Se o seu prematurinho nasceu muito cedo, entre 24 e 28 semanas, você talvez veja e sinta o mesmo que eu.
Uma das minhas maiores dificuldades hoje, depois de 3 anos do nascimento da Bella, é olhar para a minha filha e aceitar as cicatrizes que aqueles tempos difíceis deixaram. A maioria das pessoas nem percebe, mas eu conheço cada uma das dezenas de cicatrizes que a prematuridade marcou na pele da minha filha e isso me entristece muito.
Não posso nem pensar, muito menos falar em voz alta ou até mesmo escrever sem chorar, isso me magoa demais.
Fazia algum tempo que eu isso não me incomodava, até a Bella cair no banho e cortar o rosto. Meu mundo desabou novamente e eu perdi o controle de uma tal maneira que meu marido não entendeu de onde vinha tanto desespero por um corte tão pequeno. Se a situação tivesse sido diferente, se este tivesse sido seu primeiro machucado, eu talvez agiria de maneira diferente, mas tendo sido este mais um machucado feio na vida da minha filha, só me restou  a desolação mesmo. Bella se machucou há 3 ou 4 semanas atrás e desde então o meu coração anda apertado ao olhar aquela nova cicatriz.
Sim….mais uma.
Mais uma cicatriz no corpo do meu anjo.
E desta vez no rosto.
Ontem li esta mensagem no Facebook  e talvez por um segundo, tenha me sentido melhor. Ainda me sinto magoada e injustamente culpada, mas a mensagem em si é bonita.
 
A mágoa com as cicatrizes está diretamente ligada a minha culpa inconsciente de que eu tenha feito algo errado que tenha causado tudo isso, seja o seu nascimento prematuro ou a queda no banho. A culpa não é direta, não por eu ter feito algo mas por eu não ter feito nada, não ter conseguido evitar as cicatrizes que ela carregará para o resto da vida.
Muito triste isso.
Eu tenho 33 anos e absolutamente nenhuma cicatriz, minha filha tem 3 e carrega consigo no mínimo umas 30. Não é justo.
As cicatrizes são sim a prova de que você sofreu, mas de que você está aqui para contar uma história e espero sinceramente que a minha menina entenda que as marcas que ela carrega são marcas de uma vitória suada e de uma vida bem vivida.
E se quando ela crescer ela me disser que quer fazer uma tatuagem, eu vou deixar, pois esta sim será uma tatto que ela terá escolhido…..e não a vida.

12 Comments on Cicatrizes da vida

  1. simone e as meninas
    01/04/2013 at 11:35 pm (5 years ago)

    OI Rita! Imagino que vc fique triste com isso mesmo. Meus filhos não são prematuros, mas qquer coisinha a gente fica triste. Mas tenho certeza que Bella não se incomodará com isso assim não. Eu tenho(sem brincadeira) uns cem pontos espalhados pelo corpo. Fui muito "bagunceira" quando criança, e carrego comigo essas marcas. Fora das cesáreas…Boa semana.

    Reply
  2. Gustavo Corrêa
    02/04/2013 at 1:23 am (5 years ago)

    Ahh, não faz assim que o dindo fica "sentido". Beijo grande pra ti!

    Reply
  3. Aline
    02/04/2013 at 2:09 am (5 years ago)

    Impossível não se emocionar lendo esse post. Mas, com certeza, as cicatrizaes vão ser para a Bella sinônimo de vitória. E pode ter certeza, minha amiga, vocês estão proporcionando a ela uma infância tão feliz e são pais tão exemplares e dedicados que ela terá muito mais coisas com o que se orgulhar!
    Mil beijos!!!

    Reply
  4. alinepacheco
    02/04/2013 at 4:16 am (5 years ago)

    Rita, muito difícil ler seu post e não se emocionar, mesmo estando tão distante de você e não te conhecendo pessoalmente. Ainda não sou mãe, mas eu acho que entendo sua dor e essa sua vontade de querer sempre proteger a Bella… via muito isso na minha mãe e ela se culpando quando algo de ruim acontecia à mim ou ao meu irmão, mesmo que ela nem estivesse ligada diretamente (ou indiretamente àquilo). Acho que isso faz parte do pacote de ser mãe, né?!
    Tenha certeza que Bella é uma menina especial e vai entender isso quando crescer mais! Ela vai se orgulhar das cicatrizes que a vida fez…
    Beijos

    Reply
  5. Fran Emilio
    02/04/2013 at 5:18 am (5 years ago)

    Oi Rita, ja te conheço virtualmente a muito tempo, amo seu blog, entendo todo seu sentimento (injusto, assim como meu) de "culpa". Tive um bbzinho chamado Caio, fiz até o orçamento com voce para festinha dele (pequeno príncipe) meu menino após seu aniversario de 1 ano começou a ficar doentinho, pirou e ficou 100 dias na UTI, e veio a falecer, estou sem o meu filhote a 5 meses, não quero dizer que minha culpa ou dor seja maior que a sua, mas quero dizer que as cicatrizes da Bella com o crescimento, realizações, conquistas da sua linda , saudável e feliz Filha vão desaparecer, não serão nada para ela, simesmente porque nasceram com ela, agora a nossa cicatriz essa que so nos mães que tivemos rotinas hospitalares, consultas medicas com rotina, diagnósticos falados diretamente sem rodeios essa sim acredito que demore a desaparecer, minha filha outro dia teve uma pequena febre, (4anos- Júlia) mantive. Calma como sempre, mas minha queria a angustia, o medo, o pavor foi imensurável, na UTI aprendi que tudo pode acontecer com nossos filhos num piscar de olhos e nem sempre seremos as culpadas. E quanto a essa cicatriz da queda no banheiro, essa aí vc tem que olhar para ela e pensar, olha so minha prematurinha aprontando!!!! Beijos e viva as cicatrizes da Bella.

    Reply
  6. Larissa Banister
    02/04/2013 at 6:02 am (5 years ago)

    Ow Rita, não fica assim, primeiro nem uma coisa nem outra pode-se cogitar ser culpa sua. Vc sabe a mãe que vc é, acha justo julgar, mesmo que inconscientemente, de maneira negativa essa mãe? Não lhe conheço pessoalmente, mas tenho certeza que não. Não carregue isso nos ombros. Beijos =*

    Reply
  7. Sandra Nogueira
    02/04/2013 at 10:19 am (5 years ago)

    Querida Rita,
    acredito que as cicatrizes da Helena e da Bella, impressas nestes corpinhos tão pequenos (e menores ainda quando as fizeram) sejam nas nossas almas profundos cortes…não sei se vão sarar, mas custa entender onde estávamos nós neste momento que não conseguimos servir de escudo aos nossos bebês. Estávamos lá, de mãos atadas, permitindo que estas cicatrizes fossem feitas…acho que isso é que dói mais…mas há de passar, tem de passar…bjos

    Reply
  8. Ana Dutra
    02/04/2013 at 5:43 pm (5 years ago)

    Rita
    Te entendo perfeitamente, meu Lucas passou pela mesma cirurgia que a Bella, me dói muito e olha que ele fará 5 anos em julho. Sinto culpa, dor e tristeza muitas vezes, principalmente se ele adoece e mais ainda quando tem algo relacionado ao intestino, como uma virose, por exemplo. É difícil abafar estes sentimentos, às vezes ficamos mais frágeis mesmo. Acredito que vai diminuindo com o tempo e com tantas outras vitórias que eles vão alcançando. Bjs

    Reply
  9. Aline Neves
    02/04/2013 at 8:29 pm (5 years ago)

    Segurei o choro agora Rita!
    Deus abençoe nossas prematuras .
    Como eu já havia te falado a minha nasceu de 28 semanas e com 600 gramas.
    Hoje ela esta com pneumonia…estou muito triste e me sentindo culpada.
    Mas Deus nos da forças…Elas são guerreiras e já nasceram vencendo!
    Beijos Aline Neves

    Reply
  10. Luana
    03/04/2013 at 3:01 pm (5 years ago)

    Oi Rita. Eu te entendo perfeitamente e chorei litros agora. Meu filho tb nasceu de 25 semanas, ficou 138 dias na UTI (que coincidência né?!) e hj tem tantas pequenas cicatrizes, que nem penso em contar! A gente se sente muita culpada mesmo, mesmo sem culpa. Se pudéssemos, trocaria de lugar com eles sem pensar para que eles nunca sofressem; mas temos que pensar que não são cicatrizes, são troféus de difícil batalha e de uma verdadeira vitória. Que Deus continue abençoado sua família, desejo que meu lindinho aqui esteja "fazendo arte" como a Bella com 3 anos (mas não precisa cicatriz no rosto não! rsrs). Bjoos

    Reply
  11. Ana
    03/04/2013 at 10:34 pm (5 years ago)

    Rita, eu nasci prematura. Não tão cedo quanto a sua Bella, nasci com 34 semanas, mas parei de me desenvolver antes devido a um infarto de placenta. Nasci com 1kg, que viraram 900gr. Por sorte não passei por nenhuma grande cirurgia, mas minha avó me conta que dizia "coitadinha da minha netinha, parece um paliteiro, cheia de agulhinhas!" Naquela época a tecnologia não era a mesma, mesmo em cidade grande, eram pouquíssimas as UTIs neonatais (aqui tinha 2!), ambulâncias, então! Tive que ser removida assim que nasci e os médicos disseram para minha mãe se preparar porque minhas chances de sobreviver eram poucas.
    Hoje tenho 29 anos. Nem me lembro de ter tido nenhuma cicatriz da época de recém-nascida, as que tenho foram adquiridas ao longo da vida, nas quedas de patins, bicicleta, queimaduras de cozinha… sofri um pouco mais com as cicatrizes que não são visíveis, a falta de coordenação motora para jogar bola e andar de bicicleta, os probleminhas de saúde que aparecem até hoje e têm a origem lááá no meu desenvolvimento "incompleto"… mas nada grave e que não seja possível tratar e superar! Hoje, como disse, tenho 29 anos, alguns problemas crônicos de saúde controlados e que me trazem no máximo um desconforto de vez em quando (mas quem não tem?), não tenho o minimo talento com a bola, ando de bicicleta em zigue-zague, mas tenho muito jeito com os patins, o sapateado e a bateria! Tenho meu trabalho, minha formação acadêmica (defendo o mestrado na sexta!). Tenho também a Nina na barriga, com 29 semanas e uma gestação sem problema algum até agora, apesar da preocupação dos meus pais e do medo que eles têm de que o que aconteceu comigo aconteça com a minha menininha. Eles são como você e provavelmente tinham as mesmas preocupações, mas a vida se encarregou de mostrar que essas cicatrizes não influenciam em muita coisa a vida da gente… Beijos!

    Reply
  12. Lahna
    06/04/2013 at 3:11 am (5 years ago)

    Que lindo.
    Só imagino seus sentimentos.
    Quando um serzinho que acabou de chegar no mundo tem que lutar infinitamente pra sobreviver, isso deve deixar marcas muito profundas mesmo.
    Mas são marcas de alegria. Marcas de vitória!
    É impossível protegê-los de tudo, e é importante que não façamos isso. As cicatrizes sempre virão, e cada cicatriz é um novo aprendizado.
    Sabe Rita, não passamos por essas dificuldades, mas eu tenho ensinado minha filha sobre se permitir errar. Ela é muito perfeccionista e se sente muito mal quando erra. E eu tenho feito um esforço imenso pra ela entender que errar é necessário pra aprender a fazer direito.
    Assim também são algumas cicatrizes. São provas de que nos arriscamos, de que lutamos.
    Eu admiro muito vocês, pela sua força.
    Acho de verdade que a Bella vai ter muito orgulho das suas cicatrizes.
    Um beijo.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *