Em vista das inúmeras tragédias que andam acontecendo tanto no Brasil quanto no Canadá nestes últimos meses, me deu vontade de escrever de novo sobre este assunto.

Quem me conhece sabe: amo cachorros desde criança, sempre fui cachorreira e nunca tive medo de de cães. Eu tenho, porém, respeito pelo que eles são, animais que mesmo domesticados atualmente, ainda trazem em seu DNA aqueles instintos que não vemos como aceitáveis hoje em dia. Embora eu trate o meu bulldog como o bebezão da casa, eu sei que ele é um cachorro.

Quando Butters ainda era filhote eu li todos os livros do Cesar Milan, o Encantador de Cães, e isso me ajudou muito a lidar com ele depois que a Bella nasceu.

Bom, vamos as dicas, se é que posso chamá-las assim, pois na verdade são meramente senso comum:

Em order de importância, ao meu ver.

  • Não confie no seu filho.

A maioria das dicas vistas sobre cachorros e crianças são focadas em bebês, mas boa parte dos acidentes, muitas vezes fatais, envolvem crianças de seus 2-5 aninhos. Não são mais bebês, já caminham e já podem colocar suas vidas em risco se em contato direto com cachorros.

Não confie no seu filho! Nunca. Never. Ever.

Eu não confio na Bella. Sei que o temperamento apimentado dela pode colocá-la em perigo. Ela grita, ela dança, ela corre para lá e para cá e ela pode assustar ou atiçar o bulldog e causar uma reação inesperada.

  • Não confie no seu cachorro.

Eu A-M-O demais o meu cachorro, ele é tudo o que eu sempre sonhei em um cão. Gordo, dócil, bobão, não late (muito), está sempre numa boa. O sufiente para confiar nele? Nunca.

Bulldogs são uns dos cães mais bonachões que você verá na sua frente e são muito dóceis com sua família e inclusive com desconhecidos, mas eles vêm de um passado de luta (bulldog vêm daí, lutavam com touros) e embora os traços da raça tenham sido apagados nos últimos séculos, ele ainda é um cão forte e musculo. Bobo, mas poderoso em seu tamanho.

Deixo Butters e Bella sozinhos?
Nunca.
Nunca.
Nunca.
Nem por um segundo.

  • Só confie em você mesma.

Conheço meu cachorro e conheço minha filha e sei identificar as coisas que cada um faz que irrita o outro. Portanto sob o meu olhar de falcão, aquele olhar que não deixa passar nada, ninguém se machuca. Se ela grita demais eu mando parar, se ele está muito perto dela mando ele seguir seu rumo, identifico o possível confronto antes que ele aconteça. Meus ouvidos são aguçadíssimos para os sons e sinais que os dois podem fazer que podem ter como conseguência um acidente.

Não confio nele, não confio nela, só confio no meu olhar e nos meus ouvidos.

  • Criança com comida no chão não!

Criança tem que comer na mesa, e não desfilar pela casa com um pedaço de pão na mão. Não deixe seu filho pequeno, e vale para os 0 a 10 anos, comer no chão, ao alcance do seu cachorro.

Comida na mão é um ótimo motivo para um cachorro atacar.

  • Cachorro estranho não!

Ensine seu filho para nunca chegar perto do cachorro do vizinho. Se a criança for ensinada desde pequena, entenderá desde pequena que não pode. Não significa colocar medo, mas sim estabelecer uma regra a ser seguida.

O último caso de  ataque que li no Brasil foi de um menino atacado por um cachorro de grande porte que estava devidamente preso atrás de sua casa. A criança foi lá mexer com o cachorro e daí a tragédia aconteceu. Criança tem que ser ensinada que cachorro estranho não é brinquedo, não se chega perto. Se os pais não ensinarem, eles não vão aprender.

Outra dica importante: quando cruzar com um cachorro simpático na rua, passeando com seu dono na coleira, não incentive a criança a ir lá olhar, não diga “Òóóó veja o cachorrinho, quer fazer carinho?”. Não acho uma boa, muitas vezes os cachorros de pequeno porte são mais arredios que os grandes e uma mordida pode render muitos choros e incomodação.

  • Não olhe nos olhos de um cachorro.

 Ensimamento importantíssimo para todos. Não se olha um cachorro, principalmente estranho, nos olhos. Jamais. Este é um dos principais lembretes que guardas florestais fazem às pessoas que cruzam com um urso no Canadá. Animais selvagens ( e até os domesticados) entendem o olhar nos olhos como um desafio, então adultos e crianças, evitem este tipo de olhar, aquele em que se encara o animal de frente. Se eu encarar o Butters neste momento, ele vai rosnar e se eu seguir encarando ele rosnará e começará a latir.

Jamais olhe nos olhos de um cachorro de rua e nunca, nunca, nunca encare um cão de grande porte como Rotweillers, Pit Pulls e cruzas grandes.

 Aconselho os livros de Cesar Milan, ele ensina de uma maneira bem didática e ele nos ensina a ver cães como animais, não como bebês, o que é importante para que possamos tratá-los da maneira correta. Quero comprar seu último livro, pois sigo tendo que aprender muito para lidar com meu bulldog e suas manias, que estão se acentuando na medida que ele está ficando mais velho.

Cesar ensina em seus livros e programa de TV que até crianças podem ser líders aos olhos de um cão, contanto que saibam tratá-los como cães e que aprendam desde cedo a se fazer respeitar. Bella já manda no Butters e não gosta quando ele invade seu espaço, mas Butters é sem noção e AMA a Bella, quer ficar grudado nela o tempo todo, por isso eu sempre fico de olho, pois quando um não quer, podemos ter problema.

Conclusão:
Sempre de olho, sempre de olho!

8 Comments on Crianças e cachorros – o perigo

  1. Gustavo Corrêa
    27/02/2012 at 2:15 pm (6 years ago)

    Importantes dicas. De fato, algumas são senso comum, mas devem ser relembradas. Uma porém não me daria conta, mas realmente, não dá para deixar a criança comer no chão, é um perigo.

    Reply
  2. Débora
    27/02/2012 at 2:17 pm (6 years ago)

    Adorei o post!
    Estou grávida de 2 meses e tenho um pit bull de 11 meses. Já estou procurando aprender como lidar com a proximidade dos dois. Meu cachorro é dócil, mas é um cão. E crianças e cachorros a sós não é nem um pouco confiável, nenhum dos dois tem noção exata do q faz.
    Se quiser me visitar: http://www.debbydepaula.blogspot.com
    Um abraço!

    Reply
  3. Adriana Balreira
    27/02/2012 at 5:31 pm (6 years ago)

    Adorei as suas dicas. Não sabia desse que a gente não pode encarar um cão olhos nos olhos! Aprendi várias coisas aqui! Vc falando da Bella e do seu Bulldog lembrei da foto que vc postou deles dois vendo tv. Muito fofos!
    Beijos
    Adriana

    Reply
  4. mara oliveira
    27/02/2012 at 5:44 pm (6 years ago)

    amei a dica, o meu caçula tem 8 anos e meu labrador 1 ano e meio, apesar de ser labrador, ele é muito bravo, não com a gente, mas com estranhos , o que é estranho pois não é próprio da raça, e por isso mesmo não confio e não deixo meu filho e meu cão sozinhos, como você diz.. nunca, nunca, nunca….

    bjs e uma ótima semana

    Reply
  5. Helena
    27/02/2012 at 7:07 pm (6 years ago)

    Otimas dicas Rita!
    Aqui temos a Amora, uma schnauzer super brava que quase surtou quando o Rafael nasceu! Como diz a minha mae, a pobrezinha só descobriu que era cachorra depois que nosso bebê veio pra casa… Foi um erro nosso trata-la masi como uma criança do que uma cachorra e agora estamos tendo que lidar com isso… No começo foi super dificil, ela ficou muito enciumada mesmo, agora as coisas estao um pouco melhores e ela já arrisca ficar no mesmo ambiente que o Rafael, antes ela o evitava. Mas deixar os dois sozinhos, nunca, nunquinha! Vou procurar os livros que vc indicou.
    Bjs pra vc e Bella!
    Helena

    Reply
  6. Roberta Corrêa
    27/02/2012 at 9:40 pm (6 years ago)

    Eu sou uma super amante dos cachorros e não sabia dessa de não olhar nos olhos. Ótimas dicas Rita, adorei o post!
    Beijinhos pra ti, pra Bella e um mega especial para o Butters!

    Reply
  7. rita
    28/02/2012 at 3:26 am (6 years ago)

    Oi Gustavo!

    Sim, um dos únicos momentos que o Butters chega perto da Bella com cara suspeita é quando ela desfila com uma bolacha na frente dele. Ele vai bem pertinho da mão dela, cheira, sai, volta…

    Melhor evitar

    Beijinhos

    Reply
  8. rita
    28/02/2012 at 3:54 am (6 years ago)

    Oi Débora!

    Parabens pelo baby, 2 mesinhos de barriguinha, que legal!
    Bastante tempo para pesquisar e ler sobre bebes e cachorros.

    Beijos

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *