Pinterest

Recebi um email super legal de uma amiga do blog, e resolvi escrever novamente sobre este dilema que muitas mães passam.

Trabalhar fora ou ficar em casa cuidando das crianças?
O que fazer?

Vou contar brevemente o que aconteceu aqui em casa:
Em função da Bella ter nascido pequenininha, nós decidimos de comum acordo que eu ficaria em casa mais um ano, ou seja, além do 1 ano de licença maternidade que o Canadá dá, eu ficaria em casa mais um ano, para que Bella pudesse crescer mais forte, sem ter que enfrentar o frio canadense tendo que sair para a rua todo dia de manhã com – 20 graus na rua e pegando os germes dos coleguinhas da escola, por exemplo. Na época morávamos em Calgary, uma cidade com um custo de vida muitoooo menor do que o de Vancouver. Então deu para o meu marido arcar com todas as despesas da casa + as despesas da Bella, pois eu tinha minhas economias e pagava as minhas coisas com ela.
Eu não gosto de depender do dinheiro do marido. É uma coisa minha, não gosto mesmo e em 10 anos morando juntos, 9 de casados, Bryan nunca pagou as minhas despesas, eu sempre trabalhei e paguei tudo o que eu precisei ou quis, e mesmo quando tirei 1 ano extra de licença maternidade segui pagando. Não sei, eu acho chato depender de marido, ter que dar satisfação do que se vai comprar, pedir permissão, dar explicação, discutir por causa de dinheiro. Acho que grande parte das brigas de casais se devem por causa disso. Mas isso é uma coisa minha, o meu marido nunca disse que não compraria coisas para mim e muitas vezes ele compra, é claro, eu apenas não gosto, não gosto de ficar dando chá de explicação de porque eu preciso de um perfume ou de uma calça jeans nova, ou de porquê quero gastar 50 dólares para comprar os ingredientes para fazer um fondue! Nós temos contas bancárias separadas e todo mês dou a minha parte para pagar as contas, é assim que funciona aqui em casa.

Antes que briguem comigo: nao condeno quem casa e abre conta bancaria conjunta, apenas conto como funciona aqui em casa e os motivos pelos quais penso do jeito que penso. Odeio brigar com meu marido, e sabemos que grande parte das brigas entre casais se deve por causa disso, portanto tento evitar ao maximo.

Pois bem, então voltando, se Bella não tivesse nascido prematura, eu teria voltado a trabalhar depois de 1 ano de licença maternidade? 
Sim.
Se eu engravidar de novo, eu tirarei licença maternidade?
Não.
Snif, snif.
Agora tendo o meu próprio negócio, não terei condições de tirar licença, a escola precisa de mim, portanto se engravidar novamente eu provavelmente ficarei em casa 1 mês apenas (sou das antigas, acho que bebezinho recém nascido tem que ficar em casa assim que nasce, nada de zanzar por aí) e depois eu e o baby vamos trabalhar de casa, ir para a escola por algumas horas, cobrir as profes de férias, enfim, vida normal, o oba-oba e a mordomia do 1 ano que o Canadá não acontecerão comigo de novo.

Lagriminha rolando.

Pinterest

Mas vamos as questoes que mais fazem as maes sofrerem para tomar esta dificil decisao de voltar a trabalhar depois do nascimento do bebe:

  • Quando uma criança se beneficia indo para a escola?
Uma criança pequenininha de meses, de 1 aninho e pouco, não precisa ir para a escola do ponto de vista educativo. Ficar em casa ganhando amor de sobra da mamãe é muito melhor. Brincando no silêncio de casa, tirando as sonecas que deseja tirar, fazendo as refeições com calma, curtindo um passeio descompromissado, é uma delícia, melhor que a escola em termos de desenvolvimento cognitivo, emocional, social e motor.
Já uma criança de 2 aninhos, na minha opinião, precisa de maior contato com crianças da sua idade, e isso geralmente não acontece quando passa os dias inteiros com a mãe (ou outro familiar em casa). Temos que combinar, em casa nós não damos atemção 100% especial aos filhos, nós fazemos comida, lavamos roupa, vamos ao banco, fazemos faxina e cadê a atenção ao filho? Ele ou brincará sozinho por grande parte do dia ou ficará na frente da televisão.

Fato.

A partir dos 2 aninhos a criança PRECISA de contato com outras crianças da sua idade, para que ela aprenda observando, imitando, se sentindo parte de um grupo de pessoas da idade dela. Mãe, pai, avós, irmãos mais velhos não suprem a necessidade do chamado “peer”, em inglês, que seria o “par”, o “igual”, alguém do seu tamanho e com habilidades similares a sua. Criança tem que brincar com criança.

  • A sua família tem condições de arcar com um salário a menos?
Que tipo de sacrifícios você e seu marido terão que fazer para arcar com este luxo? Digo luxo, pois todas nós mães gostaríamos de ficar em casa nos primeiros anos cuidando da prole, mas na maioria dos casos simplesmente não dá, então ficar em casa é artigo de luxo.
Exemplo:
Vocês conseguirão pagar o aluguel ou financiamento da casa com folga?
Vocês conseguirão pagar o seguro saúde?
Vocês conseguirão fazer supermercado sem grande sacrificio?
Vocês conseguirão juntar uma graninha para economizar para a faculdade do filhote no futuro?
Vocês conseguirão ter um dinheiro extra, nem que pouquinho, para fazer ao menos 1 passeio por mês, por mais simples que seja?
Vocês terão condições de comprar o que o filho precisa?
Que tipo de sacrifícios vocês terão que fazer para arcar com um salário a menos?
Se o marido ganha suficientemente bem, daria para apertar o cinto e fazer economias, mas o que não pode acontecer é a família estar tão apertada que haverão brigas quase que diárias por causa de dinheiro. Daí a idéia de proporcionar amor extra ao filho com a mãe em casa, irá por água abaixo, visto que o casal estará brigando com mais frequência.
Não estou falando de voltar a trabalhar só para ter luxos como viajar, ter diarista, ir a manicure, não! Mas há casais que precisam de dois salários para pagar as contas BÁSICAS da casa, como aqui em casa por exemplo, não há condições de eu não trabalhar, o meu marido não teria condições de arcar com o custo de vida altíssimo de Vancouver sem a minha contribuição.

  • E trabalhar meio turno? Poderia passar 1 turno em casa com o filhote!
É uma opção que talvez seja mais viável. Aqui no Canadá não existe muito trabalhar meio turno, o meio turno aqui é trabalhar X dias por semana, então digamos, você trabalharia 3 dias da semana, colocaria seu filhote na escolinha nestes dias, e teria 2 dias de folga com ele em casa. No Brasil existe mais opções de trabalhar por turno, seria uma boa opção para quem quer passar mais tempo com as crianças.

  •  Você gosta do seu trabalho? Da sua profissão? O que acontecerá quando as crianças crescerem, o que você fará?
Este é outro ponto importante. Eu não tenho absolutamente nada contra mães que optam por ficar em casa, aquelas mães que curtem cuidar da família e da casa, que nasceram para cuidar da sua turma, que gostam de cuidar de cada aspecto da vida do marido e dos filhos. Eu não gosto de julgar, pois só por que eu gosto de algo não significa que todos tem que pensar igual, então cada um sabe o que lhe faz feliz.
Se você se sente produtiva trabalhando fora, o faça!
Se você se sente produtiva cuidando da sua família com todo o amor e atenção em tempo integral, o faça!
Vai da vocação de casa um, e somente você saberá fazer esta escolha. Não é uma escolha fácil, ainda mais quando os filhos são pequenininhos, ficamos tão balançadas em deixá-los nas mãos de outras pessoas, então esta escolha tem que vir do coração, da alma mesmo, para que você se sinta forte e segura com a atitude que tomar.

Resumo da história:

  • Se você puder, fique em casa com seu filho até 1 aninho de idade ao menos
  • Se você não puder, escolha a melhor escolinha para ele e tenha certeza de que confia nos seus professores. A melhor escolhinha nao significa a mais cara, mas sim aquela que deixara voce segura de que seu filho esta em boas maos.
  • Se você puder, bote seu filhote na escolinha com 2 aninhos, para que ele possa interagir com outras crianças.
  • Se você quiser passar mais tempo com ele, veja se pode trabalhar meio turno.
  • Se você puder, se for a sua vocação, não deixe seus sonhos para trás, pois as crianças crescerão, irão para a escola em turno integral e você sentirá que parou no tempo, que não fez nada para si.
Não existe resposta certa para a pergunta “Devo trabahar ou não?”, apenas a resposta que melhor se adequará para a sua família.
E lembre-se….se você tiver que colocar seu filhote na escolinha, lembre-se que só VOCÊ se culpará por isso, pois ele estará numa boa, curtindo sua rotina com seus amiguinhos e suas profes, cheio de brincadeiras e atividades legais. Nós mães nos culpamos por tudo, principalmente por ter que terceirizar o cuidado com nossos filhos, mas não nos damos conta de que eles adoram ter sua vidinha regrada na escolinha, cheia de amigos e pessoinhas da idade deles.
Hoje sou mãe e sou empresária desta área, e vejo a cara de tristeza de algumas mães na hora de dar o beijo de despedida, daí noto a felicidade das crianças durante o dia, o tanto de risada que elas dão, o tanto de descoberta que elas fazem, que eu muitas vezes fotografo os filhotes e mando fotos para o celular destas maes, para que elas entendam que o seu maior tesouro está super feliz na escola, que não há razão para elas se preocuparem.

5 Comments on Trabalhar fora ou ficar em casa com as criancas?

  1. Carol Pascual
    03/09/2013 at 10:32 am (4 years ago)

    Concordo com vc que nao tem certo ou errado, e nao temos q julgar as decisoes alheias. Cada familia eh diferente e nao a regras. Eu mesmo sem trabalhar coloquei minha filha na escolinha por algumas horas e foi bom para nos duas, pois ela csempre curtiu estar com outras criancas

    Reply
  2. rita
    03/09/2013 at 8:57 pm (4 years ago)

    Verdade Carol,

    EWScolinha e brincadeiras com outras criancas sao sempre legais mesmo para criancas que ficam com a mae em casa.

    Beijo
    Rita

    Reply
  3. Mamãe Nádia
    04/09/2013 at 12:47 am (4 years ago)

    Que demais, concordo em gênero, número e grau com a sua opinião.
    PS: Quem bom seria se todas as diretoras de escolinha enviassem fotos dos nossos filhotes pro celular! Seria tão bom! Você poderia até acrescentar isso como um "a mais"que a sua escola oferece! Kkk
    Beijos!

    http://www.asosmamaenadia.com

    Reply
  4. Casa da Rê etc e tal...
    05/09/2013 at 2:27 pm (4 years ago)

    Engraçado quando li seu post no pedaço que vc fala que dá o sua parte do dinheiro para pagar as contas. Aqui em casa tb é assim. Compro as minhas coisas, minhas roupas, bolsas, sapatos srsrsrs essas coisas que nós mulheres temos direito de nos presentear, mas também divido as contas. Temos nossas contas separadas e temos uma conta conjunta (que ele nem sabe a senha kkkkk) por questões do financiamento do nosso apê. Acho que deve ser por aí mesmo. Acho tão estranho depender do dinheiro do marido e pior, achar que o homem tem que pagar tudo.
    Uma vez falei perto de umas colegas do trabalho que a gente dividia as contas, nossa…. elas só faltaram me bater! Enfim… cada um leva a vida do jeito que acha que deve, né
    bjs

    Reply
  5. Renato
    11/10/2013 at 3:21 pm (4 years ago)

    Achei seu blog muito interessante!

    Eu possuo um blog que trabalha mais ou menos no mesmo nicho de mercado que o seu.

    Eu gostaria de lhe fazer uma EXCELENTE PROPOSTA.

    Que tal fazermos uma parceria de troca de links COM OU SEM O TEXTO ÂNCORA desejado?

    Caso você concorde , irei criar um link do follow para uma das postagens de seu blog.

    Se estiver interessado , é só entrar em contato comigo

    pelo meu e-mail: tato3757@ig.com.br

    Não se esqueça de enviar o post no qual você deseja que seja linkado.

    Sucessos!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *