Ando pensando muito no significado de uma música e tentando
fazer ele ecoar dentro de mim, como se fosse um mantra, para ver se assimilo de
vez e me liberto de verdade.
A culpa toda é da Rita que não cansa de tecer seus
comentários sobre o novo desenho da Disney, Fronzen, que eu, por sinal,
também adorei. Não preciso de muito para gostar de desenhos, principalmente se
eles forem bem coloridos, cheios de princesas, brilhos, músicas e final feliz.
Não estou nem aí se existe ou não existe mensagens
subliminares preparadas pelo seu Disney, se a ideia era só vender mais
alguns bilhões de cópias ou se o autor realmente se preocupou em passar uma
mensagem legal para o expectadores.
O fato é que o filme foi lindo, saí da sala do cinema com uma
vontade incessante de dar um abraço mais que apertado na minha irmã e dizer
para ela que não há inverno entre nós.
Mas hoje não quero falar da relação entre irmãos, nem do amor
irracional que possa existir entre eles. Quero entoar um hino, quero gravar na
minha memória RAM uma ordem para mim mesma: let it go, deixa ir, deixa
passar!!!!!!!!!!!!!!!!
Aquilo que não me faz bem porque nunca fez ou aquilo que me
fazia bem, mas agora já não faz mais, quero deixar ir. Não posso suportar mais
e, até onde pude suportar, foi muito pesado. Devemos preservar nossas costas,
nossos ombros e nossos corações. Concordo que não recebemos um fardo maior do
que possamos carregar, mas às vezes avocamos obrigações que não nos competem e
isso pesa no corpo e na alma.
Hoje, quarta-feira de cinzas, aqui no Brasil, é dia de
ressaca, dor de cabeça, e serviços pela metade. Ou dormimos demais, ou de
menos. Alguns estabelecimentos abriram apenas após o meio dia, outros ainda nem
abriram.
Milhares de posts na rede diziam a mesma coisa: feliz
início de ano; acabou o carnaval, então bora começar o ano; agora sim, 2014
começou…
Por favor… Estamos no terceiro mês de 2014 e só agora as
coisas começaram… Antigamente isso não me incomodava, até achava graça. Hoje,
que dependo de serviços, preciso que a máquina dos outros funcione para a minha
funcionar também, já não acho tão interessante o efeito do Carnaval.
Não vou negar, viajei no Carnaval, tirei o atraso do sono, foi
bom. Mas a sensação de estar em uma embarcação, cuja tripulação está reduzida
pela metade, causa uma certa indignação.
O que fazer: colocar a boca no trombone, ir para as ruas,
gritar bem alto, quem sabe alguém me ouça? Acho bonitas essas alternativas, mas
no momento, não vislumbro resultados satisfatórios, apenas fadiga física e
mental.
Resolvi, de momento, deixar passar. O Carnaval não é tão
atraente para mim, mas pode ser bem proveitoso para os comerciantes ou para
aquele que trabalha em regime de plantão conseguir costurar dois dias de folga
seguidos!
Quanto ao estado “sequelado” em que se encontram as pessoas
nos dias pós Carnaval, vou deixar passar, o trabalho é todo meu em ver, não
gostar e ter de aceitar, até que passe.
E assim, sugiro que se faça com todos os fardos que
ultrapassaram o limite de peso. Mala sem alça e sem rodinha já é obsoleta,
então, let it go para o colega arriado de trabalho que não faz a sua
parte e deixa tudo para depois, let it go para a revolta com o pós
Carnaval, let it go para o seu grande amor que se fosse tão grande não
lhe faria tão infeliz, let it go para a calça jeans que não cabe
mais nem com banda de música, oras!
E para a dor de cabeça, nada como um chazinho, um remedinho,
uma noite de sono ou menos revolta no corpo.

5 Comments on Deixa passar

  1. Vicente Correa
    06/03/2014 at 5:36 pm (4 years ago)

    Cada vez gostando mais das cronicas da Maria Maria. Parabens.

    Reply
  2. Rita
    06/03/2014 at 6:02 pm (4 years ago)

    Let it go, let it gooooo

    Adoro este filme, não sei bem explicar por que. É um filme da Disney, meio de princesa as avessas, mas acredito que seja uma mistura de várias coisas: o filme se passa na neve, o que eu consigo entender bem, o filme não é de princesas clichê, já ganha uns pontos aí, mas acredito que talvez a música let it go tenha sido o tchã que conquistou não só a mim como a todos, maioria, que viram o filme.

    E depois que vi algumas entrevistas com os compositores da musica, me apaixonei ainda mais. A compositora fala sobre como é dificil let it go, respirar fundo e deixar fluir, se não tem remedio,l remediado esta , ne? Isso é dificil.

    O interessante é que este foi o primeiro filme da Disney que você homens cantando Let it Go, e não só pais não, pegue qualquer um na rua aqui no Canada e pergunte se ele sabe cantar ao menos o refraop e ele dira que sim. Você atores de televisão cantando a musica inteira, ela virou viral mesmo, e o filme se fez em cima dela, entao de novo, fico impressionada com o talento dos compositores.

    Mas voltando para o post:

    É , tem epocas que so letting go mesmo, ignorar o que a gente nao concorda, acha bobagem, e deixar a vida seguir seu rumo. Afinal, um dia o carnaval acaba e o ano começa ne?

    beijinhos

    Reply
  3. Vicente Correa
    06/03/2014 at 6:03 pm (4 years ago)

    ada vez gostando mais das cronicas da Maria Maria.

    Reply
  4. Wera Corrêa
    06/03/2014 at 7:58 pm (4 years ago)

    Lendo teu post lembrei de uma frase do Caio Fernando Abreu, nao sei se ja falei nele, mas tenho aqui, colado na minha frente para nao esquecer: "To me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Fui ser feliz e nao volto.

    Reply
  5. Micha Descontrolada
    07/03/2014 at 12:54 am (4 years ago)

    eu amo carnaval, mas vou na base da água…cerveja só duas latinhas no final do dia, depois de mto pular. Tanto que na 4a. de cinza as 6h30 ja tava de pé, sem despertador, e fui pra praia correr…
    Tem gente q extrapola, mas não julgo, cada um sabe de si, mas eu acho um desperdício e é algo q não quero pra mim…então vou na água e alegria!!!

    Beijossssssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *