Uma amiga de Instagram me perguntou por que a Bella sempre brinca sozinha, se ela não brinca com outras crianças, pois nas fotos ela geralmente aparece brincando em casa e sem companhia.  Ótima pergunta!
Bom, então vou contar para vocês um pouquinho do que é ser criança no Canadá. Claro que cada família terá sua própria experiência baseada em quantos filhos ela tem, se tem mais familiares na cidade em que mora, se os amigos tem filhos, se a criança frequenta escolinha e por ai vai. Só posso contar a minha experiência pessoal, mas sei que a minha é parecida com a de amigas minhas que também moram no Canadá, então dará para dar uma boa idéia do que é ser criança por aqui.
Vamos começar em uma comparação com ser criança no Brasil. Eu cresci com todos os meus familiares morando na mesma cidade e com muitos tios e tias e, portanto, muitos primos. Também morava em um edificio com minha melhor amiguinha vizinha de porta. Minha infância foi passada com todos os meus primos, de idades similares, com muita diversão na casa da minha avó: Páscoa, Natal, aniversários, todos juntos e era uma delícia. Eu também tinha um irmão com apenas 4 anos de diferença, então estava sempre muito bem acompanhada.
Quando você vai embora da sua cidade, as coisas dificultam, e pioram ainda mais quando você imigra para outro pais, pois a convivencia diaria com seus familiares é cortada do dia a dia. O Canadá, como vocês sabem, é um país jovem, com apenas 148 anos de vida, e um pais formado em sua maioria por imigrantes, que deixaram para trás seu país e sua familia, vindo iniciar uma nova vida por aqui, e é assim até hoje. Em províncias como Ontário (Toronto) e British Columbia (Vancouver), os imigrantes são maioria, em contraponto om as outras provincias, que tem mais canadenses, e estes talvez tenham a maior parte de sua familia na mesma cidade. Não é regra, visto que os canadenses migram muito dentro do Canadá para fugir das temperaturas frias ou a procura de melhor emprego.

 

A nossa família é formada por 3 integrantes, 4 se contarmos o cachorro, temos uma filha e nenhum familiar na cidade. Nem todos os nossos amigos tem filhos, e os que tem moram em outros bairros mais afastados, o que impossibilita de nos encontrarmos com mais frequencia, aquele contato diário. Quando posto eventuais fotos da minha menina no Facebook e Instagram ela geralmente brinca sozinha, pois as fotos são batidas a noite ou no final de semana, mas mesmo quando ela brinca com amiguinhos eu não publico tais fotos em respeito aos outros pais e a privacidade das crianças.
As crianças de pais que trabalham fora vão para a creche em turno integral, e depois quando vão para a escola e também passam o dia por lá, das 8:45 as 15:00, ou seja, as crianças convivem com outras crianças o dia inteiro. No nosso caso, depois que busco minha pequena na escola, vamos para a nossa escolinha, e lá ela brinca por mais 2 horas com seus amiguinhos, então no caso da minha filha ela brinca com crianças da sua idade o dia inteirinho. As 18:00 vamos para casa e daí temos a rotina da noite de jantar, banho, botar para dormir para acordar cedo no dia seguinte.
Pais com maior flexibilidade de tempo durante o dia durante a semana fazem playdates, onde amiguinhos vão brincar na sua casa. Nós tinhamos uma vizinha de porta da idade de Bella até mês passado,  e elas brincavam quase todas as noites, a mãe passava a amiguinha por cima da cerca e elas brincavam muito juntas, dia de semana, final de semana, mas infelizmente eles foram passar uma temporada de 1 ou anos na China, seu pais de origem.
A minha experiência sempre foi de mãe que trabalha fora, então a nossa rotina foi sempre a mesma desde que Bellinha tinha 2 aninhos e começou a frequentar a escolinha. Como educadora, há sempre a questão da importância da criança ter contato com crianças da sua idade, o que a escolinha proporciona. E quando a criança vai para casa, há a importância do convivio em familia, a atenção que os pais dão aos filhos.
Nossos finais de semana são sempre bem movimentados, fazemos bastante coisa legal com Bellinha, passeamos, vamos ao cinema, e brincamos muito com ela em casa. Isso é um fator importante para pais de filhos únicos, principalmente, quando imigram. Você não terá o núcleo familiar para ajudar a família, e a criança não terá primimos para brincar, então você tem que se envolver com seu filho em casa. Tem que brincar muito, ler juntos, dar atenção de verdade. Ouço muitos relatos de filhos únicos, e eles se dividem em crianças que se sentiam sozinhas pois os pais não davam atenção alguma quando criança, e os que tem lembranças maravilhosas de sua infância, mesmo sem irmãos, pois tiveram pais que brincavam muito, faziam companhia, eram parceiros e companheiros.
Eu tenho certeza absoluta que minha filha não se sente sozinha, mesmo sem irmãos ou primos para brincar, pois tem seus amiguinhos de escola, de creche, e amiguinhos filhos dos amigos. Também a levo para brincar em playgrounds, pracinha e ela sempre faz amiguinhos, é uma criança muito social, adora fazer amigos e não tem vergonha de se apresentar e convidar para brincar. Pelo que conheço de filhos de amigos e aluninhos da escola, embora as familias sejam meio deparceiradas no Canadá devido a imigração e a migração, as crianças brincam bastante, no verão, nas férias, vão para colònias de férias, sempre procurando proporcionar convivio com outras crianças, o que é o natural e ideal para uma criança.

No final das contas estes texto compilou bem o que é ser filho de pais que trabalham fora e tambem a infância no Canadá. Post 2 em 1 🙂

1 Comment on Ser criança atualmente

  1. Londres com Crianças
    13/07/2015 at 9:58 am (2 years ago)

    Rita aqui em casa eh assim também, entendo perfeitamente seu texto.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *