Tinha prometido a mim mesma que não escreveria no blog sobre o que está acontecendo no Brasil, acho que depois de 10 anos morando fora, vendo as atrocidades que acontecem no meu país, ando desiludida. Dizem que quem está de fora vê melhor, né? Ou ao menos vê sem sangue quente nas veias.
Bom, mas recebi o convite para participar desta blogagem coletiva e mudei de idéia, escreverei um pouco sobre o que acho sobre o que anda acontecendo no Brasil.
Acho lindo o que estamos vendo nas ruas esta semana, faz bem para a nossa auto estima saber que não somos tão cegos assim a toda a corrupção e falta de respeito que nós brasileiros sofremos dentro do nosso país. 
 
Que a geração “me me me” acorde de verdade e perceba que seu futuro está fadado as precárias condições de vida, se não levantar e fazer algum coisa.
Vê-se muito pouco funcionando no Brasil:

  • Educação pública não funciona (com raras exceções)

 

  • Saúde pública não funciona (com raras exceções)

  • Transporte público é caro (mais caro ainda quando nos damos conta de que ele não funciona)

Quantas vezes o ônibus chega atrasado?
Quantas vezes o ônibus chega….e passa na sua frente sem parar, quando nem estava cheio?
Quantas vezes idosos são deixados plantados na parada de ônibus?

  • Segurança não existe
Quando você tem amigos sendo assassinados ou sequestrados como eu já tive, você deixa de ser cega a impunidade que existe no seu país. O meu melhor amigo de adolescência, andávamos juntos o tempo todo, um menino maravilhoso, trabalhador, estava fazendo carreira no futebol na Europa, fazendo faculdade, volta para o Brasil para ser assassinado. Que covardia. Que violência.
Histórias de conhecidos que foram ao shopping, sofreram sequestro relâmpago a ponto de pedirem para a mãe ir ao shopping buscar dinheiro no caixa eletrônico e deixar o bebê recém nascido no CARRO COM OS LADRÕES. 

 Conto para o Bryan e ele acha que estou mentindo, inventando, exagerando, mas eu …..só eu…..tive um amigo assassinado, sequestrado, roubado. Não é a amiga da tia da fulana, sou EU. Antigamente ouvíamos falar destas atrocidades, hoje não, acontece com você, dentro do seu círculo de amizades, da família.

  • Estuda-se para ganhar uma miséria
Faz-se faculdade para ganhar uma merreca, pois sem faculdade daí sim, sem condições. Que vontade que dá se dedicar a uma carreira? 
E por aí vai. 
Vocês sabem muito mais do que eu.
No meu círculo de amigos aqui fora eu sou uma das primeiras a dizer que eu AMO o Brasil, para mim não existe cultura igual a nossa. Tão rica, tão linda, com esta diversidade de sons, gostos e sotaques, a minha auto estima de brasileira é altíssima no quesito cultura, mas também fica por aí. Lógico que sei que todo e qualquer país tem problemas, o Canadá também tem os seus, todos os países tem os seus, mas neste momento de reflexão que o Brasil está vivendo, cabe atentar para certas coisas.
O que vejo aqui de fora, porém, é que a mudança não deve ser cobrada somente dos políticos, do Governo, a mudança deve vir de você primeiro. A cultura do malandro, de tirar vantagem, é o que dá carta branca aos políticos fazerem igual, com a pequena diferença que eles não estão passando apenas uma pessoa para trás, estão roubando dinheiro dos impostos de todos, aquele dinheiro suado que você paga e que deveria ir para hospitais, para escolas, para as estradas públicas.
Ser esperto não leva ninguém a lugar nenhum.
O Brasil só deixará para trás esta cultura da corrupção quando cada um mudar um pouquinho.
Lógico que nem todo brasileiro age assim, eu sei que é uma minoria, mas mesmo assim, já temos esta fama, aquele “jeitinho brasileiro” já nos persegue há décadas.
Eu não acho que culpar este ou aquele partido faz sentido, para mim….cof cof cof….político é tudo igual viu. O poder corrompe e deu. Não acredito que fulano seja honesto quando tiver acesso a fundos ilimitados ou o poder de fazer o que bem quiser. Mas o que deveria acontecer é o povo reclamar quando cada coisa errada acontecer. Os protestos com os 20 centavos estão sendo muito maiores, muito mais poderosos do que o assunto que tentam corrigir, o povo está de saco cheio. Mas se a cada barbaridade que acontecesse o povo fosse as ruas reclamar, garanto que as coisas seriam diferentes.
Não estou por dentro do que anda acontecendo na política, juro, sei assim bem por cima, mas só de saber que o Collor está no poder já basta para ver em que pé andamos.
Sei que todos estão super empolgados com os protestos, o Facebook está carregado de opiniões, fotos e vídeos sobre isso, mas quando as pessoas dizem que choraram de emoção ao ver as passeatas, eu não me solidarizo. Acho bonito, mas o choro me veio sim ao ver o depoimento desta médica plantonista indignada com as condições dos hospitais públicos. Isso sim me faz chorar, de revolta e de tristeza, não todo mundo marchando e colocando fotos no Instagram. Isso não me cai uma lágrima.
Sabemos bem que a onda de protestos vai baixar, daqui a pouco acontecerá outra novidade e o foco das mídias sociais já terá mudado, e daí? O que acontecerá depois?
Para o Brasil mudar, cada um de nós terá que fazer a sua parte, enquanto o povo não se conscientizar de que tem direitos, mas que eles estão intimamente ligados as suas ações, não tem marcha de 200 mil pessoas que vá concertar o que quer que seja. Impechment é ótimo, ajudaria sem dúvida, mas o Collor teve impechment e tudo está igual…..pois o povo não mudou e enquanto ele não mudar, enquanto ele não aprender a reclamar quando for hora de reclamar, o Brasil não irá para frente.
Gostaria de poder apresentar para a Bella um Brasil não só bonito, mas um Brasil que respeite os seus cidadãos.
Quem sabe um dia?

4 Comments on O Brasil acordou: protesto materno

  1. Anonymous
    21/06/2013 at 10:40 am (4 years ago)

    OI Rita –

    Tirando algumas divergências (normais) de opinião com relação ao que você escreveu, vou focar no que considero o mais importante: a sua sensatez na análise do fenômeno. O pessoal acha que isso é a oitava maravilha do universo e acha lindo postar no Face e no Instagram o seu "momento revolucionário", eu fico com aquele mal-estar de achar que há algo de estranho no ar. Acho que a revolução se faz no dia-a-dia mais do que em marchas, não acho este movimento comparável ao impeachment do Collor muito menos o movimento do Diretas Já. Não acho necessário que o protesto tenha uma bandeira, mas fico pensando que cada um ter que ter sim a sua bandeira (isto é, um motivo para estar lá) e não tenho visto isso, Espero estar pessimista, espero estar errada. Queremos um Brasil melhor? Óbvio. Mas temos que ser melhores também e marchar por aí é apenas o começo. Beijinhos. Julia

    Reply
  2. Menina Prendada
    21/06/2013 at 10:54 pm (4 years ago)

    Nossa, maravilhosas suas palavras e concordo quando fala sobre o impeachment do Collor, do que adiantou se existem ainda pessoas que tem esquece rápido das coisas e elegeram novamente ele. Também amo minha terra, toda essa cultura, esse clima… mas aqui é realmente um país imoral…Um xeru

    Menina Prendada
    http://pedacinhobysandra.blogspot.com.br/

    Reply
  3. Jô Turquezza
    22/06/2013 at 4:30 am (4 years ago)

    Super verdadeiro o que você escreveu. E está inteirada sim dos nossos problemas. Tenho filho, neta morando fora do País e fico triste, muito triste. Poderiam estar aqui se o País desse valor aos filhos. Mas a violência, em todos os sentidos, é muito grande! Esperamos que um dia tudo melhore. Sei que não vou ver isso acontecer, pois já passei dos 50 anos e as coisas não serão tão rápidas assim …………..

    Mas para alegrar um pouco, gostaria que você participasse da minha Blogagem Coletiva e convidar seus amigos que moram fora do Brasil também. Agradeço de coração.
    Beijos.

    http://turquezzavariedade.blogspot.com.br/2013/06/paises-volta-ao-mundo.html

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *