Para aquelas que adoram
assistir um belo clássico do futebol, ou mesmo uma simples “pelada”, aí vão
minhas desculpas e minha eterna admiração.
Aquela história de que
“futebol é coisa para macho” já está mais que ultrapassada; conheço muitas
meninas que vão a campo desde pequenas, acompanhavam os jogos com seus pais e
irmãos e hoje seguem seus times por convicção e por conta própria. Pois bem,
meu recado não é para elas.
Eu odeio futebol.com.br: pronto, falei. Juro que tentei
gostar. Na Copa de 94 acompanhei todos os jogos e foi fácil me envolver, já que
levamos a taça. Conhecia todos os jogadores, e meu favorito era o Bebeto. A
partir de então, resolvi que acompanharia o futebol e, quem sabe (?), iria ao
estádio torcer pelo meu time.
Não durou nenhum mês a minha
pretensão. Resolvi escolher o time oposto ao que meu pai torcia, o que não
facilitava muito na hora de ir ao jogo; meu pai, por sua vez, também não é
nenhum fanático, gosta de assistir os jogos, contudo, no conforto do sofá de
casa. Para completar, uma de minhas melhores amigas, essa sim é torcedora, me
fez ver (discutindo com os meninos sobre o ataque, o centroavante e o diabo
à quatro
) que eu, além de não entender nadinha sobre o assunto, ainda não
gostava. Ela, pelo contrário, deu um laço neles! Nunca vou esquecer aquela
cena, tínhamos 10 anos e éramos, as duas, as mais baixinhas da turma. Ela
chegava a subir nas pontas dos pés, de tão acalorada que era a discussão.
Pronto, me libertei do
futebol e hoje não posso nem com o barulho do narrador. Ir no estádio é uma
tortura, odeio aquele gritaredo, tenho preguiça da função de me deslocar
até lá, sequer enxergo a bola (sim, uso óculo e enxergo bem mal para longe) e,
ainda por cima, no estádio não tem replay.
A única vantagem que vejo,
indo ao estádio, é mandar ver em tudo que passa por ali: cachorro quente,
picolé, pastel, pipoca e refrigerante. Daí, sim, se quiserem me levar, me
abasteçam de guloseimas!
Agora vem o cerne da
questão: como lidar com o futebol do marido/namorado? Quantas não passam por
esse problema? Eu descobri a fórmula e, para bem dos relacionamentos de todas
nós, resolvi compartilhar minha grande sacada.
Aprendi a respeitar. Nada de
querer competir com a hora do jogo, muito menos com o time amado do seu bófi.
O resultado é sempre o mesmo: o futebol ganha. Acreditem.
E quando estamos diante de
um domingo radiante de sol, a tarde convidando para ser desfrutada e tem aquela
partida imperdível do campeonato, para o qual o time querido está já
classificado para as finais, e o jogo vai passar às 16h na televisão? O que
fazer? Surtar? Nada disso, use isso a seu favor.
A hora do futebol é uma hora
sagrada, não adianta. Façamos dessa hora, pois, sagrada também para nós. Não
estou sugerindo, em hipótese alguma, sentar do lado do cara e assistir aquela
chatice junto. Pelo contrário: saia de casa, vá ao cinema, queime calorias pela
rua, faça um bom exercício, aproveite para passar umas horinhas com as amigas
ou com sua mãe. Se ficar em casa, faça algo que gosta ou que precisa fazer: as
unhas, um bolo, o faxinão da semana, o momento da beleza capilar, uma
leitura, ou, simplesmente, aproveite o ócio. Enfim, opções não faltam.
Agora, se resolver assistir
o jogo junto com ele, ou apenas ficar no mesmo ambiente onde ele está
ouvindo/assistindo, não dê sua opinião sobre o lance ou sobre o árbitro. Sério,
conselho de amiga… Não queira saber de uma vez só o nome de todos os
jogadores ou criticar a belíssima e insuportável voz dos comentaristas, aliás,
chega um momento em que parece que eles entram na minha mente! O negócio é
ficar a parte nesses momentos. Discutir a relação durante um jogo? Jamais!
Essas dicas estão parecendo
machistas? Pois não são: quantas vezes queremos fazer algo só nosso, algo que o
outro não faz questão nenhuma e ele, inocentemente, não se dá conta da
importância daquela atividade e se desata a falar ou pedir atenção? Pois bem, a
lógica é a mesma! Eis uma das receitas para a paz dentro do relacionamento
conjugal.
E para aquelas sortudas cujo
partner não gosta de futebol? Ora, ora… Eles sempre têm algum hobby:
carros, motos, poker e por aí vai! Não tem remédio e viva a diferença!

6 Comments on Futebol: adoro! Ou não.

  1. Vicente Correa
    10/04/2014 at 11:56 am (3 years ago)

    Como sempre Maria Maria, tocaste no assunto com muita propriedade. Com muita paciência e compreensão é possível conviver com nós os fanáticos por futebol.

    Reply
  2. Paulinha
    10/04/2014 at 12:06 pm (3 years ago)

    E quando acontece isso, só q ao contrário?! Hehehe…
    Meu digníssimo largou de mão a torcida pelo colorado, quando lááá em 2005 teve aquela falcatruagem toda a favor do 'Curíntia'… já não era muito fã, depois disso, largou mesmo! E eu estou sempre me arriando nele, pelo fato de que no ano seguinte o Inter ganhou a Libertadores e o Mundial! Baita pé frio! Hahahua…

    Mas ele não 'sofre' muito… gosto de assistir, mas tb não perco um dia de sol, um passeio, ainda mais no findi! A não ser q seja um jogo decisivo, ou um bom GreNal! Daí ele q entende perfeitamente e vai fazer alguma coisa mais interessante!

    Mas acho q no geral da relação tudo tem q ser equilibrado e respeitar os gostos do outro. Vai proibir o futebol? Vai proibir a saída com as amigas? Relação com 'proibição' e 'possessividade', não são nem um pouco duradouras…

    Reply
  3. Gustavo Corrêa
    10/04/2014 at 12:12 pm (3 years ago)

    Muito bem, importante respeitar, não só o futebol, mas os gostos uns dos outros.

    Reply
  4. Wera Corrêa
    10/04/2014 at 7:20 pm (3 years ago)

    hahah descobriste a fórmula. Como diz alguém que eu conheco "as pessoas nao sao irmaos siameses". Enquanto um curte o futebol e outro faz aquilo que gosta. E viva as diferencas.

    Reply
  5. rita
    11/04/2014 at 4:27 am (3 years ago)

    To contigo!
    Aqui é hockey, videogame…..somos parceiros em tudo, mas cada um tem seus gostos e hobbies e qdo um quer fazer alguma coisa, o outro vai cuidar das suas coisas e interesses. Assim somos todos felizes sem ter que ficar abdicando de nada pois a mulher ou marido não querem fazer tal coisa.

    Coisa mais antiga ne?

    Beijo, beijo
    Rita

    Reply
  6. Roberta Corrêa
    11/04/2014 at 6:49 pm (3 years ago)

    Agora vou lançar outro desafio. Eis a situação: o casal ama futebol, torce para o mesmo time, masssss o menino da relação não acha legar curtir isso com a sua namorada, prefere os amigos/outros meninos. Como faz????

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *