Texto longo, apertem os cintos!

Um dos assuntos mais polêmicos entre mães de primeira viagem é como e onde fazer o bebê dormir. Eu vou dar a minha cara a tapa e dizer que não gosto da idéia da cama compartilhada, termo que confesso que nem conhecia até pouco tempo atrás. Cama compartilhada nada mais é do que a família compartilhando a mesma cama.

Nunca pensei sobre este assunto quando estava grávida e nem sequer li opiniões diferentes sobre ele. O parto humanizado e a cama compartilhada são as batatas quentes das mães da era moderna. Estes dois assuntos causam muita polêmica pois há uma grande campanha para humanizar absolutamente tudo o que diz respeito a maternidade, e um dos argumentos mais doidos que já ouvi sobre a tal cama compartilhada é que muito antigamente, lá na era primitiva (podem rir) pais e filhos dormiam juntos. Óbvio que dormiam juntos, assim como não tinham água encanada, refrigerador e penicilina.

Fonte desconhecida

Os defensores desta prática dizem que o filho dormir com os pais traz mais segurança emocional para ele, que ele se desenvolverá de maneira mais saudável e que se deve deixar a criança querer sair da cama dos pais.

Ã?

Não estou me referindo a filhos que por uma razão ou outra dormem no quarto dos pais no seu berço ou caminha, me refiro a cama compartilhada mesmo.

Para mim, cada um deve dormir na sua cama e ponto. Então sendo seguidora da prática “cada um na sua cama”, vou contar o que funcionou para a nossa familia com um bebê recém saído do hospital.

Vejam bem, cada família sabe o que funciona para si, no nosso caso funcionou assim. Os fins justificam os meios, certo?

Aqui vai uma confissão: dormi no chão do quarto da minha filha por dois meses! No chão mesmo e por 60 dias.

Ai, dói só de ler certo?

A nossa experiência foi um pouco diferente pois trazia preocupações fora do comum e traumas resutantes de quase 4 meses na UTI. A Bella, como toda prematura extrema, não dormia tranquilamente a noite. Prematuros desenvolvem um reflexo de não parar de se espreguiçar e fazer força, então ela dormia 2 minutos e se agitava, fazia força e às vezes vomitava, então ainda traumatizada com tudo o que passamos e com medo dela vomitar a noite, dormia no chão. Pior, a vovó que me ajudava no plantão da madrugada, fazia o mesmo. Na verdade tínhamos escolha gente, ou o chão ou meia madrugada na cadeira de balanço! Ahhh as maravilhas da maternidade! Depois de 2 meses a minha mãe gentilmente perguntou se já nao era hora de eu dormir na minha cama! Eu como boa filha que sou, enfiei o medo e o rabinho entre as pernas, e obedeci.

Meu marido e eu nunca dormimos com a Bella na nossa cama, afora alguma soneca durante o dia e muito raramente. Nunca sequer pensamos sobre o assunto, talvez por causa da cultura canadense e muito por que montamos o quartinho dela com todo amor, escolhi a roupa de cama a dedo, criei uma atmosfera tranquila propícia para uma ótima noite de sono, por que colocar um bebê inocente em uma cama onde o pai ronca (sorry marido) e a mãe tem dificuldade para dormir e se vira na cama a noite toda? Um bebê recém nascido merece traquilidade e silêncio, o que não aconteceria dormindo conosco. Não existe teoria humanizada no mundo que me faça mudar de idéia quanto a isso.

Eu acredito em ensinar os nossos filhos a aprenderem a fazer as coisas sozinhos, a serem independentes desde pequenos, pois a cada dia que passa a sociedade está mais impiedosa com os “filhinhos” da mamãe. As crianças são tão espertas atualmente, por mais que queiramos proteger os nossos pequenos e alimentar esta coisa de “deixa que a mamãe faz para você”, assim que ele entrar na pré-escola será um baque para ele, que estará atrás dos seus coleguinhas no quesito independência.

Acredito que podemos expressar o nosso amor e proteção de outra forma que não a de proteger demais os nossos filhos e impor neles uma vontade nossa. Pois afinal, que recém nascido bota a cara para fora gritando “quero dormir na cama da minha mãe?”. Não é escolha da criança e sim dos pais, que querem o seu pintinho protegido na caminha aconchegante deles.

Depois de 4 meses de UTI e 2 meses comigo dormindo na cadeira de balanço e no chão, criei coragem e coloquei a minha ex-prematurinha para dormir sozinha.

Sim, foi difícil.
Sim, eu dormia com a babá eletrônica de vídeo a 5 cm dos meus olhos.
Sim, eu penei para deixá-la chorar para aprender a dormir sozinha.

Faz parte da vida de mãe escolher o caminho mais longo para educar um filho. Quantas vezes fiquei tentada a levá-la para nossa cama para que nos deixasse dormir mais 1 horinha no final de semana? Mas sempre resistimos a esta tentação.

Hoje temos uma criança de dois anos que dorme super bem no seu quarto e que acorda de manhã cedíssimo com todo o gás para brincar. Também temos pai e mãe que dormem uma ótima noite de sono e também acordam com todo o gás para enfrentar um dia de correria com esta ferinha.

Aquele famoso ditado “ser mãe é padecer no paraíso” é verdade!

1 Comment on Cama compartilhada ou cada um na sua cama?

  1. Anonymous
    02/11/2011 at 3:48 pm (6 years ago)

    Tomara que esse comentário dê certo! Porque adorei o post e quero compartilhar minha experiência!

    Da alta da UTI até seus 7 meses, nhá Bia dormiu no moisés ao nosso lado da cama. Seu quartinho estava pronto mas não tinha berço. Quando comprei, foram uns 3 dias de adaptação (para mim) e beleza! Durante 14 meses Beatriz tinha seu próprio reino, luz apagada e porta fechada.

    Até que nos mudamos para um hotel, onde só tínhamos quarto e sala. O berço ficou ao lado de nossa cama novamente e… tchã-rã! Nhá Bia aprendeu a sair dele! Lutei bravamente por 4 semanas. Acordava e colocava de novo no berço, incontáveis vezes durane a noite. Obviamente desisti.

    Quando voltamos, alguns meses depois, o medo que ela tentasse pular e se machucasse (pois já não havia mais cama ao lado) falou mais alto! Tiramos a grade e transformamos em caminha, mas a bichinha é espaçosa de mais. O frio de Curitiba e a falta de calefação, nos fez montar um belo ninho! Todos juntos.

    KK, nossa poodle, sempre dormiu conosco. Era muito estranho deixar Bia num quarto e nós 3 no outro. Emendamos uma cama de solteiro à nossa de casal e assumimos de vez a cama compartilhada.

    Sem neuras, sem teorias. Apenas porque é uma delícia deitar todo mundo junto!

    Beijos!

    Monica
    http://www.projetopequenosguerreiros.com

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *