Pinterest
Pode parecer engraçado, mas o momento em que eu mais sinto orgulho da minha filha é quando estamos no parquinho. Vejam bem, eu tenho um milhão de motivos pelos quais me orgulho da minha menina, vocês sabem a nossa história e todos os obstáculos que ela teve que enfrentar para estar conosco aqui hoje, mas quando eu a levo no parquinho ela acaba comigo, me mata de orgulho!
Não sei bem explicar porquê!
Interessante isso.
Nós vamos seguidamente em um parquinho chamado Go Bananas, que fica em um shopping aqui pertinho de casa. Como nosso inverno é longo, frio, chuvoso, chato mesmo, para proporcionar esta experiência motora para as crianças, só nos resta o parquinho coberto. Chegando lá, ela rapidamente tira seus tênis e sai correndo feito uma maluca subindo os equipamentos. Ela frequenta estes parquinhos desde 1 aninho de idade, mas desde seus 2 anos mais independentemente. Sente a angústia da mãe aqui vendo a filha sumir em metros e mais metros de labirintos sem fim. Sento no sofá fingindo ler uma revista, quando na realidade uso todos os meus sentidos para ver e ouvir onde anda a minha macaca, e quando não a vejo por 3 minutos minhas antenas de mãe neurótica já ficam ligadas.
Dá mais um minuto e ela passa correndo na minha frente, ou melhor, 2 metros acima, de quatro, rastejando por entre as cordas, e quando vejo sua carinha de determinação….poxa, lá em cima, sozinha, sem medo de nada, me inflo de orgulho. Da sua independência e da sua coragem.
Pinterest
Como trabalho com crianças, tenho o privilégio de observá-las nos momentos felizes e despreocupados e nos mais tensos, quando fazem uma arte ou brigam com um amiguinho, e você lê nos seus rostinhos o que elas sentem. É preciso coragem para ser criança, muito mais coragem do que ser adulto. Elas nascem fresquinhas, prontas para aprender tudo o que temos para ensinar. Elas não tem maldade, tem um coração puro, este que as guia durante suas atividades diárias. Portanto ver uma criança brincar destemida é um momento lindo e único, e que muitas vezes não nos damos conta do quão importante é. 
Por isso gostaria de vir aqui e fazer um apelo formal a todas as mães e pais que lêem este blog. Na próxima vez que você levar seu filho na pracinha, no parquinho, preste atenção e veja a magia que é observar uma criança valente explorando o mundo e seus limites. Tenho certeza que compartilharemos o mesmo coração cheio de orgulho.

1 Comment on Filosofando no parquinho

  1. Mãe da Loly
    06/01/2014 at 10:35 am (4 years ago)

    Oi Rita,
    Pode ter certeza que já compartilhamos desses sentimento de orgulho nesses momentos!!!
    Eu sempre fico muito feliz e orgulhosa ao ver a Loly brincando assim, livre, destemida e determinada… sempre achei que era pq eu na idade dela não desgrudava da minha mãe e tinha medo de absolutamente tudo!!!! Então sempre incentivei a minha filha a ir brincar e não ter medo, para ela aproveitar mais a infância de um modo que eu não aproveitei!!
    Eu fui sim uma criança muito feliz, mas tb muito muito muuuuito medrosa!!! Talvez pelo fato de ter uma mãe mto medrosa, mas não que a culpa seja dela!!! Por isso sempre procurei não passar meus medos para a Helô, eu cuido para que ela tenha noção de perigo, que seja prudente, mas que não seja tão medrosa… a vida de um adulto já é cheia de medos e insegurança né? Melhor aproveitar a infância…
    Beijos,
    Dani http://www.maedaloly.blogspot.com.br

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *