Nosso coração levou 5 meses para se recuperar da morte repentina do nosso gordinho Butters, mas sabiamos que mais cedo ou mais tarde abririamos a nossa casa para um outro filhotinho.

Ent’ao apresento a voces, nossa nova gostosura: Jaxon !

13512163_1179431572087817_1307783228218179541_n

Ele tem 10 semanas e j[a chegou em casa cheio de personalidade e manias. A sua personalidade é muito diferente da do Butters. Meu marido diz que eu esqueci como o Butters era quando filhote, mas ele não era assim. Jax é muito corajoso e desbravador, mas carente e só quer colo. Butters era muito independente e ranzinza, ficava lá no seu cantinho só observando, gostava de silêncio, de privacidade. Estava perto, mas não grudado, ao menos não na época de filhote. Jax é super carente, dengoso e acreditem se quiser: ele sabe pedir colo. Não só pede, como prefere deitar no meu peito estilo ” bebe de colo”, parece gente.

Duas amigas fizeram um comentário bem interessante quando Butters morreu: que quando chegasse a hora certa, nós abririamos sim nossa familia a outro cachorrinho, mas o inicio seria mais como se estivéssemos apenas cuidando do filhote, como se fossemos mera baby sitters. Não haveria aquela cumplicidade enorme que tinhamos com o Butters, que viveu conosco por 10 anos e dividiu conosco o nascimento da Bella e tudo o que ele trouxe consigo. Costumo dizer que Butters foi minha alma gêmea canina e eu acredito muito nisso. A cumplicidade que nós tínhamos era muito grande, éramos parecidos tambem: preguiçosos, ranzinzas, amantes do silêncio, de estar no nosso canto sem ninguém nos incomodar. Nos entendiamos com um olhar. Tenho plena certeza que ainda haverão muitos cachorros especiais na minha vida, mas nenhum deles terá o titulo de primeiro e de alma gêmea.

“Spirit Animal”, como se diz em inglês.

Fomos buscar Jaxon (lê-se com o mesmo som de Jackson) na cidade de Kamloops, há quase 4 horas de Vancouver. Emendamos a viagem a San Diego até Kamloops, Deus sabe que passamos 4 dias na estrada! Não aguentávamos mais. Mas o prêmio de consolação foi buscar nosso novo gorducho.

A criadora de bulldogs do Butters faleceu, portanto não faziamos idéia de onde encontrar filhotes saudáveis. Um dia nós teremos cachorros de abrigo, tenho muita vontade de pegar um cãozinho sem familia, mas aqui emVancouver os cães de abrigo são em sua maioria crescidos e/ou com problemas de comportamento devido a negligência e abuso. Temos criança em casa e eu não me sinto a vontade em trazer um cachorro com um temperamento explosivo e imprevisivel. Já conhecemos o temperamento doce dos bulldogs e até Bella crescer será esta raça que teremos em casa.

Unknown-1

Bulldogs são uma raça delicada e podem ter inúmeros problemas de saúde. Comecei a pesquisar e encontrei alguns criadores nos arredores de Vancouver, mas já de cara minhas antenas levantaram: criadores com mega websites que se apresentam como empresa já me deixam com o pé atrás. Prefiro um criador que tenha poucos cães e que os tratem como parte da familia. Encontrei uma criadora maravilhosa que  já virou nossa super amiga, assim como a criadora do Butters que já era nossa amiga de familia.

Ao encontrá-la, começaram as coincidências da vida:

  • Sua principal cachorrinha se chama…..Bella
  • A cachorrinha  que iria engravidar tinha exatamente os mesmos traços do Butters.

Vejam só, fêmeas tem uma aperência diferente dos machos. Não são tão enrugadas, tem uma carinha mais feminina, e até então eu nunca havia encontrado, seja pessoalmente ou por fotos da internet, um criador com fêmeas com os mesmos traços marcantes dos machos. Pois esta tinha! Quando bati o olho na sua foto chegou a me dar uma coisa, ela era a cara do Butters! Butters era um cachorro magnífico e a Robi, cachorrinha tinha os mesmos traços.

  • Quando os filhotinhos nasceram, dois deles tinham um coração na pelagem.

Quais as chances de filhitinhos terem um formato de coracao? Na minha cabeca foi mais um sinal de mais “coincidencias”. Estes dois filhotinhos eram brancos. Uma filhotinha era parecidissima com o Butters, mas queriamos um machinho de novo, pois ja sabemos o que esperar deles. Passamos um mes debatendo qual dos dois trariamos para casa, tivemos sorte que a criadora deixou que nos escolhessemos sem pressa, so depois ela daria vez a outra familia interessada.

Havia escolhido um deles, mas a criadora comecou a me contar algumas historias curiosas do outro filhote e no final das contas ela disse que achava que ele seria uma melhor escolha para a nossa familia (com crianca pequena).

Algumas curiosidades do Jaxon:

Foi o primeiro da ninhada a abrir os olhos

Foi o primeiro da ninhada a caminhar

Foi o primeiro da ninhada a latir

Foi o primeiro a aprender a ligar o aspirador de pó e não bastasse, ainda ensinou todos os outros 4 irmaozinhos.

Ou seja……pimentinha.

No final de abril visitamos os criadores e nos apaixonamos por todos eles, humanos e buldogues. Pudemos dar muito colo, paparicar os 5 filhotes, conversar bastante com eles sobre nossa vida com o Butters, ouvir a historia deles e confirmar a decisao de que Jaxon seria de fato o filhote mais “saidinho”. Um mes se passou e finalmente chegou o dia de busca-lo! Ao chegarmos la, ele nos viu e saiu correndo e se escondeu. Ô judiacao, estava com medo tadinho. De todos, foi o unico que ficou com a pulga atras da orelha. Entrou na casinha e de la nao saiu. Nos despedimos depois de uma hora e comecou a nossa jornada de 4 horas ate Vancouver. Fui no banco de tras com ele no colo o tempo todo e o anjo dormiu aninhado no meu peito com a cabecinha no pescoco por quatro horas. Acredito que pelo fato dele estar com tanto medo e por eu ter sido a sua guarda-costa por tantas horas, ele acabou “imprinting” comigo.

Imprint em ingles significa quando um animal passa a enxergar alguem como sua mae. Me lembra aquele filme antigo que a menina acha patinhos recem nascidos e eles comecam a segui-la achando que eh sua mae. Pois eh isso que Jaxon fez comigo. Desde aquelas horas dentro do carro, onde eu vou, ele me segue. Podemos andar na rua sem coleira que ele caminha grudado nos peus pes, a coisa mais bonitinha. Butters nunca fez isso, era muito independente desde filhote.

Jax ja esta em casa por quase 2 semanas e o grude segue igual.

13567476_1184201281610846_7589732669055188013_n

Ele esta se adaptando super bem em casa, depois eu volto para contar mais detalhes. Desta vez estamos treinando ele certinho e já contatei uma treinadora que trabalhará com ele para socializarmos o Jax ao máximo. Buldogues podem ser chatos com outros cachorros, não queremos repetir os erros que fizemos com o Butts. Butts amava humanos, cachorro…ná!

Então iniciamos a nova geração agora, mais um pimentinha para nos deixar de cabelo em pé.

Então preparem-se para muitas fotos e videos desta coisa gorda fofa!

 

1 Comment on A última bolacha do nosso pacote

  1. Rita
    01/07/2016 at 10:35 pm (9 months ago)

    Oi Rita (minha xará)!!! Acompanho suas fotos no instagram e me derreto vendo as fotos do seu gordinho!!! Beijos

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *