me desespero, achando que ela nunca entenderá o que estou tentando explicar.

A dificuldade se dá na ligação entre o presente e o futuro, o filho que estou criando agora será o adulto de amanhã, portanto preciso lidar com o mal comportamento agora para que não tenha que me preocupar com a retidão de caráter da minha filha depois..

É aí que mora a ansiedade de uma mãe, o medo, a frustração. Estou colaborando diretamente no futuro da minha filha.

Tenho medo de ser dura demais, ou mole demais, ou usar a tática do “ignorar” e ver tudo ir por água abaixo, mas o meu maior medo é o de ser dura demais e tirar o prazer dela estar com sua mãe. Esta dança do certo e errado é muito cansativa.

Quem é mãe sabe, não existe preto e branco e nem certo e errado, você segue seu coração e sua intuição e sabe que está fazendo as escolhas corretas, mas eu me ponho à prova todos os dias nesta fase dos terríveis dois da Bella e seus altos e baixos.

Por isso eu não me canso de dizer, quando vejo uma mãe lidando com um filhote birrento no shopping meu coração se enche de compaixão por ela, jamais a julgo, pois sei exatamente o que ela está passando e o que está sentindo.

5 Comments on Terríveis dois e suas reflexões

  1. Mariana
    07/03/2012 at 3:31 pm (9 years ago)

    Ai Rita, sei o quão difícil é esta fase e, se serve de consolo, não é só com vc que isto acontece. A Manu é uma pimentinha, brinco que eu trabalhei tanto na gravidez até o último dia, que acho que ela ficou agitadinha demais! Pois bem, outro dia cheguei ao cumulo de dar a maior bronca, incluindo um tapinha na mão em pleno shopping, depois de levar uma mordida no rosto, porque a tirei da mesinha de uma loja (depois de deixar ela brincar um pouquinho). O problema é que fico mal com isso. Ao mesmo tempo que sei que não posso deixar ela me dominar e virar uma “mini ditadora”, fico péssima quando isto acontece. Coloco de castigo, às vezes ignoro o que ela faz, mas é muito difícil mesmo saber em que ponto estamos acertando ou errando. Não quero que a minha filha me desrespeite (agora e nem mais tarde), mas às vezes penso que ela tem só 02 anos! Aliás sinto que, como sou eu a mais dura em casa e bato de frente com as atitudes dela, justamente comigo ela estabelece maior enfrentamento. O duro é que depois ela fica o maior grudinho comigo, pede “depupa” (desculpa) e eu com aquele remorsinho básico! Rsrs Se descobrir a fórmula me avisa, ta?! Bjoss

    Reply
  2. Sandra
    07/03/2012 at 5:23 pm (9 years ago)

    Oi Rita!!!
    Não sou mãe e já me deu uma mega agonia só de ler seu relato, não consigo sequer imaginar como isso na prática.
    Fé em Deus e boa sorte.
    Abraços

    Reply
  3. Anonymous
    07/03/2012 at 8:37 pm (9 years ago)

    OI RITA
    LEIO SEU BLOG TODOS OS DIAS MAS É SOMENTE A SEGUNDA VEZ QUE FAÇO UM COMENTÁRIO NÃO SOU MUITO BOA EM ESCREVER, MAS NÃO RESISTI DEVIDO A SUA AFLIÇÃO. EU TENHO UMA FILHA QUE EM ABRIL ELA COMPLETA 13 ANOS E POSSO DIZER QUE SEI BEM TUDO ISSO QUE ESTA FALANDO E SOU ASSIM PARECIDA COM VOCÊ EM VÁRIOS ASPECTOS. O QUE POSSO DIZER É QUE REALMENTE NÃO É FÁCIL MESMO, PASSEI POR TUDO ISSO E ACHEI QUE NUNCA IRIA PASSAR MAS PASSA É AQUILO MESMO DE FAZE O Q ACONTECE É Q FICAMOS UM POUCO FRUSTRADAS PORQUE NÃO É COMO ACHAMOS Q ELAS SERIAM OU COMO QUERÍAMOS MAS PARA SUA SURPRESA ELA SERÁ MELHOR DO Q IMAGINA PODE TER CERTEZA AINDA MAIS COM TODA ESSA DEDICAÇÃO E AMOR Q OFERECE A ELA SÓ QUE PRA ISSO VC TERÁ MESMO MUITO TRABALHO OS FILHOS SÃO UM PRESENTE DE DEUS É O QUE EU SEMPRE DIGA A ELA E SEM DÚVIDA UMA CAIXINHA DE SURPRESAS UMAS MUITO BOAS OUTRAS NEM TANTO.
    E SE ELA NÃO ESTA BEM EU FICO PIOR AINDA E NÃO DESCANÇO ENQUANTO NÃO VER ELA FELIZ. TUDO QUE FAÇO É COM DEUS E MINHA MÃE DO CÉU PORQUE SOZINHA EU NÃO SOU NADA NÃO CONSEGUIRIA NADA. MAIS UMA COISA EU NÃO QUERO TE DESANIMAR PORQUE NEM TODOS OS FILHOS SÃO IGUAIS E NEM OS PAIS OU FAMÍLIA NÃO É? MAS SE FOR COMPARAR TODAS AS FAZES, ESSA DA INFANCIA FOI A MAIS FÁCIL ATÉ AGORA, DEPOIS QUE CRESCEM A DIFICULDADE AUMENTA. DEUS SABE O QUE FAZ VAI NOS DANDO DE POUQUINHO OS PROBLEMAS E COM ISSO FORMANDO PESSOAS MELHORES ME SINTO UMA PESSOA MELHOR DEPOIS DE TODAS AS DIFICULDADES Q PASSEI. E FALO Q NÃO VOU DESISITR NUNCA DA MINHA FILHA… MAS AS VEZES FICO UM POUCO DESANIMADA ACHO Q NÃO VAI PASSAR Q NÃO VOU CONSEGUIR SOU UM SER HUMANO TAMBÉM MAS SEMPRE PASSA E TENHO MUITAS VITÓRIAS E TEREI MUITAS OUTRAS COMO VC TAMBÉM TEVE E TERÁ MUITAS OUTRAS.
    FICA COM DEUS RITA VAI DAR TUDO CERTO DEUS SEMPRE TE MOSTRARÁ O CAMINHO É SÓ PEDIR QUE ELE ATENDERÁ ELE É SEM DÚVIDA INCANSÁVEL…
    ABRAÇOS
    CAMILA

    Reply
  4. Claudia
    07/03/2012 at 9:13 pm (9 years ago)

    Querida Rita
    Muito bom o post.
    Sei bem que a teoria na pratica é outra…
    Sou psicóloga e hoje oriento as mães que me procuram com um outro olhar.
    Cá entre nós, não acho nada feio no filho do outros…
    Sabe aquele ditado?! Cospe pra cima e cai bem na sua cabeça?!?! Pois é…
    Bjks

    http://blogdaclauo.blogspot.com/

    Reply
  5. Anonymous
    04/02/2013 at 6:03 pm (8 years ago)

    Oi Rita, descobri seu blog hoje e já me apaixonei pelas estórias e coisas que compatilhas, mas esse texto é realmente lindo. Felizmente meus filhos já passaram pela fase dos dois anos e lembro bem… o melhor é que cada fase tem suas dificuldades e assim, de fase em fase, nós mães crescemos muito! Um grande abraço!
    Michele

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *