Fonte

Minha amiga Carol, do blog que eu adoro Mother Love Database, comentou sobre um assunto muito interessante esta semana e eu terei que copiá-la para poder comentar aqui no Botões também.

O texto “Sem Gritaria” é um “abre olhos” para todos nós que de uma forma ou outra convivemos com crianças. A educação infantil tomou novo rumo de algumas décadas para cá e o que antes era normal em termos de educação, hoje não é mais: bater na bunda não pode, ameaçar não pode, chatagear não pode e gritar também não pode. Será que a nova filosofia faz sentido?

Faz!
Para mim ao menos.

Eu parto do pressuposto que uma criança, seja de que idade for, deva ser tratada como nós adultos gostamos de ser tratados: com respeito, com compaixão, com explicação apropriada para sua idade, com tudo o que nós adultos julgamos direito hoje em dia. Vivemos na época do politicamente correto e temos que adaptar o correto para todas as idades.

Todos nós que convivemos com crianças sabemos que não temos a energia que eles têm, que não temos o nível de curiosidade que eles têm e que o que parece interessante para um adulto pode não ser para eles. Crianças gostam de correr, de explorar e de testar seus limites, portanto punição, chantagem e gritaria não deveria fazer parte de como criamos nossas crianças, afinal de contas, elas não estão fazendo nada de errado, apenas seguindo o padrão normal para sua idade.

Como curso Educação Infantil e já li a maioria das teorias possíveis e imagináveis em educação infantil, de Freud, Piaget , Montessori, citando somente algumas, vejo que o que faz sentido é o básico: respeitar a criança como gostaríamos de ser respeitados, afinal, por mais que elas sejam inexperientes e não se comuniquem direito, elas entendem quando alguém as desrespeita e as trata mal. Quem não se lembra de um episódio na infância quando um adulto ou um coleguinha o tratou mal? Guardamos na lembrança estes momentos muito mais do que lembramos de quem nos tratou bem.

Todos trabalhamos, somos ocupados e temos maus dias, eu não sou diferente de ninguém, mas adoro a dica do texto acima sobre contar até 10 antes de gritar com uma criança. Se afastar por 30 segundos faz com que repensemos no motivo da nossa brabeza e dá perspectiva quanto a como devemos agir.

Tento ao máximo não gritar com a Bella e a tratá-la sem grandes chantagens:  Não quer comer? Não coma! , você nunca me ouvirá gritando para que minha filha coma a comida. Contanto que eu saiba que ela está comendo o mínimo aceitável durante o dia, não farei chantagens quanto a isso, muito menos gritar. Ofereco mil e uma comidinhas gostosas durante o dia, ela comerá o que quiser e quanto quiser . Há os que discordem , mas é assim que vejo este problema. Não pensem, porém, que sou uma mãe manteiga derretida, sou das mais duronas! Na hora de discipliná-la falo com a voz baixa e grave para chamar sua atenção. Como a Carol diz, isso não significa que não grite os básicos: Não corra! Cuidado! Olha a mão na tomada!, mas para sermões disciplinadores, a voz grave e baixa funcionam muito melhor.

Minha filha não é perfeita em termos de obediência, está na fase de tentar (e conseguir) morder, arranhar, se jogar para trás e tudo mais que envolva os terríveis dois, mas é uma criança feliz, bem humorada, que não estranha ninguém, não apresenta grandes medos e geralmente topa qualquer coisa, não aparenta ser insegura e introspectiva. Se tem a ver com o método como a disciplino, não sei, mas acho que um pouco do bom comportamento dela têm a ver com a falta de gritaria.

Não custa tentar, né?

3 Comments on Sem gritaria, please!

  1. Gustavo Corrêa
    22/07/2011 at 1:33 pm (6 years ago)

    Concordo em gênero, número e grau.

    Reply
  2. Marcela Macedo
    22/07/2011 at 3:17 pm (6 years ago)

    Adorei o texto!
    Concordo contigo tb.
    Quando deixo escapar um grito, me sinto toda culpada depois, mas assim como a Carol, estou me controlando bastante, e esse texto me ajudou ainda mais.

    Bjus!

    Reply
  3. Carol P
    22/07/2011 at 3:26 pm (6 years ago)

    Ai q chique fui mencionada aqui rsrsrsrsr
    Pois eh nao grito nadinha de nada a mais de uma semana, estou q nem AA.
    Ando testando tons de voz e olhares, e funciona o problema e quando ela olha para mim e ri. Me diz o q eu faco hahaha juro q fico seria. Mas outro dia disse para ela fica ai juntando q eu ja volto e sai da sala e cai na gargala, voltei e continei seria ateh ela lipar a bobagem q tinah feito. Guria eu sou durona, mas a menininha aqui eh uma coisa de gostosa e sapeca.
    Bj Carol

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *