A principal regulamentação que mudou nas escolas e escolinhas do Canadá é a seguinte:
Professores não estão mais autorizados a insistir para uma criança comer, forçá-la ou encorajá-la demais.
Pense em 99% das mães mundo afora, que precisam ver seus filhos comendo muito, prato cheio, transbordando!
Pois é, apaga tudo!
Esta será uma mudança substancial na forma como entendemos a alimentação infantil e, principalmente, em como colocamos este novo entendimento em prática.

O que não se pode fazer (e nós mães fazemos, mesmo que inconscientemente):

  • Forçar a criança a comer
  • Insistir que ela coma “só mais uma colherada”
  • Fazer chantagem “Come para a mamãe! A mamãe (ou a professora) ficará tão feliz”
  • Encorajar a criança demais
  • Usar comida como punição ” Se não comer não poderá brincar, se não comer não terá sobremesa”
  • Usar a comida como recompensa ” Faça xixi no vaso sanitário que a mamãe te dá um chocolatinho” ( quem nunca na fase dos terríveis dois?)

O que os pais e professores devem fazer ( e será um exercício árduo por muito tempo, até aprendendermos a mudar nossa maneira de agir):

  •  A criança comerá até saciar a SUA fome. A dela. Não a sua. Entenda isso.
  • Quando ela não quiser mais comer, acabou. Não se deve insistir.
  • Oferecer alimentação saudável para a criança desde bebê.
  • Ensinar pelo exemplo, pais que se alimentam bem tem filhos que se alimentam bem
  • A família deve comer a mesa….juntos….sem televisão, Ipad, youtube, nenhum eletrônico.
  • Não passarmos para a criança a idéia de que comida é intimamente ligada ao nosso emocional
Pare para pensar: isso é a maior revolução na cabeça de uma mãe. Queremos que nossos filhos comam bem, comam bastante, cresçam lindos e fortes, nos moldes que nossas mães nos criaram, mas as coisas mudaram. Hoje pediatras, psicólogos e educadores pregam que a criança sabe se auto-controlar, nós é que não damos crédito a elas.
Eu ainda estou digerindo tudo o que aprendi hoje, e embora como mãe eu possa ir testando e experimentando tudo devagarinho, como dona de escola estas mudanças entrarão em vigor já na próxima semana.
Não será fácil, todos teremos que nos acostumar com o péssimo hábito, cacoete mesmo, de ficar repetindo 100vezes “Come fulaninho, mais uma colherada, senão não terá forças para brincar no parquinho.”
Milagre a criança não ficar transtornada com o absurdo que é cada coisa que falamos!
Como disse a palestrante: 

Crianças devem sentir prazer em comer. É nosso trabalho ensiná-las, e não forçá-las a aprender!

1 Comment on Novas regras de alimentação infantil: Parte I

  1. Karina Rezende
    10/06/2014 at 12:35 am (4 years ago)

    Amiga, o post esta excelente, mas não é novidade né?
    Acho que todo mundo sabe que comida não é incentivo ou punição!

    Só que da muito mais trabalho, por exempo, depois que a criança não quis comer, ser forte e oferecer um lanche saudável na próxima refeição!

    Love you!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *