Quando meu irmão me avisou onde seria o casamento, logo comprei o pacote em uma agência de turismo. Aqui no Canadá a nova geração (diga-se “geração internet”) não usa mais agência de viagens, compramos tudo pela internet diretamente dos sites de companhias aéreas e hotéis, portanto comprar um pacote completo em uma agência foi uma experiência nova para mim…amei! Tão fácil, vai lá paga, já tem tudo em mãos até o translado do aeroporto para o hotel.

  • A companhia aérea
O único ponto negativo foi que a agência nos sugeriu comprar o pacote saindo de Seattle, nos EUA, visto que qualquer passagem saindod e lá seria mais barata que saindo de Vancouver, no Canadá. Na hora nem nos damos conta, mas foi inconveniente, pois tivemos que sair de casa cedo do dia, viajar 3 horas até Seattle e depois nos damos conta que:
A – Viajar pelos Estados Unidos não tem qualquer facilidade ou mimo para o cliente: Paga-se $ 25 dólares para despachar UMA mala (nem uma eles dão mais)
B – Nem o carrinho no aeroporto é de graça, custa $ 5 dólares….em MOEDA, se você não tem moeda ficará zanzando pelo aeroporto procurando um lugar para tirá-la.
C – Nenhuma refeição é dada de graça, se quiseres pagará 10 dólares por um sanduba sem graça, por isso fizemos nossas refeições antes de embarcar.
Ponto positivo:
Viajamos pela US Airways pela primeira vez e embora os vôos domésticos não tenham filme e afins, o avião desta companhia é MUITO, muito, muito espaçoso. Eu diria sem pensar duas vezes que a distância entre os assentos na US Airways é a mesma da classe business de outras companhias aéreas. Os lugares super espaçosos, muito confortáveis mesmo. Ponto para eles, talvez a economia que fazem com as bagagens e refeições pague pelo espaço a mais. Neste quesito amei a companhia aérea. Afora que os pilotos tem uma voz super sexy (HAHAHA) e a cada turbulência, mesmo que meio boba, falam com os passageiros, o que ao menos para mim dá uma sensação de confiança e tranquilidade. Não lembro de outras companhias grandes como Air Canadá e Continental fazerem isso a cada turbulência, somentes nas maiores e mais longas.

  • O Hotel: Sonesta Maho Beach Resort

Ficamos no hotel na praia de Maho, a famosa praia onde os aviões aterrizam no aeroporto Princess Juliana. Pára tudo, o aeroporto era em homenagem a noiva top….Juliana. Adoramos o hotel, super confortável, os quartos bem bonitos, as camas super mega hiper gostosas e o serviço super bom na minha opinião. Todos os funcionários muito solícitos e simpáticos. Até fizemos uma amiga, gerente do restaurante, no final desta semana de posts comentarei sobre uma coisa que ela falou. Enfim, o resort tinha 2 piscinas, 3 restaurantes, um bar na piscina, uma área linda de lazer na beira do mar e o gazebo onde foi o casamento dos noivos top.

A praia de Maho é mais famosa pelos aviões mesmo, pois ela é bem pequena, mas o azul do seu mar era inacreditável, um turquesa que nunca vi igual e a areia da praia era muito fofa e gostosa de pisar, também nunca vi areia mais fofinha até hoje. No início quando meu irmão falou que o casamento seria neste hotel fiquei meio preocupada, achando que sei lá, que perigo seria ficar se bronzeando na faixa de areia onde os aviões voam a meros DEZ METROS de altura da areia. Também achei que seria um saco ter aquele barulho de avião….enfim. Bom, eu estava redondamente enganada! Vou confessar aqui que a melhor parte de estar no hotel era constantemente olhar para o céu e vibrar quando um avião se aproximava. É muito divertido, gente, o máximo. O nosso hotel tinha a melhor vista das aterrizagens e os aviões grandes não ficam pousando o dia inteiro, então quando eles chegavam era um acontecimento. Amei a emoção de ver um avião tão de pertinho em cima de um marzão tão lindo.

  • O Hotel-Resort: All Inclusive (todas as refeições incluídas no pacote)

A minha vida se divide entre antes e depois de All Inclusive. Gente, eu preciso de um sistema assim em casa, ou será que este sistema se chama diarista que cozinha? Pode ser né?
Bom, fiquei encantada! Vou contar mais a título para quem como eu, não viaja muito e não conhecia ainda hotéis assim. A maioria dos hotéis dá o café da manhã, que no exterior, principalmente na América do Norte, não é ótimo como os nossos no Brasil. Café da manhã nos EUA e Canadá é chamada de “Continental”: Café e um donut ou croassant, só. Mas nos Resorts do Caribe o café é brunch, com todas as delícias que estamos acostumadas no Brasil mais as comidinhas típicas de brunch como ovos mexidos, omelete, bacon, batata e por aí vai. É uma alimentacação completa para você só se preocupar com a fome lá perto da hora do almoço.
Mas então, o sistema All Inclusive também cobre almoço, jantar, lanches, sorvetes, sobremesas e todas as bebidas que você quiser tomar durante o dia ou a noite, incluindo as alcoólicas. O nosso hotel oferecia 3 restaurantes, um para lanches que fica aberto o dia todo, outro que servia buffet (para o café da manhã, almoço e jantar) e ouro mais refinado para jantarzinhos especiais.

  • Crianças e o sistema All Inclusive
Que tranquilidade fazer todas as refeições no hotel! Eu sou mãe preguiçosa que quando sai de férias não quer ficar se incomodando em que restaurante ir com criança pequena:  “Este não tem opção para criança, este é temperado demais, este só tem fast food, este só tem fritura” e por aí vai, nada disso! E com o sistema All Inclusive nós sempre íamos aos restaurantes do hotel fazer as refeições com a Bella.
CLARO que viajar e comer em restaurantes locais é muito mais gostoso para um adulto, provar a culinária local não tem comparação com comida de hotel mas com criança as coisas mudam e a facilidade de fazer as refeições em um restaurante que tem comida saudável e bastante variedade não tem preço.
Os pratos eram diferentes todos os dias mas sempre tinha todos os tipos de carne (vermelha, peixe, frango, porco), massa, arroz, batata de todos os jeitos, bastante salada, frutas, uma delicia. Bella não gosta de comer muito no café da manhã mas no almoço e jantar ela comia direitinho e sabíamos que o restaurante do hotel teria todas as comidinhas gostosas que ela gosta.
Afora que tínhamos suquinhos e sorvetes disponíveis a toda hora, querem coisa mais boa do que essa para uma criança?

A título de curiosidade: um pacote com este sistema de todas as refeições e bebidas (incluside drinks) nos custou U$ 1.000 a mais no nosso pacote-família. Criança paga um valorzinho bobo como U$ 40 dólares, eles não calculam o valor tudo incluso para criança, mais para os adultos. 

  • De carro na ilha


Embora tenhamos pago o hotel All Inclusive, nós não hesitamos em alugar um carro por uma semana para passear em uma praia diferente todos os dias. Nos deu liberdade de pegar o mapa e escolher onde iríamos e sendo eu a chata de galocha que sou, eu analisava bem aquele mapa, ia na internet e depois, de acordo com as críticas a cada praia, escolhia para onde iríamos. Modéstia a parte, quem andou comigo viu as praias mais bonitas da ilha, eu dei muita sorte nas que escolhi. Alguns dias passamos o dia todo fora e não almoçamos no hotel, comemos fora, mas de noite sempre jantávamos por lá para garantir comidinha boa para a Bella ao menos 1 vez por dia.

O aluguel do carro por 6 dias deu em torno de U$ 200. O carro vinha com GPS o que facilitou demais a vida dos motoristas da família.

  •  Internet
Só a título de curiosidade, eu fiz muitas atualizações no meu Instagram durante a viagem e tudo isso foi graças ao pagamento do Wi-Fi no hotel, U$ 50 por uma semana, e ao serviço de Wi-Fi em restaurantes na beira da praia. Não sei como eu viveria sem Wi-Fi com tantas fotos lindas para postar durante o dia.

Cliparts Google

2 Comments on St. Maarten: A viagem

  1. Paola
    17/06/2013 at 2:13 pm (4 years ago)

    Rita, pede pra sua cunhada dar umas dicas sobre como organizar um casamento "Destination". Imagino a loucura que deve ser…

    Beijos 😉

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *