A minha mãe pode atestar aqui que eu sempre tive um problema sérissimo: é muito dificil me obrigar a fazer uma coisa que eu não quero, não sei porque, mas nunca consegui e até hoje não consigo. Eu até faço algumas obrigações sociais quando percebo que são imprescindíveis para não magoar os sentimentos de ninguém, mas tirando isso…..não. É um ponto positivo, de certa forma, pois se você não faz o que é “obrigada”, você não sente aquela obrigação chata de sempre dizer sim para tudo, ou fazer algo que não quer e se ressentir, mas já por outro lado o ser rebelde neste sentido a faz parecer antipática.
Bom, mas agora a porquinha anda torcendo o rabo por aqui, pois minha versão “mini me” está igual a mim. Está não, sempre foi. Desde bebezinha minha filha mostra que não veio a passeio e tem a personalidade fortíssima. Sim, educada, meiguinha, mas Deus meu, daonde saiu tanta personalidade? Ela como toda criança obediente faz o que pedimos, mas se ela não concorda com algo, áááá, você vai saber rapidinho as X razões pelas quais ela não concorda com o seu pedido. Bryan e eu damos muitas risadas com ela, pois ela usa argumentos muito bem fundamentados, um vocabulário impecável e claro, aquela cara de criança sapeca que ninguém resiste. Dá até para vislumbrar um futuro como CEO, ou advogada ou profissão que exija liderança ou aquela pitada de rebeldia.
Uma das coisas mais difíceis na vida adulta é você dizer não, mas dizer não é uma arte. Não sei porque eu cresci assim e mesmo sem ensinar a minha filha, ela é igual. Fico feliz que ela cresca desta maneira, pois facilitará uma série de problemas emocionais no futuro, já que o constante dizer sim causa ressemtimento a longo prazo, portanto bora ensinar nossos filhos que dizer sim a vida e as oportunidades é imprescindível, mas dizer não a algo que vai contra sua vontade e sua consciência é igualmente importante.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *