Uma das minhas tarefas noturnas, quando possível, é pesquisar material para as aulas da minha turminha. Existem muitos websites legais com material educativo para crianças pequenas e ao cruzar com um deles, li uma frase que me fez parar e pensar:

“Brinque com seu filho, é o melhor investimento que você pode fazer.”

Parou?
Pensou?
Se deu conta de como a porca torce o rabo?

O bom senso de cada uma de nós mães sabe que dar atenção a um filho é imprescindível,  mas dar atencao é relativo, pode ser apenas estar ali do lado para o que der e vier ou pode ser, também, colocar a mão na massa de verdade.

Brincar, para um adulto, cansa. Cansa muito.
A nossa cabeça não funciona como a de uma criança e o nosso grau de curiosidade, a esta altura do campeonato, é curto. Trabalha-se o dia todo, chega-se em casa cansado, com fome, com trabalho ainda a ser feito, enfim, a lista de reclamações e afazeres nunca chega ao fim, e muitas vezes a parte mais importante da rotina do nosso filho fica a cargo de terceiros: brincar.

Nós profissionais da educação somos pagos para brincar com os filhos dos outros, e o fazemos com o maior carinho e dedicação, mas entre brincar com a profe e brincar com os pais, nós sabemos muito bem quem nosso filho escolheria. Por incrível que pareça, os pais hoje em dia (não me excluo totalmente disso não) vêm brincando cada vez menos, e cada vez mais a “terrível babá” chamada televisão-youtube-videogame, vem tomando conta.

Ver televisão nao é educativo, por mais que seu filho assista desenhos que se dizem educativos. Sim, ele aprenderá uma coisinha ou duas, mas aquele monte de informação não será digerida por ele, será o famoso termo em inglês “vegging” na frente da TV, ou seja, vegetando na frente da TV.  Vejo pela minha própria filha, que é doida por desenho animado, quando ela vê um desenho ou filme, ela vira um zumbizinho. Não pisca, não conversa, não abre a boca para comer, não faz nada, fica simplesmente vegetando na frente do “desenho educativo”.

Eu não sou uma mãe perfeita, longe disso, tenho as mesmas falhas que qualquer outra mãe têm, inclusive, e principalmente, lidar com o cansaço. Muito mais fácil ligar o desenho educativo, não?
Bella não assiste televisão nas horas vagas, ela assiste televisao na PIOR hora possível, na hora de comer. Em algum momento eu errei ao pensar que ligar a Galinha Pintadinha na hora de fazer janta me ajudaria na complicada tarefa de domar a minha fera. Ela via a Galinha e eu fazia a janta. O fazer a janta acabava, e ela acabava jantando na frente da Galinha, e a partir daí a coisa foi por água abaixo.

Solução?

Arrancar a maldita televisão a qualquer custo. É difícil demais desacostumar a criança a fazer algo que está acostumada, mas há de ser feito em algum momento. E a solução que estamos colocando em prática é ensinar ela a brincar (não na hora de comer, nas outras horas em que ela demonstra interesse em ver desenho). Quando ela brinca, ela não vê televisão, a tv-ipad-laptop não entram no quarto dela para servir de pano de fundo para a brincadeira.

Agora que voltei a trabalhar, passo o dia longe dela  e estou analisando a fundo o meu papel como mãe, vejo que o melhor de mim que posso dar a Bella é o meu tempo. Não pendurada no celular, ou escrevendo infindáveis emails, mas realmente me deixar disponível para ela, nem que seja por apenas uma hora ou duas. Guardo os eletrônicos longe de mim e brinco. Brincamos de casinha, de lego, de quebra cabeça, de “Little People”, de desenhar e de ler livros. Tento ser só dela quando chego em casa do trabalho e nos finais de semana.

Bella com o daddy no parque coberto, 1 hora e meia de “daddy time” , só brincando

Dá para ver nos olhos das crianças quando seus pais são presentes de fato. Elas comentam as atividades que fazem no final de semana, contam das brincadeiras que fazem, dos momentos que passam juntos, quando outras crianças simplesmente se calam sobre isso, e infelizmente, por mais triste isso seja, acontece mais frequentemente do que eu gostaria de saber. As que se calam o fazem por que não sabem dizer o que brincaram no final de semana, pois na verdade….não brincaram.

A minha dica aqui é a seguinte: tirem um tempo a cada dia para investir na brincadeira: uma horinha à noite que seja, depois do trabalho. Nos finais de semana, se programe para fazer ao menos um passeio ou uma atividade que dê prazer ao seu filho. Nada de shopping, afinal, até ele ganhar seu primeiro cartão de crédito, ir ao shopping é martírio para qualquer criança, mas sim ir a um parquinho com os pais (ou o pai e a mãe em momentos separados), brincar dentro do condomínio do prédio de bola e afins, sair para correr em um parque, ou apenas tirar umas horinhas para brincar em casa. Sem televisão ligada, sem celular tocando, para que a criança saiba que naquele momento, ela é prioridade.

Bella e mamis passeando na fazendinha, ela adora correr atrás dos bichinhos

 Aqui em casa estamos tentando aderir a esta rotina. Quando chegamos do trabalho nós jantamos, depois brincamos com a Bella no quarto, depois banho e cama. Nos finais de semana vamos ao parque, a pracinha, ao playground coberto, a biclioteca, enfim, procuramos descobrir programas para crianças, para que ela faça ao menos uma atividade voltada a ela no sábado e no domingo.

Não acertamos o tempo todo e certamente não somos perfeitos, mas estamos tentando.

Portanto, como disse Albert Einstein, “Imaginação é mais importante do que conhecimento”. Não adianta nada você colocar seu filho na melhor escola, na aula de inglês e natação ou levá-lo para o karatê e ballet, o tempo destinado às brincadeiras e a imaginação vale mais do que qualquer investimento em educação tradicional.

Criança que brinca é criança saudável, criança que brinca com os pais é criança feliz.

1 Comment on O melhor investimento

  1. JM
    27/09/2011 at 2:37 pm (5 years ago)

    Assino embaixo.
    Aqui em casa ( como ainda estamos em tansicao devido a mudança- mesmo depois de 8 meses) não temos TV e isso contribuiu para que as horas aqui em casa e de brincar o dia todo. E Rita esta certa em tudo que disse, e uma das coisas e: brincar cansa. Deixa exausta. Mas brincar e o que faz o cérebro do seu filho fazer todas as "conexões" necessárias, desenvolver movimentos, reações,etc.
    Pais e mães que brincam com seus filhos fazem parte da Maia importante fase da vida deles. E de agora que eles estão se preparando para como serão pelo reti de suas vidas.
    Leio e leio quase tudo que posso sobre criação de filhos, estudos,etc e aplico para o que funciona aqui em casa. Não trabalho fora, então parte do meu dia e uma atividade fora ( agora no verão 1 hora de caminhada com minha filha, ou levar ela para nadar,( as vezes os dois), hora para leitura com ela ( sempre,desde que ela era bebe leio pra ela, e ela ama), brincar de esconder atras do sofá… Cantar… Coisas tão simples!
    Mas requer disponibiliade e tempo, com certeza.
    Uma coisa que li e vou levar comigo: do tenha certeza de uma coisa- se você estiver se divertindo com ele, seu filho saberá e se divertira também.
    Espero que todos consigam "desligar" tudo e se dedicar a seu filho por 1 hora que seja.
    Seremos pais e filhos mais felizes.
    Way to go Ritinhaaaaaa!!!!
    Pimeninha sem galinha pintadinha vai virar malagueta!!! Hahahhahhahaha
    Beijosss

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *