O debate sobre crianças e eletrônicos segue forte e deparei com este artigo que fala sobre Flávio Comin, economista e coordenador do Círculo de Matemática. Ele aconselha que pais evitem dar eletrônicos a crianças com menos de 12 anos, pelo uso escessivo e a maneira como as conexões cerebrais se formam. Obviamente não sou páreo para um pesquisador como ele, mas darei a minha opinião como mãe, professora e dona de escola.
É impossível lutar contra o uso dos eletrônicos, é impossível fazer de seu filho a única criança a ser impedida de usá-los, é complicado demais lutar contra a maré, e por maré me refiro a modernidade, a tecnologia, e não copiar o que outros pais fazem. É preciso moderar, regular, estar atenta a quanto tempo seu filho passa na frente de eletrônicos.
Como mãe eu confesso: minha filha assiste sim desenhos animados no Netflix, pois não gosto que ela assista televisão aberta e comercais (um deserviço a infãncia), mas ela assiste por tempo limitado que eu e seu pai regulamos. Geralmente por meia hora de manhã antes da escola e depois a noite uns 2 ou 3 desenhos curtinhos. Ela não brinca com o Ipad, os joguinhos que temos ela brinca somente em viagens de carro, e afora isso não brinca com outros eletrônicos. Não joga videogame e nem outros joguinhos viciantes. Mas do alto de seus 6 anos de vida, ela domina a tecnologia de Iphones e Ipads como a maioria das outras crianças que conhecemos, todas sabem ligar, botar a senha, achar o app do Netflix, manusear o programa, trocar de perfil e achar seu desenho. 
Já como dona de escola é totalmente diferente: não temos televisão, nem computadores, nem joguinhos eletrônicos na minha escola, é proibido. O máximo que as professoras estão autorizadas a usar são seus celulares para tocar musiquinhas que baixaram para as crianças, e somente músicas infantis. Só. Não se deve estimular o uso de eletrônicos dentro do ambiente de escolinhas na primeira infância. Se os pais desejam fazer uso do mesmo em casa tudo bem, eu mesma o faço, mas durante o dia na escola não. Lá sim o dia da criança é estruturado em torno da brincadeira lúdica e do uso da imaginação. Brincam de faz de conta, leem histórias, fazem atividades de arte, projetinhos de ciência, aprendem a fazer comidinhas na cozinha, enfim, tem a estimulação necessária para crescerem sem interferência de eletrônicos na primeira infância….ao menos dentro da escolinha.

O artigo é super interessante e vale a leitura

1 Comment on Evitando eletrônicos?

  1. Sandra Nogueira
    02/09/2015 at 7:41 pm (2 years ago)

    Gostaria de ouvir/conhecer/ler sobre a utilização dos eletrônicos na comunicação assistiva…a Helena é incentivada por terapeutas na utilização dos eletrônicos como forma de comunicação e aprendizagem e aí vem outros especialistas (em crianças típicas somente, acredito) e jogam estas bombas nos pais…aff…difícil, né? Assunto muitíssimo importante no entanto, vale a discussão que acaba incitando as pessoas a pensarem e pesquisarem mais sobre o assunto.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *