Duas sexta-feiras atrás um grupo de ativistas conseguiu libertar 200 animais do Laboratório Royal em São Roque, na região de Sorocaba em São Paulo. O Brasil amanheceu cobertor por esta névoa de revolta e dúvida: até onde deve ir a ciência em prol dos benefícios do homem?
Eu não sou ignorante, enxergo direitinho que não existe ciência, principalmente no que diz respeito a medicamentos, sem testes em animais. É simples, você jamais curará a Aids, o câncer, jamais tratará epilepsia, entre tantas outras doenças, se não testar primeiro em animais, minimizando assim os efeitos colaterais que ocorrem nas primeiras fases de testes. Gente, isso qualquer um entende e aceita. Mas deveria parar por aí também.
Por quê me indigno com os testes como um todo?
Pois estamos falando de testes de produtos de beleza, cosméticos, produtos de limpeza… daí faça-me o favor né?
Revolta no último nível.

Existem sim métodos alternativos para testar estes produtos sem ter que colocar em perigo a vida de animais indefesos:

  • Técnica pioneira criada pelo laboratório CeeTox onde usa-se células humanas in vitro
O laboratório explica que testes com medicamentos, cosméticos e inclusive testes de drogas podem ser feitos in vitro. Testes in vitro impedem que animais tenham que ingerir substancias nocivas em seus intestinos e pulmões, assim como olhos ou sua pele (como se viu inúmeros cachorrinhos do Instituto Royal com seus pêlos raspados)

  • Teste 3-D in vitro criado pelo laboratório Biotecnológico Hµrel, onde cria-se um fígado in vitro para testes de  medicamentos, drogas e cosméticos.
  •  Já a empresa VaxDesigns criou a tecnologia “Modular Immune” onde usa-se células do homem para criar um mini sistema imunológico para testar medicamentos usados para HIV-AIDS. Antes testados em macacos, hoje vacinas podem ser testadas através deste método, salvando assim a vida de animais que tinham que sofrer com problemas de peso, falência de órgãos, e problemas respiratórios e neurológicos de maneira que fossem próprios para serem cobaias simulando os sintomas da doença.
  •  Anticorpos  que antes eram injetados em ratos para testar células de câncer, hoje são estudados através de DNA criado em laboratório através de células humanas.
  • Novas tecnologicas como exames de imagem como PET SCans, MRIS,EEG, CT, entre outros, estão proporcionando avançadas técnicas que permitem que o cérebro humano seja estudado até o “mini” tamanho de um neuron. Antes usava-se cérebro vivo para certos testes, hoje há a possibilidade de usar tecnologias não invasivas para muitas doenças.

 A lista de novas tecnologias é imensa e você pode ler em detalhes no site do PETA, de onde peguei estes exemplos.

Portanto ouvir chefes de laboratórios irem a televisão dar entrevista, justificando testes em animais porque são a ÚNICA maneira de se testar com segurança, é uma afronta a minha inteligência. Acredito sim que certas doenças, certos testes, só podem ser testados em seres vivos, óbvio né gente? Mas não todos, vão me desculpar.


É neste sentido que causa revolta ao descobrirem mais de 200 animais sendo tratados de forma indecente no Instituto Royal. A representante da empresa foi ligeirinho a televisão dizer que os animais são muitissimos bem tratados, com alimentacao de qualidade, 9 veterinários, em local limpo (NOT) e tinham até recreação (faça-me rir). Quando usados para testes em seres vivos, estes bichinhos devem sim ter sua dignidade respeitada, não merecem viver no meio de fezes (como se viu nos inúmeros vídeos), enclausurados não sei quantos em gaiolas! Quê isso gente?
Já havia denúncias há anos sobre este instituto e a polícia confirma que estava investigando mesmo antes dos protestos começarem, ou seja, se a polícia já estava envolvida, é por que as denúncias de maus tratos eram verdadeiras. Outro fato que não ” me desce” é o Instituto se recusar a liberar a lista de clientes que pagam por seus testes feitos em animais. Ué? Por que não? Existe sim a lei que permite o uso de animais em testes, se ninguém está fazendo nada ilegal, por quê não liberar a lista para sabermos que marcas estão utilizando animais mal tratados para seus testes? A culpa não é somente do Instituto, é também das marcas que pagam por seus serviços.
O uso de animais em pesquisas foi aprovado em uma lei de 2008, mas a lei exige respeito a dignidade do animal, não causando sofrimento. Se esta lei tão básica fosse ao menos respeitada, garanto que os protestos não teriam sido tão dramáticos.
Vídeos que mostram o resgate dos bichinhos.
Chorei litros, muito emocionante e revoltante.

Marcas famosas brasileiras que NÃO testam em animais:

  • Natura
  • Weleda
  • O Boticário
  • Mohogany
  • Leite de Rosas
  • L’Aqua Di Fiori
  • Impala
  • Granado
  • Mary Kay
A lista contém mais nomes, você pode se informar mais no site do PEA.
O que significa que, se a marca que você consome não está nesta lista, ela TESTA em animais sim.

Marcas internacionais que TESTAM em animais:

  • Johnson & Johnson 
  • Almay
  • Revlon
  • Loreal
  • Biotherm (pena, adoro esta marca, mas nao comprarei mais)
  • Aveeno (pena, também)
  •  Avon
  •  Estee Lauder
  • Clinique (decepção master agora)
  • Coppertone
  • Garnier
  • váriasssssssss outras

A maioria das marcas internacionais que NÃO testam em animais são aquelas orgânicas, que além de tudo, não tem os parabenos e todos aquelas outras substâncias tóxicas e cancerígenas para a saúde. Então se você quer usar produtos naturais, sem aditivos, e que sejam livre de crueldade em animais, pegue a onda dos orgânicos.
Moral da história:
Isso vale para tudo…..vamos mudar o pouquinho que nos cabe, que somos capaz. Não posso lutar contra o Instututo Royal e todas as marcas internacionais de peso que testam seus produtos em animais, mas posso mudar o que EU CONSUMO.
Isso vale na minha opinião, principalmente, para produtos que não são de saúde, mas sim de beleza, supérfluos.

  • Se eu posso apoiar esta causa deixando de consumir marcas que não estão nem aí para animais, por que eu o faria? 
  • Se eu posso consumir marcas que pagam caro por testes alternativos, que se importam com os animais, por que eu não as apoiaria?
  • Se eu posso ter ao menos a MINHA conciência limpa, por que eu não teria?
  • Se eu posso deixar de consumir as marcas internacionais CARISSIMAS, cheias de impostos, com preços indecentes, por que eu não o faria?
  • Se eu posso começar a consumir produtos que além de “crueldade free” ainda são orgânicos, livres de substâncias tóxicas e cancerígenas, por que eu não mudaria meus hábitos?
Não estamos falando apenas dos cachorrinhos Beagles, estamos falando de uma série de mudanças que queremos ver no mundo, mas que precisamos primeiro mudar em casa. Se você acha que um anti-rugas da Lâncome vale seus 200 reais, mesmo sem ter garantia de nada, mesmo com a empresa testando em animais, por que não começar a investir em uma marca brasileira como a Natura, tão consciente do seu papel no setor cosmético do nosso país? Além de você gastar muito menos do que os indecentes 200 reais num mini frasco de creme, você estará economizando e usando produtos naturais, muito mais saudáveis! 

Eu não falo da boca para fora, eu diria que 80% das marcas que eu uso são orgânicas. E os outros 20%, que acabei de descobrir que testam em animais, assim como a Clinique e afins, eu acharei alternativas para seu uso.
É mais fácil sim seguir esta linha no Canadá, já que as opções “cruelty free” e orgânica são maiores, mas o Brasil está no caminho certo e com a lista de marcas nas mãos, você pode fazer sim a sua parte, para a sua saúde, para a saúde da sua família, dos seus filhos, e também pelos animais indefesos, que não tem nada a ver com a sua preocupação anti-rugas!
Está na hora da nossa geração começar a abrir os olhos para o que acontece a nossa volta, deixarmos de ser permissimos e termos um pouco de trabalho ao menos procurando alternativas.  Nem todas as marcas boas são caras, quando você começar a procurar alternativas, você verá que ficará mais fácil achá-las.
Diga NÃO a cosméticos que testam em animais!
Faça a sua parte!
Quanto a certos medicamentos não há alternativa, mas podemos lutar para mudar o que pode ser mudado, e MUITO pode ser mudado!

9 Comments on Diga NÃO aos testes cruéis em animais

  1. Anonymous
    28/10/2013 at 7:21 pm (4 years ago)

    Rita, post longo mas que vale cada prágrafo! É isso aí, temos que pensar em nosso poder como consumidores que é tão grande ou até maior do que nosso poder como eleitores. Parabéns pelo post.

    Beijos

    Julia

    Reply
    • rita
      30/10/2013 at 5:39 pm (4 years ago)

      Verdade Julia, nos como consumidores temos mais poder que imaginamos. É de 1 em 1 que mudamos algo neste mundo.

      beijo

      Reply
  2. Anonymous
    29/10/2013 at 12:28 am (4 years ago)

    Adorei tudo que disse, parabens pela iniciativa, nao devemos cruzar os braços, nao devemos nos calar! Ja tem gente demais que finge nao enxergar, que ignora. Devemos fazer nossa parte e nao apoiar empresas que testam em animais! Parabens

    Reply
    • rita
      30/10/2013 at 5:39 pm (4 years ago)

      Obrigada.
      Eu quero ao menos estar a par do que acontece a minha volta e poder fazer a minha parte sempre que possivel. Neste caso não é difícil, apenas comprar produtos que não testem.

      Um beijo
      Rita

      Reply
  3. Danielle Maciel
    29/10/2013 at 2:51 pm (4 years ago)

    Perfeito.. Concordo com tudo o que disse!

    Reply
    • rita
      30/10/2013 at 5:38 pm (4 years ago)

      Obrigada Dani.
      Beijinhos

      Reply
  4. Andressa
    30/10/2013 at 1:59 pm (4 years ago)

    Olá Rita essa é uma discussão complicada né?! Eu, por um lado não acho ético que eles sirvam de cobaia pra ciência, por outro lado não vejo alternativas atuais para testar os produtos e medicamentos que usamos sem antes passar por animais. Agora o que me intriga é ver pessoas mega indignadas com o uso de animais pro avanço da medicina, dos medicamentos, da nossa qualidade de vida e longevidade etc e fecham os olhos pros absurdos que acontecem com os animais antes que eles cheguem no nosso prato só pro prazer de comer um bifinho.

    Gostaria de deixar um link de um blog de ciência http://temciencianoteucha.wordpress.com/2013/10/23/por-que-ainda-usamos-animais-em-pesquisas/
    No texto da Viviane você pode ver que todos os produtos que são regulamentados por alguma agência reguladora (um ex é a ANVISA) passaram por testes em animais sim, essas agências só aprovam os produtos cujo componentes passaram no teste de toxidade. Então é muito provável que essas empresas citadas pelo PEA terceirizam estes testes ou utilizam substâncias que já foram testadas anteriormente.
    Eu só espero, sinceramente, que a ciência avance de modo que não precisemos mais utilizá-los. Por isso eu acho muito válida essa pressão, esses manifestos.

    Abraços!
    Andressa

    http://www.entrefotosebeijos.blogspot.com.br

    Reply
    • rita
      30/10/2013 at 5:30 pm (4 years ago)

      Andressa

      AMEIII tua mensagem.

      Eu concordo contigo, é muito complicado, pois se queres proteger tanto os animais, entao terias que ser vegetariano TOTAL, se partirmos desta ideia.

      Eu concordo contigo quanto aos testes, so me incomoda um pouco o uso nos cosmeticos, pois ha alternativas para isso, ha uma serie de produtos organicos hoje em dia, que ao menos a embalagem diz que eh sem crueldade, entao entre estes e os que sabemos que se testa, prefiro os primeiros.

      Ja quanto aos remedios eh mais complicado sim, ate a ciencia chegar ao ponto de nao precisar testar em um ser vivo, so testando mesmo. Nao sou radical quanto a este assunto, concordo contigo 100%

      Vou ler com calma o link que me deixastes.

      Muito obrigada!

      beijocas
      Rita

      Reply
    • Andressa
      31/10/2013 at 3:26 pm (4 years ago)

      Verdade Rita! Quanto mais a gente tentar diminuir o consumo é melhor, me tornei vegetariana por isso. Mas tenho a consciência que, infelizmente, alguns animais ainda precisam ser sacrificados pela qualidade de vida dos humanos, acredito que o importante é fazer mesmo que seja pouco.

      Bjus
      Andressa

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *