Fonte: Artista Janete Trindade

Acho engraçado como as “Bíblias” para gestantes ensinam absolutamente tudo sobre tudo, mas não entram em detalhes quanto ao banho. Que mãe de primeira viagem não se estressa com o banho?

A Bella tem um histórico “interessante” com banhos, pois ao contrário de um bebê normal, o seu primeiro banho aconteceu quando ela tinha 3 meses! E para completar ainda foi de esponjinha. Como ela passou meses a fio doentinha na UTI, o banho não pôde ser dado antes, devido a inúmeros cateteres que ela tinha o tempo todo. Quando ela completou 3 meses e finalmente saiu do estado crítico, começaram a dar banho de esponjinha e só depois da retirada do Broviac, o catéter central que ela teve colocado em cirurgia, ela pôde tomar o seu primeiro banho de mergulhar a bundinha na água, e isso com mais de 4 meses de vida!

Não pensem que ela era uma versão menina do Cascão não, ela era cheirosíssima, as enfermeiras passavam  creminhos e mil coisas, mas somente meses depois do seu nascimento começou o meu estress com o tal de banho.

A cidade onde moro tem um clima muito seco, sem falar no frio, então os méedicos e enfermeiras da Bella nos aconselhavam a seguir alguns passos diferentes do que estamos acostumados no Brasil. Nada muito fora do comum, mas algumas coisinhas diferentes para bebês novinhos, então lembrei de dividir com vocês, agora que o inverno chegou com tudo no Brasil:

  • Lavar a bundinha, mãozinhas e rostinhos todos os dias
  • Dar banho de verdade somente 2 vezes por semana
  • Lavar o cabelinho somente 1 ou 2 vezes por semana

Achei diferente do que lembrava do “sistema” no Brasil, onde o bebezinho toma banho todo dia, muitas vezes para relaxar antes de dormir. Os médicos aqui não aconselham banho todo dia, principalmemente no inverno, em função da perda da humidade natural da pele do bebê. Banho demais = pele seca.

  • Não usar loção hidratante cheirosinha estilo Johnson & Johnson, já que a fragância, uma substância química, pode irritar a pele sensível do recém nascido. Hidratante para bebês devem ser bem espessos, cremosos e sem cheiro. Ao contrário da Johnson que é bem aguadinha e cheirosa.
  • Não usar talco, que também pode irritar a pele do bebê.

Confesso que um talquinho “Granado” foi usado bastante aqui em casa para brotoejas, mas vejam bem, no verão, no inverno nada de talco.

  • Regular a água morninha do banho com o seu cotovelo, e não com a sua mão ou pulso. A pele do cotovelo embora pareça mais dura e menos sensível, é a parte ideal do nosso corpo para sentir se a água está quente ou fria demais.
  •  Bebezinho no banho = bebezinho escorregadio. Uma dica legal é colocar uma toalhinha na banheira, para ajudar a manter o bebê no lugar, assim como colocar água somente até a altura da bundinha do bebê. Não é necessário, e nem aconselhável, mergulhar a maior parte do corpinho do bebê na água.
  • Para bebês que choram muito durante o banho, ao menos no início, dê um banho de esponjinha ao invés de mergulhá-lo na água. Enrole o bebê em uma toalha ou cobertorzinho bem leve, faça dele uma “panqueca” bem justinha, e lave seu cabelinho, seu rostinho, desenrole um braço, depois o outro, dê um banho de esponja calmamente para não irritar um bebê que ainda não se acostumou com a hora do banho.

Como vocês já devem imaginar, tudo na vida de um recém nascido é novidade, e banho não é exceção. No verão vale tudo para refrescar aquelas dobrinhas gostosas, mas no inverno convém maneirar no desejo de dar banho todo dia.

Difícil gente, mas possível! Afinal, melhor prevenir do que remediar, depois que o bebê desenvolve pele seca e outros probleminhas resultantes de banho em excesso, o estress para mamãe e bebê serão ainda maiores.

Fontes: Médicos da Bella + Revista Today’s Parents

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *