Bairro Bom Fim – Foto de Paulo Heuser

Esta semana foi aniversário da minha cidade favorita, aquela que será sempre a minha casa.
242 anos de história e beleza, de gente bonita e simpática – metida – mas simpática.
Pergunte a um gaúcho se ele ama a sua cidade e ele dirá que sim, que ama muito. Existem cidades muito mais antigas e cosmopolitas que Porto Alegre, mas nenhuma com o seu charme, isso eu posso garantir.
Sinto saudade de uma infinidade de coisas, e todas as coisas que eu amo e sinto falta, serão sempre infinitamente maiores do que a implicância com a violência e a corrupção brasileira. As ruas de Porto Alegre tem as calçadas mais lindas do mundo, e quando me bate saudade dos pequenos momentos na minha cidade, eu já me peguei sonhando acordada com as calçadas de Porto Alegre, visualizando que rua tinha aquelas pedras históricas, e foram naquelas ladeiras e ruas antigas que os meus pés caminharam desde criança.
Um dia eu deveria escrever um livro – só para mim, na verdade para deixar de presente para a minha filha – em que eu conte em detalhes todas as coisas boas de Porto Alegre, as minhas lembranças naquelas ruas, naquelas pracinhas, em andar de bicicleta olhando o por do sol lindo do rio Guaíba. Estas memórias são ouro para mim, são na verdade o que me fazem controlar a saudade da minha família, dos meus amigos, da nostalgia de ter vivido metade da minha vida em terras gaúchas. A vida que levo hoje aqui no Canadá é quase perfeita (so falta a minha família), não posso negar, mas embora Vancouver seja absolutamente perfeita em sua beleza natural e política, qualquer coisa perfeita demais se torna imperfeita.

Casa de Cultura Mario Quintana – palco da minha infância e adolesccência
Porto Alegre tem ruas antigas, esburacadas, aquelas calçadas que você fica se “puteando” de caminhar de salto, mas quando você mora longe há 10 anos, você sente falta. Cada buraco é um marco, ajudou a construir a personalidade da cidade. Caminhar pelo centro histórico até chegar ao mercado público e tomar uma bomba de sorvete na Banca 40 vale qualquer sacrifício, enfrentar o calor e ficar brava que tem fila para sentar na sorveteria. Tudo isso me ajudou a criar as memórias que tenho hoje e que jamais se repetirão, nem mesmo aqui em Vancouver.
As escolas onde estudei, jogar futebol com os primos na calçada, as escadarias esperando os namoradinhos, os shows no Opinião e Ocidente, andar de skate na rampa do edifício, espiar quem apertou a campainha do vizinho, tudo isso faz parte do filme da minha vida e este filme mais amado, mais nostálgico, fez parte dos 242 anos de Porto Alegre. Cada um de nós, gaúchos, ajudou a criar estes 242 anos de muito amor.

Parque da Redenção! Saudade infinita 🙁

Você pode tirar a gaúcha do Brasil, mas jamais tirará os pampas de um gaúcho, nunca!
É com muito amor e uma imensa saudade sentida que parabenizo a minha cidade mais alegre por sua semana de aniversário. Não tem um dia em que eu não lembre de Porto Alegre, ela está enraizada em mim como nenhuma outra cidade jamais estará.

Meu irmão ficará orgulhoso por eu ter escolhido esta música para ilustrar este post!
Graforréia  Xilarmônica.

Abaixo, o cantor que mais já assisti shows na minha vida, acho que no mínimo uns 10 shows dele na minha adolescência: Nei Lisboa!

Esta música representa bem o sentimento de um gaúcho que mora longe, não precisamos muito para lembrar….(delícia de cereja no bolo a participação de Paulinho Moska!)

Pra Te Lembrar (Nei Lisboa)

Que é que eu vou fazer pra te esquecer?

Sempre que eu já nem me lembro, lembras pra mim

Cada sonho teu me abraça ao acordar

Como um anjo lindo

Mais leve que o ar

Tão doce de olhar

Que nenhum adeus vai apagar…

Que é que eu vou fazer pra te deixar?

Sempre que eu apresso o passo, passas por mim

E o silêncio teu me pede pra voltar

Ao te ver seguindo

Mais leve que o ar

Tão doce de olhar

Que nenhum adeus pode apagar…

Me abraça ao acordar

Como um anjo lindo

Mais leve que o ar

Tão doce de olhar

Que nenhum adeus vai apagar…

Que é que eu vou fazer pra te lembrar?

Como tantos que eu conheço e esqueço de amar

Em que espelho teu, sou eu que vou estar?

Ao te ver sorrindo

Mais leve que o ar

Tão doce de olhar

Que nenhum adeus vai apagar…

3 Comments on Feliz semana de aniversário, meu Porto Alegre

  1. Mamãe Nádia
    29/03/2014 at 1:14 am (3 years ago)

    Ai guria, tu me fez chorar com esse post aqui.
    É coisa que só gaúcho entende!
    Eu acho que sou mais gaúcha que brasileira…Amo o nosso povo, a nossa terra, a nossa cultura…É amor demais…só quem é gaúcho entende.
    Nesse teu post li tudo o que eu sinto!
    Sou gaúcha de Porto Alegre, e amo minha cidade natal, apesar de não ter vivido lá por muito tempo…considero mais Santa Maria como a minha cidade.
    Mas esse teu post mexeu muito comigo…tô com muita saudade…muita!
    Se me perguntarem se estou com saudades do Brasil…vou dizer que não! Mas a saudade do Rio Grande do Sul e tudo o que ele representa, chega a doer no peito.
    É imensa a saudade da família, os amigos, o povo gaúcho em geral. Saudade de cada aspecto do nosso RS. O céu azul, sem nenhuma nuvem, a rodinha de mate entre amigos, os trejeitos do povo gaúcho…
    Ai, como sinto saudades!
    Nas últimas semanas tenho sonhado muito que estou lá, na casa dos meus pais. Conto os meses pra isso acontecer…Contenho o choro e tento não demonstrar isso pra ninguém, mas esse teu post me fez desabar…
    Parabéns pra nossa linda Porto Alegre!
    Beijos!

    Reply
  2. Vicente Correa
    29/03/2014 at 11:53 am (3 years ago)

    É isso aí Rita, porto Alegre é DEMAIS!

    Reply
  3. Anonymous
    29/03/2014 at 6:30 pm (3 years ago)

    Ih! faz tempo que não comento aqui, mas hoje pede!

    Amo Porto Alegre, o palco que deu início ao meu amor (não o primeiro, mas o "verdadeiro'). Foi com um gaúcho do alegrete que morava em POA e dava aula na PUC que descobri o charme do frio, da rádio ipanema, do mate, que falar um pãozinho pode ser muito divertido quando se fala que quer um cacetinho, tudo isso onde? Sim, senhora, em POA! Sou a paulista/carioca mais gaúcha que conheço com muito orgulho. Adoro Porto Alegre e sempre disse que moraria lá fácil. Tenho grandes amigas gaúchas e o "amigo punk" é o nosso hino! Por sinal, a cerveja que o Le faz se chama "chinoca", foi batizada por mim e por causa da música. Parabéns POA!! Beijão Rita! Parabéns pela sua cidade, que é de todos nós. Julia

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *