Li esta matéria ontem a noite e deu vontade de vir aqui para desabafar.
Esta mãe acabou de dar a luz a quintuplus (1 + 1 + 1 + 1 + 1 = 5) e a matéria da UOL relatou sobre a prematuridade de maneira tão leviana e simplória, ainda mais se tratando de quintuplus, que até me choquei.
Pense comigo: eu fui mãe prematura de 01 bebê nascido com 25 semanas de gestação ( 15 semanas antes do normal). Meu bebê nasceu de 810 gramas e na época fui elogiada por ter conseguido “engordar” meu bebê, pois com 25 semanas de gestação ter um bebê gordinho de 810 gramas é uma benção e sorte enorme. Meu bebê teve todo o útero e placenta para si próprio, não teve que dividir com ninguém. Meu bebê passou 4 meses – 138 dias – na UTI Neonatal, passou por dezenas de procedimentos médicos, raios X, transfusões de sangue, 2 cirurgias e por ai vai. O meu bebê viveu uma montanha russa dentro daquela UTI e foi considerado o bebê mais doente de Calgary em 2009, prêmio que mãe nenhuma merece ganhar, juro por Deus. Agora vem a UOL me escrever uma reportagem leviana como esta, acho uma vergonha até. Entendo que a fonte ali citada foi uma funcionária do hospital, mas mesmo assim, ou a fonte não entende sobre a saúde de um bebê nascido de 500 gramas ou não sei o que houve com esta matéria. Para nascimento de quintuplus prematuros extremos, mais parece uma história de conto de fadas.
Que deserviço contra a prematuridade!
Que deserviço contra a divulgação de informações médicas mais precisas para pais que passarão pela montanha russa de uma UTI Neonatal.
“O primeiro a nascer foi o menino, com 1,185 kg. As quatro meninas
nasceram na sequência e pesavam, respectivamente, 905 gramas, 930
gramas, 595 gramas e 715 gramas. “Todos estão bem formados e agora vão
passar por um período de crescimento extrauterino. A faixa de peso era a
esperada, pois, por restrições anatômicas, não caberia bebês maiores
dentro do útero”, afirma o superintendente.

 Os cinco bebês ficarão na UTI pediátrica do hospital até ganharem peso
necessário (1,8 quilos) para terem alta. A estimativa, segundo o diretor
técnico do hospital Sepaco, é que eles permaneçam internados por dois a
três meses e que ganhem de 10 a 20 gramas por dia. “O objetivo também é
que os pulmões possam crescer e amadurecer com conforto”, afirma.”

Ficarão na UTI até terem 1.8 quilos e receberem alta. Gente, minha filha recebeu alta com 3.5 kg e o peso não é o único indicativo da saúde do bebê prematuro, pode ser gordinho e ter mil problemas que o farão permanecer na UTI.

Segundo a matéria uma fonte passou estas informações, mas será mesmo que um médico neonatal já de cara estimaria que um bebê de 500 gramas vá passar X dias na UTI engordando de 10 a 20 gramas por dia? Gente que estimativa é esta?
Um prematuro extremo como minha filha e os quintuplus já começaram a vida perdendo grande parte do peso que nasceram, minha filha nasceu com 810 gramas e dias depois chegou a faixa de 600 gramas. Ficou nas 600 gramas por muitos dias, e depois levou meses e meses para engordar. Engordava e perdia tudo, engordava por 4 dias e perdia tudo em 1 dia, não há estimativa que assegure que um bebê vá ganhar x gramas por dia, não funciona assim.
Entendo que o nascimento de múltiplos fascine a muitos e acabe virando notícia, mas quando esta notícia é dada de maneira leviana, dando a entender que um prematuro extremo de 500 gramas vai engordar 20 gramas por dia e sair da UTI com 1.8 kg, parece que a prematuridade nada mais é que nascer 15-13 semanas antes do previsto, sem consequencia alguma, e apenas engordar. Existem sequelas para um nascimento de apenas 500 gramas.
Enquanto a sociedade, o público geral,  não entender o perigo da prematuridade e as consequencias para a saúde da criança, seu futuro e a vida dos pais, nada vai mudar. Há tantos que lutam pelo aumento da licença maternidade para a mãe prematura, para o pai prematuro, pelo direito de receber vacinas carissimas que protejam o pulmao do prematuro….há tanta coisa importante em jogo, que estereotipar a prematuridade como “apenas engordar” é um deserviço sem igual.
Vou orar para que estes 5 anjinhos tenham uma boa estada na UTI, que não sofram de outros problemas, que apenas engordem e vão para casa. Vamos orar por eles, por sua mãe que sofrerá a barra que é ir diariamente pro hospital, passar o dia inteiro em um ambiente pesado como este por meses a fio, e que o restante da familia possa dar todo o suporte emocional e financeiro para esta mãe, pai e bebezinhos.

4 Comments on Prematuridade: Pré-Conceito e Estereótipo

  1. Sandra Nogueira
    15/04/2015 at 2:57 am (2 years ago)

    Infelizmente, principalmente no Brasil, a causa prematura é tratada de forma simplória e até leviana. Esta família precisará de muito apoio para dar a estes bebês qualidade de vida! Concordo plenamente Rita! Esta reportagem é um tremendo desserviço para as lutas das mães prematuras brasileiras. Jornalismo chinfrim!

    Reply
  2. nanda
    17/04/2015 at 1:12 am (2 years ago)

    Oi Rita! Vi uma matéria essa semana em algum programa na TV (não me lembro) onde uma repórter entrevistou uma mãe que recebia leite materno doado quando sua filhinha nasceu prematura com 550g. Em nenhum momento foi falado nada sobre a prematuridade, apenas que o leite materno auxiliou a menina a ganhar peso. Disso não tenho dúvidas, mas quem assiste pensa que é só uma questão de ganhar peso, né? Imagino que só quem passa por isso realmente que conhece todos os fatores.
    Ahn, a matéria sobre leite materno doado foi iniciada porque uma mãe dos EUA anunciou seu leite no seu site? Ouviu falar disso? Se eu não me engano estava vendendo por 3 dólares 30ml de leite materno. Já pensou se a moda pega? rs

    Reply
  3. Larissa Andrade
    20/04/2015 at 8:10 pm (2 years ago)

    Olá Rita!
    Vi este seu post compartilhado pela Dani (Mãe da Loly) e aproveitei para conhecer mais por aqui! 🙂
    Também sou mãe de prematura. Minha gestação era gemelar, mas devido à prematuridade, após alguns dias, uma delas, não resistiu.
    Por aqui, também ficamos durante 96 longuíssimos dias em UTI Neo. Não foi fácil!
    Mesmo com tantos avanços e recursos, a prematuridade não é mesmo algo tão simples assim, pois como você bem citou, não é somente ganhar peso. São muitos aspectos.
    10 a 20g por dia, nem sempre é tanto assim. Lembro que vibrávamos até com 5g adquiridas em um dia e, que no dia seguinte, poderiam ser perdidas rapidamente e fora tantas "intercorrências" como transfusões e afins. Bem sabemos como é…
    Também estou na torcida pelos cinco bebês e pelos pais, para que possam vivenciar esse momento com fé e força, mesmo sendo um misto de sentimentos!

    Beijos,
    Larissa Andrade.

    http://maternidadeecotidiano.blogspot.com.br/

    Reply
  4. Ela
    21/04/2015 at 1:35 pm (2 years ago)

    Fiquei abismada com a reportagem. E eu assisti a uma que me fez chorar. Eles filmaram a mãe chegando pela primeira vez na uti, de cadeiras de rodas, chorosa.. Quanta insensibilidade! As mães de prematuros sabem bem o que sentimos ao ver aquelas criaturinhas pequenas, muito diferentes do que esperávamos carregar nos braços. Não que não nos fossem lindos, mas o que mais passa na nossa cabeça é o pavor, é o terror de não podermos carregá-los nos braços. E a repórter ainda perguntou se ela se sentia mãe! Me deu uma raiva, chorei com a mãe dos quíntuplos! Ela respondeu que se sentia um pouco mãe é que sentia falta dos bebês em sua barriga.
    Ontem conversei com meu marido a respeito. Aquilo foi uma violência contra a mãe, a família jamais deveria ter permitido.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *